Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Lição 03 – A vida na igreja primitiva

Semana 14 a 20 de Julho

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com – marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

Verso para memorizar: “Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a DEUS e contando com a simpatia de todo o povo” (Atos 2:46 e 47).

 

Introdução de sábado à tarde

Por três vezes um fenômeno celestial se manifesta na Terra. Nas três vezes um povo tornou-se extremamente poderoso porque o ESPÍRITO SANTO Se manifestou. Eles se tornaram unânimes, se amavam uns aos outros e até dos bens se desapegaram e os disponibilizavam para a pregação.

A primeira vez foi no Pentecostes. A segunda vez foi no Clamor da Meia-noite, antes de 1844, quando pensavam que JESUS estava prestes a voltar. E a terceira vez está por acontecer, será com o derramamento da Chuva Temporã.

Nesses três momentos houve ou haverá unanimidade, ninguém queria ser mais que o outro, todos se ajudavam, não havia o “eu quero” ou o “eu acho”, mas o “está escrito”. Também nesses três momentos manifestou-se forte oposição, coisa que será exasperada na última manifestação do ESPÍRITO SANTO. Também nesses momentos esperavam a vinda de JESUS para bem logo, mas isso só seria verídico na última manifestação, a que bem logo ocorrerá.

Também no final os cristãos saberão quando vender seus bens para disponibilizar para a obra. A hora mais propícia será para realizar a grande pregação final, quando DEUS assumir a obra em Suas mãos. “Permiti-me dizer-vos que o Senhor trabalhará nesta última obra de um modo muito fora da comum ordem de coisas e de um modo que será contrário a qualquer planejamento humano. Haverá entre nós os que sempre desejarão dominar a obra de DEUS, para ditar até que movimentos se farão quando a obra avançar sob a direção do anjo que se une ao terceiro anjo na mensagem a ser dada ao mundo. DEUS usará maneiras e meios pelos quais se verá que Ele está tomando as rédeas em Suas próprias mãosSurpreender-se-ão os obreiros com os meios simples que Ele usará para efetuar e aperfeiçoar sua obra de justiça” (Testemunhos Para Ministros, 300, grifos meus).

 

  1. Primeiro dia: Ensino e comunhão

A lição explicou em detalhes como eles viviam na igreja primitiva. Sinceramente, dá vontade de ter estado lá. Resumindo, eles praticavam o ensino e viviam em comunhão. O ensino praticavam principalmente na igreja, ou na sinagoga, e a comunhão era nos lares.

E como podemos visualizar essas duas coisas em nossos dias, quando vier o desfecho? Comentemos isto em forma de itens.

  • O grande desfecho da pregação ocorre com o decreto dominical, pois assim a igreja é purificada pela sacudidura decorrente e o ESPÍRITO SANTO é derramado, iniciando-se o Alto Clamor.
  • Quando a crise social e econômica se acentuar e beirar ao caos global, mesmo antes do decreto dominical, isto significa que esse decreto estará bem próximo, e então chegou a hora de vender bens para financiar a pregação. Após o decreto dominical a venda de bens será complicada e também, talvez eles nem tenham mais valor, devido a situação da crise. Essa é uma interpretação minha desses fatos.
  • Nos tempos de CRISTO a grande sacudidura foi o julgamento e morte de JESUS, muitos ali O abandonaram e passaram até a perseguir, posteriormente, os cristãos. Em nossos dias, também já ocorre uma discreta sacudidura atualmente, mas a forte sacudidura virá com o decreto dominical. Novamente, irmãos da fé perseguirão seus irmãos.
  • Então a igreja purificada em grande parte do joio, pois parece que nem todos o abandonarão a igreja, mas ficarão como agentes de satanás, ela receberá o poder do ESPÍRITO SANTO e sairá para pregar como nunca se viu, e o evangelho será pregado em pouquíssimo tempo. Mateus 24:14 se cumpre em tempo recorde, mas não se sabe dizer quantos dias será esse tempo entre o decreto e o fechamento da porta da graça, ou, o que dá na mesma, a conclusão da pregação.
  • Como todos nós sabemos muito bem que estaremos nos dias finais, de fato, os bens materiais, ou nosso patrimônio, não terá mais nenhum sentido senão vende-lo para financiar a obra. Assim também ter emprego também não servirá para mais nada, nem comprar bens terá algum proveito. Por isso o decreto dominical, que nos proíbe comprar e vender é sem efeito, ele virá num tempo em que já nos estaremos desfazendo dos bens. O emprego não terá mais sentido porque nosso alimento virá do céu. Tão pouco comprar roupas ou calçados, ou manter o automóvel, não fará sentido, seja por causa da tremenda crise, seja porque o fim estará bem próximo. Aliás, a única coisa que fará sentido nesses dias será o ensino do evangelho de JESUS CRISTO.
  • Ratificando, para que serviriam ainda, os bens materiais se dentro de alguns meses JESUS volta, e deixaremos tudo aqui para trás, sendo que tudo vai ser destruído mesmo?
  • A igreja nesses dias, como no Pentecostes, estará em perfeita comunhão, mas com uma grande diferença. Não nos reuniremos mais nas igrejas, pois isso será proibido. Nos reuniremos nas casas, e o método que melhor vai funcionar serão os pequenos grupos (DEUS chama de método simples), com pessoas bem preparadas pelo ESPÍRITO SANTO para ensinar. Logo, dessa vez, a comunhão e o ensino estarão outra vez bem associados.
  • Do mesmo modo como eles esperavam o breve retorno de JESUS, e assim como durante o Clamor da Meia-noite da mesma forma, nós também; porém, dessa vez Ele virá mesmo. Agora sabemos disso e temos certeza. Há muitos sinais anunciando a breve volta de JESUS.

“Muitos levantavam a voz para clamar: “Aí vem o Esposo!” (Mat. 25:6) e deixavam seus irmãos que não amavam o aparecimento de Jesus, e não toleravam ouvi-os falar sobre Sua segunda vinda. Vi Jesus voltar Sua face dos que rejeitaram e desprezaram Sua vinda, ordenando, então aos anjos que levassem o Seu povo a afastar-se dos impuros, para que não fossem contaminados. Os que foram obedientes à mensagem ficaram fora livres e unidos. Uma santa luz brilhou sobre eles. Haviam renunciado ao mundo, sacrificado seus interesses terrenos, abandonado seus tesouros terrestres, e dirigido seu ansioso olhar para o céu, esperando ver seu amado Libertador. Uma santa luz brilhava em seus semblantes, denunciando a paz e felicidade que lhes ia no íntimo. Jesus ordenou a Seus anjos que fossem e os fortalecessem, pois a hora de sua prova se aproximava. Vi que esses expectantes não tinham ainda sido provados como deviam ser. Não estavam livres de erros. E vi a misericórdia e a bondade de DEUS em enviar uma advertência ao povo da Terra, bem como repetidas mensagens para levá-los a diligente exame de coração, ao estudo das Escrituras, a fim de poderem despojar-se de erros que haviam sido recebidos de pagãos e outros religiosos. Por meio dessas mensagens DEUS tem estado a conduzir o Seu povo para onde Ele possa operar por eles com maior poder, e aonde eles possam guardar todos os Seus mandamentos” (Primeiros escritos, 249 e 250).

 

  1. Segunda: A cura de um coxo

Pedro, como de costume, por volta das três horas da tarde estava indo ao templo para orar. Era a hora do sacrifício da tarde, e os que podiam, iam ao templo, os que não podiam, geralmente pela distância, voltavam-se em direção do templo e oravam a DEUS, fosse nas 9 horas da manhã, fosse às 3 da tarde. Todos os dias faziam isto. E naquele dia, na entrada do templo, apareceu um pedinte, um homem coxo, que não conseguia trabalhar, portanto, vivia de esmolas.

Encontrando Pedro e João, pediu algo para a sua sobrevivência. O que ele pediu foi pouca coisa, uma esmola somente. E os apóstolos estavam sem dinheiro, felizmente. O que o coitado precisava, aos seus critérios os discípulos não tinham, e o que aquele homem não pedia, eles tinham, era a cura de sua situação. Pedro, que falou com ele, não lhe deu dinheiro, mas o curou para que pudesse trabalhar e conseguir seu sustento com dignidade. Quando é que aquele homem sonharia em ser uma pessoa normal? Ele não ambicionava tanto, se conformava com esmolas, para viver precariamente.

Geralmente isso também acontece conosco, pedimos pouco. DEUS tem a nos oferecer a vida eterna, e nós muitas vezes almejamos apenas algo que resolva nossa situação para o momento. Pedimos pouco.

No sermão de Pedro, ele fez algumas ênfases bem focadas. O público era enorme, mais ou menos a quantidade que JESUS estava acostumado a falar. Vieram ver o que aconteceu por causa do som inusitado que ouviram. Pedro lhes disse que aquele JESUS que haviam condenado à morte, ressuscitou, e que estava junto ao DEUS Pai. E disse mais, que voltaria para buscar a todos os que O aceitassem. Deveriam se arrepender e desejar o perdão de seus pecados. Isso prontamente seria aceito por DEUS. Essa mensagem foi bem aceita, seja porque Pedro e os demais apóstolos demonstraram um poder fora do comum para pregar, seja porque o mesmo ESPÍRITO estava trabalhando com os ouvintes. Assim também nós concluiremos a obra no Alto Clamor, com poder do ESPÍRITO SANTO, que estará conosco e com os ouvintes.

 

  1. Terça: O surgimento da oposição

Os sacerdotes, os saduceus e os fariseus haviam forçado a morte de JESUS. Fazia tempo que eles não queriam ver aquele homem vivo. A Sua morte não deveria acontecer bem no dia da páscoa, por causa da multidão em Jerusalém, assim queriam eles, mas acabou ocorrendo exatamente nesse dia. Domingo pela manhã os guardas relatam a ressurreição de JESUS. Quem poderia receber maior crédito senão os guardas romanos para falar a verdade sobre a ressurreição? Eles estavam impedindo que roubassem o corpo de JESUS, o que estava fora da probabilidade, mas não conseguiram impedir Sua ressurreição, que Ele mesmo havia anunciado fartamente. Essa notícia estremeceu o sacerdote e seus aliados, pois nada resolveu matá-Lo.

E agora a situação estava piorando para o lado deles. 50 dias depois da ressurreição, os apóstolos começam a pregar e a atrair multidões para anunciar JESUS vivo como o Salvador, fazendo milagres que impressionavam a todos. A situação para o pessoal do Sinédrio, que levou JESUS a ser morto, ficou bem delicada e ruim. Afinal, o homem que haviam matado não estava no túmulo, não havia um corpo, os guardas relataram Sua ressurreição, e agora, os discípulos dizem a mesma coisa, e ainda por cima, fazem milagres que só JESUS poderia fazer. Quem não creria em algo assim? O Sinédrio perderia todo o seu poder e sua importância se insistissem na ideia da morte de JESUS, que não fazia mais sentido. E ainda por cima, os saduceus não acreditavam na ressurreição dos mortos, estavam assistindo um testemunho irrefutável da ressurreição de JESUS, aquele que eles mataram. Estava dando tudo errado para eles. O que falavam e o que defendiam deixava de ter credibilidade.

O que fazer? Era óbvio que JESUS ressuscitou. Não havia mais como dizer o contrário. Não dava mais para defender a ideia que JESUS ainda estava morto. Muitos O viram depois da ressurreição, talvez eles mesmos. Então o pessoal do Sinédrio estava com apenas duas alternativas:

  1. ou admitiam a ressurreição de JESUS, e então deveriam se explicar porque O mataram;
  2. ou continuariam insistindo que Ele estava morto, e assim, deveriam proibir que pregassem a ressurreição e a segunda vinda como Salvador, para que não ficasse pior para eles, e que o povo esquecesse JESUS.

Eles, duros de coração, desejando manter seu status e poder, decidiram manter-se ao lado da mentira indefensável a essa altura. Bem como agiu Lúcifer no contexto de sua rebelião, no Céu.  Assim já estavam preparando o caminho para o que viria a acontecer no ano 70: a destruição de Jerusalém. Pior, assim perderiam a vida eterna, pois o Salvador que mataram agora não aceitavam que vivia e que preparava a salvação da humanidade lá no Céu. Eles, que queriam um rei, prepararam a derrocada da nação para nunca mais terem um rei para eles. Não resolve lutar contra DEUS. Tal como aconteceu com Lúcifer, agora eles também se tornaram reféns de seu orgulho e de sua sede por poder, e mesmo perante as evidências da ressurreição de JESUS, não conseguiam aceitá-la nem tampouco permitir que alguém ensinasse sobre esse assunto.

 

  1. Quarta: Ananias e Safira

No início da igreja, muitos crentes com mais posses venderam propriedades que tinham e deram o dinheiro para sustentar a igreja. Alguns doavam todo dinheiro da venda, outros, doavam uma parte. Cada um fazia conforme decidia e ninguém era obrigado a doar o valor total de alguma venda. Por causa dessa generosidade, os membros mais pobres da igreja não passavam necessidade (Atos dos Apóstolos 4:32-35).

Um dia, Ananias e Safira decidiram vender uma propriedade que tinham e guardar uma parte do lucro. Tudo certo até aí. Com o consentimento da esposa, Ananias levou o resto do dinheiro aos apóstolos mas fingiu que tinha dado tudo que tinha recebido. Ele parece que queria impressionar os irmãos sobre a sua generosidade, e por certo, receber reconhecimento por esse motivo. Porém, DEUS revelou a mentira a Pedro. Ananias e Safira estavam enganando o povo de DEUS, e enganar o povo de DEUS, ou a igreja, é o mesmo que enganar a DEUS. O casal mentiu a DEUS, como se DEUS nunca descobrisse. E era o início da igreja, se DEUS deixasse passar essa mentira, que certamente seria descoberta mais tarde pela irmandade, pois quem comprou a propriedade sabia quanto pagara a igreja seria desmoralizada porque poderia ser equiparada a uma organização que tolera a corrupção. DEUS não permitiu esse verdadeiro atentado satânico contra Sua igreja.

Pedro repreendeu Ananias por ter mentido a DEUS, ou ao ESPÍRITO SANTO. O dinheiro era dele e ele poderia ter feito qualquer coisa com esse dinheiro. Ananias não tinha a obrigação de dar o dinheiro todo à igreja. Mas ele não precisava mentir para se vangloriar que doara toda a quantia da venda (Atos dos Apóstolos 5:3-4).

Assim que ouviu a repreensão, Ananias caiu morto! Seu corpo foi retirado e sepultado logo. Três horas depois, Safira chegou, sem saber que o marido estava morto. Pedro lhe perguntou se o dinheiro que doavam era o preço total da propriedade e Safira respondeu que sim. Ela mentiu do mesmo modo como seu marido, portanto, a sentença deveria ser a mesma.

Pedro repreendeu Safira por ter mentido com seu marido e a informou que Ananias já estava morto. Pedro contou a Safira que as mesmas pessoas que tinham acabado de sepultar seu marido também iriam sepulta-la. Nesse momento Safira também caiu morta! Por causa desse acontecimento, todos ficaram com grande temor de DEUS (Atos dos Apóstolos 5:9-11). Ananias e Safira queriam enganar o povo de DEUS mas na verdade estavam mentindo para DEUSA Bíblia diz que quem faz alguma coisa contra o povo de DEUS, o faz a DEUS (Mateus 25:40). Ananias e Safira morreram como exemplo, para mostrar que DEUS é misericordioso mas também é justo e castiga quem tenta enganar Seu povo. DEUS não tolera as obras do diabo dentro da igreja.

 

  1. Quinta: A segunda prisão dos apóstolos

Os apóstolos, embora proibidos, continuaram pregando sobre JESUS CRISTO. E sua pregação era ousada, com um poder estranho para os fariseus e saduceus. Esse era o poder do alto. Como ganhassem mais e mais adeptos, como o povo os seguia e dava crédito, com isso o pessoal do Sinédrio se irritou sobremaneira. Mandaram prender outra vez os apóstolos.

O Sinédrio já os tinha prendido anteriormente, mas um anjo do Senhor os libertou sem que isso fosse percebido, e eles foram ao templo ensinar (Atos 5:19).  Foi uma situação hilariante quando foram buscar os dois apóstolos na prisão, ela estava bem fechada, os guardas no lugar certo, e dentro do cárcere, ninguém (Atos 5:22 e 23). Eles foram encontrados no templo, onde ensinavam. Ora, para bom entendedor, esse fato em si já demonstra que DEUS estava com esses apóstolos, não com o pessoal do Sinédrio. Isso enfureceu ainda mais os sacerdotes e os outros membros do Sinédrio.

Trouxeram os apóstolos perante o Sinédrio e o sumo sacerdote, furioso, os repreendeu severamente: “Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:28,29).

E, entre eles, deliberavam matá-los.

“Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos, e disse-lhes: Homens israelitas, acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada. Depois deste levantou-se Judas, o galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos. E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus” (Atos 5:34-39).

Diante desse conselho, que todos entenderam ser convincente e prudente, mas ainda movidos pelo seu orgulho, resolveram soltá-los, mas não sem antes de mandar açoitá-los. Os apóstolos ficaram bem contentes por serem açoitados por causa do nome de JESUS. Fossem mais racionais, teriam percebido que DEUS livrara os discípulos das prisão de forma miraculosa, e não haveria a necessidade do discurso de Gamaliel.

 

  1. Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

No início da igreja, logo após JESUS enviar o poder do ESPÍRITO SANTO, satanás entrou em ação. A primeira oposição vem do próprio povo de DEUS, pasmem, dos líderes de seu povo, dos sacerdotes e do Sinédrio. Exatamente quem mais deveria dar apoio, daí que vinha a oposição. Já formou-se um povo de DEUS dividido, judeus de um lado, cristãos de outro, estratégica do demônio para enfraquecer a missão. Não demorou para vir também forte oposição do estado romano. Depois os próprios cristãos se dividiram, acontecendo a perseguição de cristãos contra cristãos. Mais uma vez satanás consegue dividir o provo de DEUS. Atualmente temos uma igreja, outra vez, dividida, liberais, radicais ortodoxos, e um pequeno grupo de mais equilibrados, perplexos assistindo uma igreja fragmentada. Assim será até que venha a sacudidura. Qual o efeito atual que satanás obtém hoje, com essa divisão? Uma igreja morna, laudiceana, mundanizada, fraca e de pouca eficácia em suas ações. Mas não será assim sempre, essa mesma igreja será sacudida e daí em diante a história será outra: poder e conclusão da missão.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

É muito importante para a salvação, que é individual, que cada um de nós siga as orientações bíblicas e o Espírito de Profecia. Cuidado, muito cuidado, pois estamos em Laudicéia, e nesse contexto há muita coisa a evitar. Ainda não somos a igreja triunfante, onde não haverá os perigos que temos hoje, entre nós. Laudicéia é um lugar perigoso, senão não seria Laudicéia. Mas nesse lugar temos as orientações de DEUS, portanto, ainda é o melhor lugar, apenas que nos cuidemos para que não sejamos influenciados pelo joio e nem levemos outros a essa influência.

 

  1. Informe profético de fatos recentes

Polêmica da quase entrega de um rosário ao ex. presidente Lula

“Vaticano diz que advogado que entregou terço a Lula é consultor do Papa – Santa Sé esclareceu que rosário foi abençoado por Francisco, mas não confirmou se objeto foi enviado especificamente ao petista.

“Um dia após negar que um terço levado pelo advogado argentino Juan Grabois ao ex-presidente Lula teria sido enviado pelo Papa, o Vaticano esclareceu que o objeto foi abençoado pelo Sumo Pontífice, mas não afirmou que a visita e a entrega se deram em nome de Francisco.

“Em um primeiro comunicado, divulgado na terça-feira, a Vatican News, agência de notícias oficial do Vaticano, afirmou que a visita de Grabois foi “pessoal e não em nome do Santo Padre”, e que terços, como o entregue a Lula, são levados a vários prisioneiros no mundo, independentemente dos seus casos.

“A nota foi retirada do ar. Em seu lugar, o Vatican News corrigiu alguns erros que atribuiu a imprecisões na tradução. A agência admitiu que o advogado, é coordenador do encontro mundial dos movimentos sociais em diálogo com o Papa Francisco, e já participou do Pontifício Conselho Justiça e Paz, que passou a fazer parte do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

“”Grabois definiu (como) inexplicável a rejeição de não ter podido se encontrar com Lula a quem queria levar um Terço abençoado pelo Papa, as palavras do Santo Padre e as suas reflexões com os movimentos sociais e discutir assuntos espirituais com o ex-chefe de Estado”, diz o comunicado.

“O Vatican News, contudo, não afirma se o terço foi enviado especificamente para Lula, e se as palavras transmitidas a Lula por Grabois foram específicas ao ex-presidente.

“”Na entrevista, ele nunca declarou que foi o Papa a enviar o Terço, mas simplesmente que se tratava de um Terço que tinha sido ‘abençoado’ pelo Papa. Terços como esse são levados, como o Santo Padre deseja, a tantos prisioneiros do mundo sem entrar no mérito de realidades particulares”, dizia a primeira nota, tirada do ar.

“Inicialmente, o perfil do ex-presidente nas redes sociais divulgou que o rosário teria sido enviado pelo Papa Francisco, e que Gabrois, consultor do Papa, teria sido o responsável pela entrega. O texto foi posteriormente alterado para especificar que o terço teria sido “abençoado pelo Papa”. Na tradução simultânea realizada em frente à Superintendência da Polícia Federal, também foi dito que o terço era um “presente do Papa”.” Fonte: Aqui.

 

Padres poderão casar (finalmente alguns sim)

Padres na Amazônia poderão ser casados. O Vaticano está admitindo empregar padres casados para trabalhar na Amazônia, devido a escassez de sacerdotes naquela região, estando os fiéis sem orientação por parte da igreja. Veja sobre essa importante notícia nesses links: abc.

 

Paz e segurança – antes da repentina destruição (as pragas)

Outra notícia que vem dando matéria nos noticiários foi o recente encontro entre o presidente Trump, dos Estados Unidos da América e o ditador norte coreano, Kim Jong-un. Isso é o início da condição de paz e segurança de que fala em 1 Tessalonicenses 5:3. Manchetes dizem que esse encontro é uma mudança do mundo rumo a “paz e segurança internacional”, um dos objetivos da constituição da ONU (Organização das Nações Unidas). Há ainda outros focos de tensão política e militar no mundo, como no Oriente Médio, no Iraque, entre Índia e o Paquistão, na África, tensão interna na Venezuela, etc. Mas era bem inesperada a reunião ocorrida entre esses dois líderes, bem no dia dos namorados, 12 de junho desse ano. Esse parece ser um fato significativo de um novo rumo do mundo em direção à paz, mas acompanhemos os fatos daqui por diante. Veja mais nessa fonte: aqui. “O presidente Donald Trump e o presidente Kim Jong-un se comprometem a cooperar para o desenvolvimento de novas relações entre os Estados Unidos e a RPDC e a promoção da paz, da prosperidade e da segurança da península coreana e do mundo.” Veja mais nesses links: abc.

 

Casamento gay

Nos Estados Unidos da América aconteceu algo inusitado para os dias de hoje. Uma dupla gay, para se casar, encomendou de um confeiteiro um bolo. Ele rejeitou e alegou que esse tipo de casamento vai contra as suas convicções religiosas. O caso foi parar na Suprema Corte, que lhe deu ganho de causa. A Suprema Corte agora está sendo acusada de retrógrada. Defendem que a liberdade religiosa não pode ferir os direitos dos outros. Parece que o mundo chega a um impasse. Leia a matéria completa aqui, pois vale a pena, tem a ver com Romanos 1:21 em diante. E tire suas conclusões.

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“Mais de dezenove séculos são passados desde que os apóstolos descansaram de seus labores; a história de suas lides e sacrifícios por amor de Cristo, porém, encontra-se ainda entre os mais preciosos tesouros da igreja. Essa história, escrita sob a inspiração do Espírito Santo, foi registrada a fim de que, por seu intermédio, os seguidores de Cristo pudessem, em todos os séculos, ser estimulados a maior fervor e zelo na causa do Salvador.

“A comissão dada por Cristo aos discípulos foi cumprida. Ao saírem esses mensageiros da cruz a proclamar o evangelho, houve tal revelação da glória de Deus como nunca antes fora testemunhada pelos mortais. Mediante a cooperação do Espírito divino, os apóstolos fizeram uma obra que abalou o mundo. O evangelho foi levado a todas as nações numa única geração” (Atos dos apóstolos, 593).

 

  1. Conclusão

“Quando surgem dificuldades em qualquer ramo da causa – e certamente surgirão, pois a igreja militante não é a igreja triunfante – todo o Céu olha para ver qual será o rumo tomado por aqueles a quem se confiaram sagradas responsabilidades. Alguns tropeçarão; alguns darão ouvidos a espíritos sedutores; alguns escolherão as trevas e não a luz, porque não são leais a Deus. Assim como seu Mestre, aqueles que habitam em Cristo não falharão nem desanimarão. …

“O Senhor requer nossas afeições não divididas. Se as pessoas não forem convictas, falharão no dia do teste, da prova, da tentação. Quando o inimigo contra elas dispuser suas forças, e a batalha parecer renhida, no momento exato em que necessitam de toda a força do intelecto e da capacidade, de todo o tato de um sábio comando para repelir o inimigo, aqueles que estão divididos apontarão suas armas contra os próprios soldados; enfraquecem as mãos que deveriam ser fortes para a guerra” (CRISTO triunfante, MM 2002, 122).