MEDITAÇÃO MATINAL - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen White - 1977 - CPB

13 de setembro

O Fim do Tempo da Graça

Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o dia do Senhor vem como ladrão de noite. I Tess. 5:1 e 2.

Os justos e os ímpios estarão ainda vivendo sobre a Terra em seu estado mortal – estarão os homens a plantar e a construir, comendo e bebendo, todos inconscientes de que a decisão final, irrevogável, foi pronunciada no santuário celestial. Antes do Dilúvio, depois que Noé entrou na arca, Deus o encerrou ali, e excluiu os ímpios; mas, durante sete dias, o povo, não sabendo que seu destino se achava determinado, continuou em sua vida de descuido e de amor aos prazeres, zombando das advertências sobre o juízo iminente. “Assim – diz o Salvador – há de ser a vinda do Filho do homem”. Mat. 24:27. Silenciosamente, despercebida como o ladrão à meia-noite, virá a hora decisiva que determina o destino de cada homem, a retirada final da oferta de misericórdia aos homens culpados. Review and Herald, 9 de novembro de 1905.

O povo está rapidamente adormecendo, acalentado por uma segurança fatal, para unicamente despertar com o derramamento da ira de Deus. O Grande Conflito, pág. 562.

O Senhor, em juízo, no fim do tempo, andará pela Terra, e as terríveis pragas começarão a cair. Então os que desprezaram a Palavra de Deus, os que a menosprezaram, vaguearão de mar a mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda parte, procurando a Palavra do Senhor, e não a acharão. … Os pastores terão feito seu último trabalho, oferecido suas últimas orações, derramado a última e amarga lágrima por uma igreja rebelde e um povo perverso. Manuscrito 1, 1857.

O olhar de Jesus, estendendo-se através dos séculos, fixou-se em nosso tempo ao dizer Ele: “Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Luc. 19:42. Ainda é teu dia, ó igreja de Deus, a quem Ele tornou a depositária de Sua lei. Esse dia de confiança e provação está chegando ao fim. O Sol está declinando rapidamente. Dar-se-á o caso de que ele se ponha e que não saibas “o que à tua paz pertence”? Luc. 19:42. Terá de ser proferida a irrevogável sentença: “Mas, agora, isso está encoberto aos teus olhos”? Luc. 19:42. Carta B-58, 1887.