MEDITAÇÃO MATINAL - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen White - 1977 - CPB

8 de setembro

Um Pequeno Tempo de Paz

Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão.  I Tess. 5:3.

Enquanto a obra de salvação está se encerrando, tribulações virão sobre a Terra, e as nações ficarão iradas, embora contidas para não impedir a obra do terceiro anjo. Nesse tempo a “chuva serôdia”, ou o refrigério pela presença do Senhor, virá, para dar poder à grande voz do terceiro anjo e preparar os santos para estarem de pé no período em que as sete últimas pragas serão derramadas. Primeiros Escritos, págs. 85 e 86.

Foram-me mostrados os habitantes da Terra na maior confusão. Guerra, derramamento de sangue, privações, necessidades, fomes e pestilências estavam por toda parte. À medida que estas coisas cercavam o povo de Deus, eles começavam a unir-se e a pôr de lado suas pequenas dificuldades. A própria dignidade não mais exercia domínio sobre eles; profunda humildade tomava o seu lugar. O sofrimento, a perplexidade e a privação faziam com que a razão recuperasse a soberania, e o homem impulsivo e desarrazoado tornava-se sensato, e agia com discrição e sabedoria.

Minha atenção foi então desviada da cena. Parecia haver um pequeno tempo de paz. Mais uma vez os habitantes da Terra me foram apresentados; e novamente tudo se achava na maior confusão. Lutas, guerras e derramamento de sangue juntamente com fome e peste imperavam por toda parte. Outras nações se achavam empenhadas nesta luta e confusão. A guerra ocasionou a fome. A miséria e o derramamento de sangue deram lugar à pestilência. E então o coração dos homens desmaiou de terror, “pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo”. Luc. 21:26. Testimonies, vol. 1, pág. 268.

Os anjos estão agora retendo os ventos da contenda, até que o mundo seja advertido de sua vindoura condenação; uma tempestade, porém, está-se preparando, prestes a irromper sobre a Terra, e quando Deus ordenar a Seus anjos que soltem os ventos, haverá tal cena de conflito que a pena não pode descrever. …

Um tempo de adiamento foi-nos graciosamente concedido por Deus. Todo poder a nós emprestado pelo Céu deve ser empregado em fazer a obra que nos foi designada pelo Senhor em benefício dos que estão a perecer na ignorância. Evangelismo, pág. 704.