Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA - SEGUNDO TRIMESTRE DE 2019

lc
COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 3 (2º trimestre 2019) PREPARANDO-SE PARA AS MUDANÇAS

VERSO ÁUREO: “A justiça irá adiante dele, e nos porá no caminho das suas pisadas.” Salmos 85:13

INTRODUÇÃO (sábado 13 de abril) – A vida é cheia de mudanças. Durante a minha vida mudei-me 26 vezes de casa e uma vez de país, sendo do Brasil para Portugal, o que custou um pouco mais. Estudei em cinco escolas primárias e secundárias e em uma faculdade. As mudanças deixaram-me mais flexível e com a mente mais aberta. A maior mudança na minha vida ocorreu quando me casei. Essa mudança trouxe amor, paz e conforto à minha vida. Quando tive filhos ocorreu algo muito importante; percebi que se outros dependem de mim, eu devo depender mais de Deus.

Mudanças frequentes fazem você se adaptar facilmente a novas situações, novos ambientes e novas pessoas. Como resultado, você fica preparado quando algo muda inesperadamente. Nem todas as mudanças proporcionam períodos agradáveis ​​na vida. Infelizmente nós não vivemos em um conto de fadas e coisas tristes acontecem também. Superar o período difícil fará você mais forte. Nunca se sabe o que cada mudança pode trazer. Quando você sair da sua zona de conforto, haverá muitas novas oportunidades esperando por você. Mudanças trarão novas escolhas para felicidade e realização pessoal e profissional. A única mudança que nunca vamos aceitar é a perda de alguém por falecimento. Até o divórcio e novo casamento é algo que as pessoas conseguem se adaptar.  

Lidar com mudanças é uma das coisas mais difíceis quando você já estabeleceu sua própria maneira de pensar, agir e viver. Se o seu relacionamento com os familiares é bom, quando alguém decide sair de casa, isto pode provocar um choque, e às vezes, você terá de aceitar esta decisão. E quando um filho casa, você não só perderá o vinculo chegado do filho ou da filha, como terá que aceitar parentes adquiridos em razão do casamento, com suas próprias ideias e estilo de vida. Há também mudanças que não são positivas, como a perda de um ente querido, que o fará mergulhar no mesmo desespero, mas com uma dor e um estresse emocional maiores

A maior mudança que pode ocorrer é a conversão de uma pessoa. Graças a Deus que a Bíblia está repleta de exemplos de vidas transformadas que nos apontam o caminho para essa mesma realidade em nossas vidas. Vida transformada é fruto de conversão. Mas, o que é conversão? Fala-se tanto disso entre nós, mas temo que poucos saibam o que de fato seja conversão. Wayne Grudem assim define: “Conversão é nossa resposta espontânea ao chamado do evangelho, pela qual sinceramente nos arrependemos dos nossos pecados e colocamos a confiança em Cristo para receber a salvação”.

O evangelho de Cristo produz uma poderosa mudança na vida humana, a sua transformação. Quando falamos em transformação, como resultado do evangelho, estamos falando de mudanças tanto na forma de pensar, de agir e principalmente na intenção do coração humano. "Você pode pensar que tudo o que faz é certo, mas o Senhor julga as suas intenções." Provérbios 16:2

Paulo fala sobre a transformação através da renovação da mente. "Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:1-2.

Damos bom exemplo às pessoas quando temos que passar por mudanças e temos deixado o Espírito Santo nos transfomar? 

DOMINGO (14 de abril) DESPREPARADO – O ser humano gosta de ficar no seu lugar de conforto, e quando tem que enfrentar mudanças mostra-se despreparado. As mudanças que enfrentamos revelam as nossas fraquezas e ficamos mais suscetíveis às tentações, mas devemos confiar em Deus. 

Em I Coríntios 10 Paulo fala dos nossos pais que sofreram no deserto, mas que servem de exemplo para nós hoje, o apóstolo mostra que Deus nos adverte e cuida de nós quando diz: “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”. I Coríntios 10:12,13. Amém?

A lição de hoje traz-nos três exemplos de pessoas que cometeram erros quando tiveram que fazer algumas mudanças em suas vidas. Veja o exemplo de Ananias e Safira em Atos 5: 1-10, de Abraão, Sara e Agar. Veja este outro exemplo: “Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido. E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino. Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos.” Mateus 20:20-22.

Hoje existe a crença de que a felicidade é um direito adquirido, e isso tem levado muitas crianças e jovens a entrarem para o mundo do relacionamento e do trabalho de forma precoce e sem preparo. Uma geração que teve muito mais do que seus pais, mas que, ao mesmo tempo, cresceu com a ilusão de que a vida é fácil. A vida não é nada fácil e o mercado de trabalho não é uma continuação de suas casas onde o chefe seria um pai ou uma mãe complacente, que tudo concede. Muitos tem somente um emprego e depois vivem à margem do mercado de trabalho, por não se adaptarem. Para conquistar um espaço no mundo é preciso dar duro, e muito! É preciso também ter ética e honestidade. 

Temos notado que muitos jovens e pessoas mais velhas entram para o casamento despreparadas. O noivado é a preparação para o casamento. O noivado é o período que antecede o casamento. É quando o casal se conhece melhor e mantém relações com os futuros sogros e demais parentes. É a época da preparação do enxoval e da montagem de um novo lar. Para que haja um namoro e noivado, deverá haver dois corações que se amam e que desejam unir suas vidas. O amor que deseja o que há de melhor para o outro é o amor que se firma numa admiração pela pessoa amada, por suas qualidades físicas, mentais e espirituais, por seus talentos e habilidades, por seus amigos e sua família.

Para além do despreparo para esta vida, alguns crentes saem de casa despreparados para o dia de atividades, e quando menos esperam caem em pecados. O desenvolvimento de uma relação mais próxima com Deus deve ser uma meta necessária e reflete um coração verdadeiramente renascido, pois apenas os que estão em Cristo desejam um relacionamento mais íntimo com Deus. Devemos também entender que alguns crentes decidirão manter pecados e isso vai impedir uma comunhão com Deus. A razão disso é o persistente pecado em nossas vidas. Esta não é uma deficiência da parte de Deus, mas da nossa; o nosso pecado continua a ser uma barreira para a comunhão plena e completa com Deus, o que será realizado quando estivermos na glória.

Seja vossa oração: “Toma-me, Senhor, para ser Teu inteiramente. Aos Teus pés deponho todos os meus projetos. Usa-me hoje em Teu serviço. Permanece comigo, e permite que toda a minha obra se faça em Ti.” Esta é uma questão diária.”  Caminho a Cristo, 70.

“A educação e preparo da juventude é uma obra importante e solene. O grande objetivo a alcançar deve ser o adequado desenvolvimento do caráter, de modo que o indivíduo esteja corretamente habilitado para desempenhar os deveres da vida presente e entrar afinal na imortal vida futura. A eternidade revelará a maneira em que a obra tem sido feita. Se ministros e professores tivessem plena consciência de suas responsabilidades, veríamos um diferente estado de coisas no mundo hoje. Mas eles são demasiado estreitos em seus pontos de vista e propósitos. Não compreendem a importância do seu trabalho ou os seus resultados.” Educação, 32

Estamos nos preparando para encontrarmos com Deus?

SEGUNDA-FEIRA (15 de abril) PREPARANDO-SE PARA O CASAMENTO – O casamento é uma instituição divina. Ver Gên 2:24. Para que cumpra os desígnios divinos não pode ser realizado de qualquer maneira. A escolha do cônjuge deve ser feita através da oração. Embora a escolha da esposa fosse uma prerrogativa do pai do noivo, foi Deus, e não Abraão, quem escolheu a esposa para Isaque. Ver Gên.24:44. A oração é um fator indispensável para que a escolha do cônjuge venha de Deus.

 “Se homens e mulheres têm o hábito de orar duas vezes ao dia antes de pensar no casamento, devem fazê-lo quatro vezes quando pensam em dar esse passo. O casamento é uma coisa que influenciará e afetará sua vida, tanto neste mundo como no porvir. O cristão sincero não avançará os seus planos nesta direção sem ter o conhecimento de que Deus aprova seu proceder.” Mensagens aos Jovens, 460

Estar preparado para o casamento implica maturidade do casal. Maturidade pode ser avaliada pelo modo em que o casal responde algumas perguntas: Estão preparados para os desafios e alegrias da vida de casados? Sabem avaliar a diferença entre paixão e amor? Tem uma vida religiosa desenvolvida? Saíram da confusão e conflitos típicos da adolescência? São equilibrados e responsáveis? Conseguem relacionar-se com outros com respeito e de forma altruísta? Podem analisar um problema e resolvê-lo, ou tendem a permitir que o problema os prejudique? Tem desenvolvido atitudes sadias e apropriadas em relação ao sexo? 

Outro ponto que revela preparo para o casamento está relacionado com o jugo igual. A pesquisa tem mostrado que casais que partilham características comuns em certas áreas cruciais têm maior probabilidade de êxito no casamento. Essas áreas incluem idade, religião, preparo educacional, inteligência e formação social, cultural e étnica e religiosa. Isto não significa que o casamento entre pessoas que diferem em qualquer dessas áreas fracassará inevitavelmente.

A fidelidade e respeito entre o casal é outro ponto de preparo. Um namoro bem-sucedido requer consideração pela outra pessoa, seus sentimentos, preferências, ideias, familiares e amigos. Um casal cristão não pode admitir nenhum comportamento descuidado que pudesse produzir culpa e vergonha. Precisam reconhecer que o sexo torna-se fonte de alegria e realização somente dentro dos limites do casamento e entre um homem e uma mulher. Os namorados e noivos cristãos mantém relações sexuais somente depois de estarem casados.

A comunicação entre o casal é de suma importância. Casais felizes sabem como se comunicar efectivamente. Comunicam-se para obter compreensão mútua, solução eficaz para problemas, resolução criativa para conflitos e intimidade satisfatória. Podem conversar sobre qualquer problema sem sentir-se ameaçados. São capazes de compreender mensagens verbais e não-verbais. Procuram o momento apropriado para comunicar-se. Podem ser honestos sem ser cruéis ou sarcásticos. 

O respeito é outro ponto. Respeitam os sentimentos um do outro. Podem concordar em discordar sem ser desagradáveis. Outro ponto importante é compreender e aceitar o conjuge como um indivíduo único com traços positivos e negativos. Isso é essencial para construir um matrimônio saudável e feliz. Respeito próprio e respeito pelos outros cresce à medida que compreendemos nosso valor infinito como filhos e filhas de Deus, criados a Sua imagem, remidos por um preço infinito e chamados para servir. O casamento feliz é aquele em que o cônjuge não quer transformar o outro, mas o aceita como é, e procura torná-lo feliz.

TERÇA-FEIRA (16 de abril) PREPARANDO-SE PARA SER PAI E MÃE – Deus me deu o privilégio de ser pai de dois lindos meninos, e desejo que todos pais vivam essa experiência maravilhosa! Mas, ao mesmo tempo, vejo que cuidar de uma vida é uma das maiores responsabilidades que alguém pode ter. Minha esposa foi maravilhosa em dar a maior contribuição na educação moral e espiritual aos filhos. O Salmo 127 é muito próprio para ilustrar a alegria de um lar com crianças: “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.” Salmos 127:3-5

Embora as grandes mudanças na futura mãe sejam óbvias, um pai também muda muito enquanto espera pela chegada do filho. É hora do ajuste, enquanto ele muda sua autoimagem e seu relacionamento com sua esposa e os outros filhos para dar espaço a outro filho.

Acredito que o papel do pai é amar, cuidar, dar carinho e orientar no caminho correto. É ser um instrumento nas mãos de Deus na criação do filho. Por isso, o maior desafio não é ser pai, mas ser pai segundo o coração de Deus. Afinal, para isso, é preciso ser um exemplo de servo de Deus e ensinar os filhos no caminho da Verdade. Em Provérbios 22:6 está escrito: "Ensina a criança no caminho que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele."

O mundo de hoje tem sofrido com a decadência e o enfraquecimento da paternidade. O diabo tem feito de tudo para destruir a família, e a quantidade de filhos sem pais cresce absurdamente. Quanta tristeza! Que falta faz um pai de verdade, que ama a mãe e os filhos, que traz segurança e direção à sua família. Que falta que faz um pai, que guia o seu lar para o lugar mais seguro de todos: para a presença de Deus! O maior legado que um pai pode deixar para seus filhos é a fé e a obediência à Palavra de Deus.

A lição de hoje traz o exemplo de alguns pais bíblicos que deram a melhor educação aos seus filhos:

Lemos sobre o menino Jesus: “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” Lucas 2:52

Ana Disse: “Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito”. I Samuel 1:27

Sobre Sansão é-nos dito: “Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte.” Juízes 13:7.

Sobre Zacarias e Isabel lemos: “E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor.” Lucas 1:6

“Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, e irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto.” Lucas 1:13-17

“É privilégio dos pais levar os filhos consigo aos portais da cidade de Deus, dizendo: "Procurei instruir meus filhos no amor do Senhor, para fazer a Sua vontade e glorificá-Lo." A esses se abrirão as portas de par em par, e pais e filhos entrarão. Mas nem todos poderão entrar. Alguns serão deixados fora com os filhos, cujo caráter não se transformou pela submissão à vontade de Deus. Erguer-se-á uma mão, sendo pronunciadas as palavras: "Negligenciastes os deveres do lar. Deixastes de fazer a obra que teria habilitado a alma para um lar no Céu. Não podeis entrar." Fechar-se-ão as portas aos filhos, por não terem aprendido a fazer a vontade de Deus, e aos pais por haverem negligenciado as responsabilidades que sobre eles repousaram”. Manuscrito 31, 1909. Orientação da Criança, 13

“Se antes do nascimento de seu filho, a mãe é condescendente consigo mesma, egoísta, impaciente e exigente, esses traços se refletirão na disposição da criança. Assim muitas crianças têm recebido como herança quase invencíveis tendências para o mal”. O Lar Adventista, 256

QUARTA-FEIRA (17 de abril) PREPARANDO-SE PARA A VELHICE – O salmista orou assim: “Não me rejeites na minha velhice; quando me faltarem as forças, não me desampares”. Sal 71:9. Na velhice, ficamos com os olhos embaçados, com as pernas frouxas e com os braços sem vigor. Fechamos esse ciclo da vida dependendo de cuidados. Não conseguimos mais lidar com os desafios da vida com o mesmo vigor da juventude.

A velhice não é para os fracos. A longevidade é uma bênção de Deus, mas precisamos nos preparar para ela. A velhice é um privilégio, mas o seu fardo é pesado. Mesmo sendo chamada por alguns de idade de ouro, essa fase da vida não é sofrida. Muitos colhem na velhice os amargos frutos que plantaram na juventude.

Por um lado, se as nossas forças físicas vão sendo diminuídas na velhice, por outro lado nossa maturidade espiritual pode se robustecer. O salmista clamou a Deus e pediu: “Não me desampares, pois, ó Deus, até a minha velhice e às cãs; até que eu tenha declarado à presente geração a tua força e às vindouras o teu poder”. Salmo 71:18.

Durante a velhice Deus nos farta de bens e nos renova as forças. A velhice pode ser amarga e dolorosa se for vivida na solidão dos homens e no desamparo divino. Porém, se estivermos cercados de afeto e amparados pelo braço do Onipotente, poderemos desfrutar paz interior, mesmo em face da morte. O salmista disse que Deus é quem farta de bens a nossa velhice, de sorte que a nossa mocidade se renova como a da águia.” Sal 103.5.

Na velhice não podemos nos aposentar da vida. A aposentaria é o sonho dourado do trabalhador. Muitos anseiam tanto por ela que se esquecem de aproveitar a vida enquanto trabalham. Aqueles que se aposentam e vestem um pijama morrem cedo. Aqueles que se aposentam da vida e desistem dos sonhos na velhice, deixam de desfrutar as alegrias de ter cabelos brancos.

Abraão mostrou ter fé em Deus quando o Senhor mandou que ele abandonasse seu lar. Deus disse: “Sai da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que te mostrarei.” Gênesis 12:1. Quando Abraão tinha 99 anos e Sara 90 tiveram o filho da promessa. Moisés terminou o seu trabalho com 120 anos de idade. Que tal? 

O que é possível ser feito antes da idade de ouro para que, quando ela chegar, possamos estar bem emocionalmente? Os idosos podem construir boas relações com seus filhos para que estes cuidem deles. Davi viu que grande parte dos idosos ao seu redor não era feliz e que apresentava traços ruins de caráter. Ele notou que quanto mais as pessoas haviam sido mesquinhas e cobiçosas ao longo da vida, isto se acentuava de forma desagradável na velhice delas. Por exemplo, se haviam sido ciumentas, irritáveis e impacientes, tornavam-se assim mais ainda quando idosa. Uma vida temente a Deus fará toda a diferença nesta fase da vida!

Outro passo é lutar para não ficar ansioso e muito preocupado com os bens materiais. Não deixe que os bens materiais se torne um ídolo na vida. A avareza destrói a saúde. O idoso deve ter cuidado para não se privar de confortos da vida, quem sabe trabalhando mais do que deveria e precisaria, para ficar poupando devido ao medo do futuro, quando já tem o suficiente para uma vida com conforto com o que realmente necessita. 

É importante o idoso admitir que há limitações na sua memória, na sua capacidade de raciocinar, na sua força física. Admitindo suas limitações naturais da idade, é possível permitir receber ajuda, especialmente dos filhos. E cabe aos filhos ajudarem seus pais idosos, que cuidaram deles por muitos anos, com horas de sono perdidas, preocupações. Devem "honrar mãe e pai"

Como filhos e pais cristãos, como temos nos relacionado sobre este aspecto?  

QUINTA-FEIRA (18 de abril) PREPARANDO-SE PARA A MORTE – Podemos morrer a qualquer momento, por isso, devemos nos preparar para uma boa morte. A Bíblia menciona: “E, entretanto, não sabeis o que acontecerá amanhã! Pois que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um instante e depois se desvanece” Tiago 4: 14.

Ser colhido por uma morte inesperada é, talvez, a pior desgraça que pode acontecer a um cristão. Então, como deve ser a preparação para uma boa morte? Ela passa necessariamente por uma boa vida. E o contrário também pode ser assim explicado: para se viver bem é preciso preparar-se bem para a morte. O crente não deve temer a morte, mas sim depositar confiança em Deus. Diante desse temor reverente diante da morte, o que deve animar a cada fiel é uma fé viva. Esperar a vida eterna com Deus e com todos os salvos.

Paulo sabia que ia morrer e fez o devido preparo espiritual: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. II Timóteo 4:7,8

“Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” Filipenses 1:23

Estes são outros textos para o estudo de hoje: “Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.” I Coríntios 15:24-26

“E aproximaram-se os dias da morte de Davi; e deu ele ordem a Salomão, seu filho, dizendo: Eu vou pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem. E guarda a ordenança do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo quanto fizeres, e para onde quer que fores. Para que o Senhor confirme a palavra, que falou de mim, dizendo: Se teus filhos guardarem o seu caminho, para andarem perante a minha face fielmente, com todo o seu coração e com toda a sua alma, nunca, disse, te faltará sucessor ao trono de Israel.” I Reis 2:1-4

Talvez a morte seja um dos assuntos que as pessoas menos gostam de falar. É um assunto que aborrece as pessoas, mas é inevitável. Todos os dias temos contato com a morte de alguma forma. Em nossa família, em nossa vizinhança, em nossa cidade, em nosso país, no mundo. A morte está acontecendo a todo tempo e um dia seremos nós os protagonistas. Jesus Cristo abordou a morte em seus ensinos de forma bastante profunda; abordou com maestria, dando-nos certezas que podem nos fazer conviver de forma mais tranquila com ela

Muitos não têm certeza do que há depois da morte. Ficam confusos e acabam por ignorar que existe algo além dela. Jesus indicou claramente que há continuidade. Discorreu claramente sobre o destino do ser humano após a morte, demonstrando que a vida não encerra no túmulo. Mas qual o destino de uma pessoa após sua morte? Deus irá ressuscitar os Seus filhos aquando da Sua segunda volta. Temos esta esperança

É importante o idoso crente organizar os seus bens antes da morte. Deve existir uma conversa franca entre filhos e herdeiros e o idoso sobre a herança que vai ficar, e, se estiverem de acordo, uma parte pode ser deixada para ser aplicada na obra da pregação do evangelho. Veja este texto inspirado:

“Muitos testamentos foram feitos de modo tão vago que não tiveram validade perante a lei, e deste modo grandes somas para a causa foram perdidas. Nossos irmãos devem reconhecer que sobre eles, como fiéis servos na causa de Deus, pesa a responsabilidade de agir prudentemente nesses casos, a fim de assegurar para o Senhor o que Lhe pertence. Muitos manifestam nesse aspecto uma delicadeza descabida. Procedem como se estivessem pisando terreno proibido quando apresentam a pessoas de idade avançada ou inválidos o assunto de seus bens, a fim de saber como pretendem dispor deles. Entretanto, é este um dever tão sagrado como pregar o Evangelho para a salvação de almas. Consideremos uma pessoa que tem dinheiro e propriedades de Deus em suas mãos. Ela está prestes a transferir sua mordomia. Colocará ela os recursos, que de Deus recebeu emprestados para serem usados em Sua obra, nas mãos de ímpios, simplesmente por serem estes seus parentes? Não devem homens cristãos tomar o devido interesse e experimentar ansiedade, tanto pelo bem-estar futuro dessa pessoa como pelos interesses da causa de Deus, a fim de que disponha retamente dos bens de seu Senhor — os talentos que lhe foram confiados para sábio uso? Quererão seus irmãos que a assistem, vê-la deixar esta vida, ao mesmo tempo privando de recursos a tesouraria de Deus? Isto significaria uma perda tremenda para ela e para a causa; porque, abandonando seus talentos nas mãos de indivíduos que não têm nenhuma consideração pela verdade divina, de caso pensado coloca os talentos em um lenço e os esconde na terra.” Conselhos a Idosos, 104

SEXTA-FEIRA (19 de abril) LEITURA ADICIONAL E COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 3 (2º trimestre 2019) PREPARANDO-SE PARA AS MUDANÇAS – Deus promete-nos a vida eterna e, somos convidados a estarmos preparados para viver com Deus. Como pecadores não temos esperança de vida além dos 70 ou 80 anos. O salmista Davi assim escreveu: "Porque o homem, são seus dias como a erva; como a flor do campo, assim floresce, pois, passando por ela o vento logo se vai, e o seu lugar não conhece mais." Salmo 103: 15 e 16.

Foi para restituir a vida ao homem, o direito de viver para sempre, que Cristo veio ao mundo. "O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu porém, vim para que tenham vida e a tenham em abundância." João 10:10.

Mas, enquanto Jesus não vem devemos fazer escolhas inteligentes aqui, para facilitar o processo de adaptação ao céu. Escolher um parceiro para a vida, uma casa, uma profissão, ter filhos, tudo isso deve ser acompanhado de preparo que envolve; muita oração, estudo da bíblia e aconselhamento espiritual com pessoas mais experientes.

Em nosso preparo para a vida devemos atentar para as amizades que escolhemos. Pois, isso vai determinar o nosso sucesso ou fracasso para esta vida e a futura:

“Pessoa alguma que tema a Deus pode ligar-se a outra que não O tema sem correr perigo. “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” Amós 3:3 (VA), revista e atualizada. A felicidade e a prosperidade do casamento dependem da unidade dos cônjuges; mas entre o crente e o incrédulo há uma diferença radical de gostos, inclinações e propósitos. Estão servindo a dois senhores, entre os quais não pode haver concordância. Por mais puros e corretos que sejam os princípios de um, a influência de um cônjuge incrédulo terá uma tendência para afastar de Deus”. Mensagens aos Jovens, 464

O nosso preparo para a volta de Cristo envolve compromisso com a missão. O que você pensaria de alguém que dissesse que ama a namorada ou esposa, mas não dispensa as atenções especiais como; dizer palavras de afeto e expressar atos de amor? O mesmo pode acontecer com alguns a nível de igreja. Alguém pode dizer que está comprometido com a missão de Cristo, mas não fazer nada.

O que os seguintes versos mostram sobre o amor de Jesus demonstrado em Suas atitudes?

“Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.” João 15:13

“Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” Romanos 5:6-8.

Em qualquer nível de relacionamentos, a nossa motivação deve ser agradar a pessoa que amamos, como vemos no seguinte verso: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” João 14:21.

Luís Fonseca