<

05 de Agosto: Isaías 49 a 51

Isaías 49

O Servo do Senhor

1Escutem-me, vocês, ilhas; ouçam, vocês, nações distantes: Antes de eu nascer o Senhor me chamou;
desde o meu nascimento ele fez menção de meu nome.
2 Ele fez de minha boca uma espada afiada, na sombra de sua mão ele me escondeu; ele me tornou uma flecha polida
e escondeu-me na sua aljava.
3 Ele me disse: “Você é meu servo, Israel, em quem mostrarei o meu esplendor”.
4 Mas eu disse: Tenho me afadigado sem qualquer propósito; tenho gastado minha força em vão
e para nada. Contudo, o que me é devido está na mão do Senhor, e a minha recompensa
está com o meu Deus.

5 E agora o Senhor diz, aquele que me formou no ventre para ser o seu servo, para trazer de volta Jacó
e reunir Israel a ele mesmo, pois sou honrado aos olhos do Senhor, e o meu Deus tem sido a minha força;
6 ele diz: “Para você é coisa pequena demais ser meu servo para restaurar as tribos de Jacó
e trazer de volta aqueles de Israel que eu guardei. Também farei de você uma luz para os gentios,
para que você leve a minha salvação até os confins da terra”.

7 Assim diz o Senhor, o Redentor, o Santo de Israel, àquele que foi desprezado e detestado pela nação,
ao servo de governantes: “Reis o verão e se levantarão, líderes o verão e se encurvarão, por causa do Senhor, que é fiel, o Santo de Israel, que o escolheu”.

A Restauração de Israel

8 Assim diz o Senhor:

“No tempo favorável eu lhe responderei, e no dia da salvação eu o ajudarei; eu o guardarei e farei que você
seja uma aliança para o povo, para restaurar a terra e distribuir suas propriedades abandonadas,
9 para dizer aos cativos: Saiam, e àqueles que estão nas trevas: Apareçam!

“Eles se apascentarão junto aos caminhos e acharão pastagem em toda colina estéril.
10 Não terão fome nem sede; o calor do deserto e o sol não os atingirão. Aquele que tem compaixão deles os guiará
e os conduzirá para as fontes de água.
11 Transformarei todos os meus montes em estradas, e os meus caminhos serão erguidos.
12 Veja, eles virão de bem longe; alguns do norte, alguns do oeste, alguns de Assuã[a]”.

13 Gritem de alegria, ó céus, regozije-se, ó terra; irrompam em canção, ó montes! Pois o Senhor consola o seu povo
e terá compaixão de seus afligidos.

14 Sião, porém, disse:

“O Senhor me abandonou, o Senhor me desamparou”.

15 “Haverá mãe que possa esquecer seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou?
Embora ela possa esquecê-lo, eu não me esquecerei de você!
16 Veja, eu gravei você nas palmas das minhas mãos; seus muros estão sempre diante de mim.
17 Seus filhos apressam-se em voltar, e aqueles que a despojaram afastam-se de você.
18 Erga os olhos e olhe ao redor; todos os seus filhos se ajuntam e vêm até você Juro pela minha vida
que você se vestirá deles todos como ornamento; você se vestirá deles como uma noiva”, declara o Senhor.

19 “Apesar de você ter sido arruinada e abandonada e apesar de sua terra ter sido arrasada,
agora você será pequena demais para o seu povo, e aqueles que a devoraram estarão bem distantes.
20 Os filhos nascidos durante seu luto ainda dirão ao alcance dos seus ouvidos: ‘Este lugar é pequeno demais para nós;
dê-nos mais espaço para nele vivermos’.
21 Então você dirá em seu coração:‘Quem me gerou estes filhos? Eu estava enlutada e estéril;
estava exilada e rejeitada. Quem os criou? Fui deixada totalmente só, mas estes... de onde vieram?’”

22 Assim diz o Soberano, o Senhor:

“Veja, eu acenarei para os gentios, erguerei minha bandeira para os povos; eles trarão nos braços os seus filhos
e carregarão nos ombros as suas filhas.
23 Reis serão os seus padrastos, e suas rainhas serão as suas amas de leite. Eles se inclinarão diante de você,
com o rosto em terra; lamberão o pó dos seus pés. Então você saberá que eu sou o Senhor;
aqueles que esperam em mim não ficarão decepcionados”.

24 Será que se pode tirar o despojo dos guerreiros, ou será que os prisioneiros podem ser resgatados
do poder dos violentos[b]?

25 Assim, porém, diz o Senhor:

26 “Sim, prisioneiros serão tirados de guerreiros, e despojo será retomado dos violentos; brigarei com os que brigam com você, e seus filhos, eu os salvarei. Farei seus opressores comerem sua própria carne; ficarão bêbados com seu próprio sangue, como com vinho. Então todo mundo saberá que eu, o Senhor, sou o seu Salvador,
seu Redentor, o Poderoso de Jacó”.

  1. 49.12 Conforme os manuscritos do mar Morto. O Texto Massorético diz Sinim.
  2. 49.24 Conforme os manuscritos do mar Morto, a Vulgata e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz justos.

........................................................................................................................................................

Isaías 50

O Pecado de Israel e a Obediência do Servo

1Assim diz o Senhor:

“Onde está a certidão de divórcio de sua mãe com a qual eu a mandei embora? A qual de meus credores
eu vendi vocês? Por causa de seus pecados vocês foram vendidos; por causa das transgressões de vocês
sua mãe foi mandada embora.
2 Quando eu vim, por que não encontrei ninguém? Quando eu chamei, por que ninguém respondeu?
Será que meu braço era curto demais para resgatá-los? Será que me falta a força para redimi-los?
Com uma simples repreensão eu seco o mar, transformo rios em deserto; seus peixes apodrecem por falta de água
e morrem de sede.
3 Visto de trevas os céus e faço da veste de lamento a sua coberta”.

4 O Soberano, o Senhor, deu-me uma língua instruída, para conhecer a palavra que sustém o exausto.
Ele me acorda manhã após manhã, desperta meu ouvido para escutar como alguém que está sendo ensinado.
5 O Soberano, o Senhor, abriu os meus ouvidos, e eu não tenho sido rebelde; eu não me afastei.
6 Ofereci minhas costas àqueles que me batiam, meu rosto àqueles que arrancavam minha barba;
não escondi a face da zombaria e dos cuspes.
7 Porque o Senhor, o Soberano, me ajuda, não serei constrangido. Por isso eu me opus firme
como uma dura rocha, e sei que não ficarei decepcionado.
8 Aquele que defende o meu nome está perto. Quem poderá trazer acusações contra mim?
Encaremo-nos um ao outro! Quem é meu acusador? Que ele me enfrente!
9 É o Soberano, o Senhor, que me ajuda. Quem irá me condenar? Todos eles se desgastam
como uma roupa; as traças os consumirão.

10 Quem entre vocês teme o Senhor e obedece à palavra de seu servo? Que aquele que anda no escuro,
que não tem luz alguma, confie no nome do Senhor e se apóie em seu Deus.
11 Mas agora, todos vocês que acendem fogo e fornecem a si mesmos tochas acesas, vão, andem na luz de seus fogos
e das tochas que vocês acenderam. Vejam o que receberão da minha mão: vocês se deitarão atormentados.

...............................................................................................................................

Isaías 51

A Salvação Eterna para Sião

1“Escutem-me, vocês que buscam a retidão e procuram o Senhor: Olhem para a rocha
da qual foram cortados e para a pedreira de onde foram cavados;
2 olhem para Abraão, seu pai, e para Sara, que lhes deu à luz. Quando eu o chamei, ele era apenas um,
e eu o abençoei e o tornei muitos.”
3 Com certeza o Senhor consolará Sião e olhará com compaixão para todas as ruínas dela;
ele tornará seus desertos como o Éden, seus ermos, como o jardim do Senhor. Alegria e contentamento
serão achados nela, ações de graças e som de canções.

4 “Escute-me, povo meu; ouça-me, nação minha: A lei sairá de mim; minha justiça se tornará uma luz para as nações.
5 Minha retidão logo virá, minha salvação está a caminho, e meu braço trará justiça às nações.
As ilhas esperarão em mim e aguardarão esperançosamente pelo meu braço.
6 Ergam os olhos para os céus, olhem para baixo, para a terra; os céus desaparecerão como fumaça,
a terra se gastará como uma roupa, e seus habitantes morrerão como moscas. Mas a minha salvação
durará para sempre, a minha retidão jamais falhará.

7 “Ouçam-me, vocês que sabem o que é direito, vocês, povo que tem a minha lei no coração:
Não temam a censura de homens nem fiquem aterrorizados com seus insultos.
8 Pois a traça os comerá como a uma roupa; o verme os devorará como à lã. Mas a minha retidão durará para sempre,
a minha salvação de geração em geração.”

9 Desperta! Desperta! Veste de força, o teu braço, ó Senhor; acorda, como em dias passados, como em gerações de outrora. Não foste tu que despedaçaste o Monstro dos Mares[a], que traspassaste aquela serpente aquática?
10 Não foste tu que secaste o mar, as águas do grande abismo, que fizeste uma estrada
nas profundezas do mar para que os redimidos pudessem atravessar?
11 Os resgatados do Senhor voltarão. Entrarão em Sião com cântico; alegria eterna coroará sua cabeça.
Júbilo e alegria se apossarão deles, tristeza e suspiro deles fugirão.

12 “Eu, eu mesmo, sou quem a consola. Quem é você para que tema homens mortais,
os filhos de homens, que não passam de relva,
13 e para que esqueça o Senhor, aquele que fez você, que estendeu os céus e lançou os alicerces da terra,
para que você viva diariamente, constantemente apavorada por causa da ira do opressor,
que está inclinado a destruir? Pois onde está a ira do opressor?
14 Os prisioneiros encolhidos logo serão postos em liberdade; não morrerão em sua masmorra,
nem terão falta de pão.
15 Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, que agito o mar para que suas ondas rujam;
Senhor dos Exércitos é o meu nome.
16 Pus minhas palavras em sua boca e o cobri com a sombra da minha mão, eu, que pus os céus no lugar,
que lancei os alicerces da terra, e que digo a Sião: Você é o meu povo.”

O Cálice da Ira do Senhor

17 Desperte, desperte! Levante-se, ó Jerusalém, você que bebeu da mão do Senhor o cálice da ira dele,
você que engoliu, até a última gota, da taça que faz os homens cambalearem.
18 De todos os filhos que ela teve não houve nenhum para guiá-la; de todos os filhos que criou
não houve nenhum para tomá-la pela mão.
19 Quem poderá consolá-la dessas duas desgraças que a atingiram? Ruína e destruição, fome e espada,
quem poderá[b] consolá-la?
20 Seus filhos desmaiaram; eles jazem no início de cada rua, como antílope pego numa rede.
Estão cheios da ira do Senhor e da repreensão do seu Deus.

21 Portanto, ouça isto, você, aflita, embriagada, mas não com vinho.
22 Assim diz o seu Soberano, o Senhor, o seu Deus, que defende o seu povo: “Veja que eu tirei da sua mão
o cálice que faz cambalear; dele, do cálice da minha ira, você nunca mais beberá.
23 Eu o porei nas mãos dos seus atormentadores, que lhe disseram: ‘Caia prostrada para que andemos sobre você’.
E você fez as suas costas como chão, como uma rua para nela a gente andar”.

  1. 51.9 Hebraico: Raabe.
  2. 51.19 Conforme os manuscritos do mar Morto, a Septuaginta, a Vulgata e a Versão Siríaca. O Texto Massorético diz como poderei.