Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2018

LIÇÃO 3 - JESUS E O LIVRO DE APOCALIPSE


lc
COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 3 (2º trimestre de 2018) JESUS E O LIVRO DE APOCALIPSE

VERSO ÁUREO: “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.” Apocalipse 3:21

INTRODUÇAO (sábado 14 de abril) - O livro do Apocalipse foi escrito entre os 90 e 95 d.C pelo apóstolo João. 

Apocalipse significa algo que já foi revelado. Por isso o livro começa assim: “Revelação de Jesus Cristo que foi dada a João por Deus para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer."
Este livro é cheio de revelações sobre coisas que já aconteceram e de outras que ainda terão lugar. O livro menciona sobre o juízo de Deus, que é certo. Dá-nos um pequeno vislumbre do céu e de todas as glórias que aguardam aqueles que mantêm as suas vestes brancas. O livro de Apocalipse leva-nos através das sete pragas que cairão no mundo, com todas as suas aflições, e do fogo final que todos os infiéis, Satanás e os anjos maus terão de enfrentar no final do milênio. O livro recorda a queda de Satanás e a condenação que o aguarda juntamente com seus anjos. Vemos também as tarefas de todas as criaturas e anjos do céu, assim como as promessas dos santos que viverão para sempre com Jesus na Nova Jerusalém. Como João, é difícil encontrar palavras para encarar as visões que teve e estarmos preparados para a volta de Cristo.

O Apocalipse começa com cartas às sete igrejas da Ásia Menor, revelando em seguida a série de devastações derramadas sobre a terra; a marca da besta, "666"; a decisiva batalha do Armagedom; o aprisionamento de Satanás; o reino do Senhor, o julgamento do grande trono branco e a natureza da cidade eterna de Deus, para descrever o que lemos no livro do Apocalipse. O livro de Apocalipse é a culminação de profecias sobre o fim dos tempos, começando com o Antigo Testamento. A descrição do anticristo mencionado em Daniel 9:27 é totalmente desenvolvida no capítulo 13 de Apocalipse e
Jesus é visto de forma exuberante em no livro. 

Este livro enaltece Jesus e dá muitos nomes diferentes à Cristo. Cada um deles revela algo especial sobre o Senhor e Seu papel no plano divino da redenção. 

Alfa e Omega, Senhor e Todo Poderoso. Apoc 1:8: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que é, que era e que há de vir.”

Filho do Homem. Apoc 1:13: “No meio deles estava um ser parecido com um homem, vestindo uma roupa que chegava até os pés e com uma faixa de ouro em volta do peito.”

Primeiro e Último. Apoc  1:17: “Quando eu o vi, caí aos seus pés, como morto. Porém ele pôs a mão direita sobre mim e disse: Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último.”

Aquele que Vive. Apoc  1:18: “Eu sou aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre. Tenho autoridade sobre a morte e sobre o mundo dos mortos.”

Filho de Deus. Apoc 2:18: “Ao anjo da igreja de Tiatira escreva o seguinte: “Esta é a mensagem do Filho de Deus, que tem olhos que brilham como o fogo e pés brilhantes como o bronze polido."

Testemunha. Apoc 3:14: Ao anjo da igreja de Laodicéia escreva o seguinte: “Esta é a mensagem do Amém, da testemunha fiel e verdadeira, daquele por meio de quem Deus criou todas as coisas.”

Leão da Tribo de Judá. Apoc. 5:5: “Então um dos líderes me disse: Não chore. Olhe! O Leão da tribo de Judá, o famoso descendente do rei Davi, conseguiu a vitória e pode quebrar os sete selos e abrir o livro.”

Criador.  Apoc  4: 11: “Senhor nosso e nosso Deus! Tu és digno de receber glória, honra e poder, pois criaste todas as coisas; por tua vontade elas foram criadas e existem.”

Raiz de Davi. Apoc 5:5 “ Então um dos líderes me disse: “Não chore. Olhe! O Leão da tribo de Judá, o famoso descendente do rei Davi, conseguiu a vitória e pode quebrar os sete selos e abrir o livro.”

Pastor. Apoc 7:17: “Pois o Cordeiro, que está no meio do trono, será o pastor dessas pessoas e as guiará para as fontes das águas da vida. E Deus enxugará todas as lágrimas dos olhos delas."

Messias. Apoc 12:10: “Então ouvi uma voz forte no céu, que dizia: Agora chegou a salvação de Deus! Agora Deus mostrou o seu poder como rei! Agora o Messias que ele escolheu mostrou a sua autoridade! Pois o acusador dos nossos irmãos, que estava diante de Deus para acusá-los dia e noite, foi jogado fora do céu."

Fiel e Verdadeiro. Apoc 19: 11: “Em seguida vi o céu aberto, e apareceu um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e combate com justiça."

Palavra de Deus. Apoc 19:13: “A sua capa estava encharcada de sangue. Ele se chama “A Palavra de Deus”.

Reis dos Reis e Senhor dos senhores : Apoc. 19:16. “Na capa e na perna dele estava escrito este nome: “Rei dos reis e Senhor dos senhores.”

A Brilhante Estrela da Manhã. Apoc  22:16. “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.”

É bom lembrar que a igreja Adventista do Sétimo Dia interpreta as profecias de forma historicista. Ellen White não seguiu nenhum outro método de interpretar as profecias de Daniel e Apocalipse, além do método historicista. Seus comentários do livro de Apocalipse apresentam da maneira mais clara possível, a compreensão historicista do que as profecias de Daniel e Apocalipse revelam na história, desde os tempos de Daniel e João até o estabelecimento do reino eterno de Deus. Observe os seguintes comnetários: “O livro de Apocalipse revela ao mundo o que foi, o que é e o que será; destina-se para nossa instrução sobre como serão os fins dos tempos. Deveria ser estudado com reverente respeito. Somos privilegiados em conhecer o que é para nossa compreensão…” Ellen G. White Comments, SDABC, vol. 7, pág. 954.

“No Apocalipse são pintadas as coisas profundas de Deus… Suas verdades são dirigidas aos que vivem nos últimos dias da história da Terra, como o foram os que viviam nos dias de João. Algumas das cenas descritas nesta profecia estão no passado e algumas estão agora tendo lugar: algumas apresentam-nos o fim do grande conflito entre os poderes das trevas e o Príncipe do Céu, e algumas revelam os triunfos e o regozijo dos remidos na Terra renovada.” Atos dos Apóstolos, pág. 58
“As profecias que tiveram seu parcial cumprimento na queda de Jerusalém, têm mais direta aplicação aos derradeiros dias.” O Maior Discurso de Cristo, págs. 120, 121.

DOMINGO (15 de abril) A ESTRUTURA DE APOCALIPSE – Na base do livro do Apocalipse estão dois pontos: profecias e história. Como vimos na introdução de ontem, nós, Adventistas, adotamos o método historicista de interpretação das profecias.Vamos relembrar dois textos: “O livro de Apocalipse revela ao mundo o que foi, o que é e o que será; destina-se para nossa instrução sobre como serão os fins dos tempos. Deveria ser estudado com reverente respeito. Somos privilegiados em conhecer o que é para nossa compreensão…” Ellen G. White Comments, SDABC, vol. 7, pág. 954.

“No Apocalipse são pintadas as coisas profundas de Deus… Suas verdades são dirigidas aos que vivem nos últimos dias da história da Terra, como o foram os que viviam nos dias de João. Algumas das cenas descritas nesta profecia estão no passado e algumas estão agora tendo lugar: algumas apresentam-nos o fim do grande conflito entre os poderes das trevas e o Príncipe do Céu, e algumas revelam os triunfos e o regozijo dos remidos na Terra renovada.” Atos dos Apóstolos, pág. 58.

Quando a profecia é comparada com a história, torna-se fácil de compreender. De Apocalipse capítulos de 1-11 vemos a história, e do capítulo 13-22 vemos as profecias relacionadas com o tempo do fim. Em Apocalipse 12 vemos a transição entre o que é história e profecia. Uma leitura atenta do Apocalipse 12 mostra-nos algo interessante: João teve visões que se referem aos poderes mundiais que governaram o mundo a partir do tempo dele, ou seja; após Jesus ir para o céu foi mostrado a João, através de símbolos de bestas, assim como foi a Daniel, a sequência detalhada dos poderes até a volta de Jesus, a Pedra lançada do céu nos pés da estátua de Nabucodonosor. A mesma sequência que Daniel viu e profetizou, João agora viu em detalhes confirmando o domínio que Deus tem sobre os reinos da terra, pois ele é Onipotente, Onisciente e Onipresente. Este capítulo fala da história, desde a expulsão de Lúcifer do céu, passando pela perseguição de Cristo e da igreja na idade média, e reporta-nos para a perseguição final dos filhos de Deus que são fiéis aos Seus mandamentos.

Vejam algumas profecias que já se cumpriram e outras que se cumprem em nossos dias: A profecia das sete igrejas, que se refere a história da igreja de Deus em Apocalipse 2 e 3. Apresento apenas as informações mais importantes a respeito:
Primeira igreja: Éfeso, de 34 a 100 – Boas obras
Segunda igreja: Esmirna, de 100 a 313 – Igreja perseguida
Terceira igreja: Pérgamo, de 313 a 538 – Igreja popularizada
Quarta igreja: Tiatira, de 538 a 1517 – Igreja deturpada
Quinta igreja: Sardes, de 1517 a 1833 – Reforma espiritual
Sexta igreja: Filadélfia, de 1833 a 1844 Igreja missionária
Sétima igreja: Laodicéia, de 1844 até o fim – Igreja morna

A profecia dos sete selos, que se refere à natureza da luta em que envolve as respectivas igrejas. Esta profecia encontra-se em Apocalipse capítulo 6. Como a anterior, serão apresentadas apenas informações importantes. Também pode ser melhor estudada no diagrama acima mencionado.
Primeiro selo: cavalo branco: de 34 a 100 – pureza
Segundo selo: cavalo vermelho: de 100 a 313 – perseguição
Terceiro selo: cavalo preto: de 313 a 538 – apostasia
Quarto selo: cavalo amarelo: de 538 a 1517 – trevas espirituais
Quinto selo: reforma espiritual: de 1517 a 1755 – almas em baixo do altar
 exto selo:  mensagem do advento: de 1755 a …  sinais do fim
Sétimo selo: Apoc 8:1  é a segunda vinda de Jesus Cristo, que não se cumpriu ainda, como sabemos.

As sete trombetas, que se refere as guerras de natureza política, mas com consequências no mundo religioso. Igualmente apenas faremos referência. Pode ser estudado em diagramas. Apoc. 8: 6-13; 9:1-21; 10:15-19.
Primeira trombeta: Invasão da Europa pelos visigodos comandados por Alarico. Ver Apoc. 8:6-7, com destruição de Roma.
Segunda trombeta: Invasão pelos Vândalos de Genserico, vindo pelo mar e destruindo Roma em 455, saquendo-a por 14 dias e posterior destruição da esquadra naval com morte de 1/3 do exército romano, cerca de 30.000 soldados.
Terceira trombeta: Invasão pelos Hunos de Átila, que em 452, na batalha às margens do Marne, eliminou 150.000 soldados romanos.
Quarta trombeta: Invasão dos Érulos de Odoacro, que destruiu definitivamente o Império Romano Ocidental, em 476, sendo deposto Rômulo, o último dos Césares.
Quinta trombeta: Período de muitas guerras, onde se distinguiram as conquistas dos Sarracenos, Maomé e os Otomanos, e que culminou com a queda de Constantinopla, em 1453, e o fim do Império Romano Oriental. Terminou de todo o império romano.
Sexta trombeta: Foi o período de supremacia turca e árabe, e que terminou em 11 de agosto de 1840 com o fim da supremacia turca e a queda do império otomano.
Sétima trombeta, está em vigor, com nações iradas e preparo para o fim do mundo e segunda volta de Cristo.

E mais: O movimento religioso do séc. XIX, previsto no cap. 10 de Apocalipse.
As duas testemunhas, Velho e Novo Testamentos oprimidas pelo papado, Apoc. 11:3-6.
As duas testemunhas mortas pela França, mas que ressuscitou depois de 3 anos e meio. Apoc. 11:7-14.

De Apocalipse 13 em diante vemos os acontecimentos tendo lugar nos nossos dias e, para um futuro bem próximo. Estamos preparados para compreender e ensinar as profecias, algo que já nos foi revelado, e para a volta de Cristo?

SEGUNDA-FEIRA (16 de abril) IMAGENS DE JESUS – Veja como Jesus é retratado em Apocalipse com imagens tão lindas e importantes. Jesus é visto de forma exuberante em Apocalipse. Este livro enaltece Jesus e dá muitos nomes diferentes a Cristo. Cada um deles revela algo especial sobre o Senhor e Seu papel no plano divino da redenção humana.

Alfa e Omega, Senhor e Todo Poderoso. Apoc 1:8: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que é, que era e que há de vir.”

Filho do Homem. Apoc 1:13: “No meio deles estava um ser parecido com um homem, vestindo uma roupa que chegava até os pés e com uma faixa de ouro em volta do peito.”

Primeiro e Último. Apoc  1:17: “Quando eu o vi, caí aos seus pés, como morto. Porém ele pôs a mão direita sobre mim e disse: Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último.”

Aquele que Vive. Apoc  1:18: “Eu sou aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre. Tenho autoridade sobre a morte e sobre o mundo dos mortos.”

Filho de Deus. Apoc 2:18: “Ao anjo da igreja de Tiatira escreva o seguinte: “Esta é a mensagem do Filho de Deus, que tem olhos que brilham como o fogo e pés brilhantes como o bronze polido."

Testemunha. Apoc 3:14: Ao anjo da igreja de Laodicéia escreva o seguinte: “Esta é a mensagem do Amém, da testemunha fiel e verdadeira, daquele por meio de quem Deus criou todas as coisas.”

Leão da Tribo de Judá. Apoc. 5:5: “Então um dos líderes me disse: Não chore. Olhe! O Leão da tribo de Judá, o famoso descendente do rei Davi, conseguiu a vitória e pode quebrar os sete selos e abrir o livro.”

Criador.  Apoc  4: 11: “Senhor nosso e nosso Deus! Tu és digno de receber glória, honra e poder, pois criaste todas as coisas; por tua vontade elas foram criadas e existem.”

Raiz de Davi. Apoc 5:5 “ Então um dos líderes me disse: “Não chore. Olhe! O Leão da tribo de Judá, o famoso descendente do rei Davi, conseguiu a vitória e pode quebrar os sete selos e abrir o livro.”

Pastor. Apoc 7:17: “Pois o Cordeiro, que está no meio do trono, será o pastor dessas pessoas e as guiará para as fontes das águas da vida. E Deus enxugará todas as lágrimas dos olhos delas."

Messias. Apoc 12:10: “Então ouvi uma voz forte no céu, que dizia: Agora chegou a salvação de Deus! Agora Deus mostrou o seu poder como rei! Agora o Messias que ele escolheu mostrou a sua autoridade! Pois o acusador dos nossos irmãos, que estava diante de Deus para acusá-los dia e noite, foi jogado fora do céu."

Fiel e Verdadeiro. Apoc 19: 11: “Em seguida vi o céu aberto, e apareceu um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e combate com justiça.
Palavra de Deus. Apoc 19:13: “A sua capa estava encharcada de sangue. Ele se chama “A Palavra de Deus”.

Reis dos Reis e Senhor dos senhores : Apoc. 19:16. “Na capa e na perna dele estava escrito este nome: “Rei dos reis e Senhor dos senhores.”

A Brilhante Estrela da Manhã. Apoc  22:16. “Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.”

Eu gosto muito da imagem do Cordeiro que foi dada a Cristo: “E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.” Apocalipse 13:8. Temos vivido e pregado a Sua morte, ressurreição, ascensão ao céu e intercessão em nosso favor?

TERÇA-FEIRA (17 de abril) O TEMA DO SANTUÁRIO EM APOCALIPSE - A tipologia do santuário é um auxiliar maravilhoso para compreendermos as principais facetas do ministério de Cristo em nosso favor. O santuário construído no deserto ficava no centro da congregação e era dividido em três partes:

O átrio ou Pátio - Era o único lugar do santuário onde podia entrar o adorador. Neste lugar eram também realizados os sacrifícios. Podemos dizer que o pátio do santuário representa a terra.

O Lugar Santo - a) O candelabro era feito de ouro puro e tinha sete lâmpadas que deviam ficar permanentemente acesas. Em Apocalipses 1:12-13, João descreve Jesus andando entre sete candelabros e o verso 20 nos diz que os candelabros representam as sete igrejas. Dentro desta simbologia podemos ver o Espírito Santo atuando na igreja possibilitando que seja a luz do mundo. b) O altar de incenso era, assim como o altar dos holocaustos. Era aqui que os sacerdotes queimavam diariamente incenso como interseção pelo povo de Israel. Este incenso queimado representava as orações dos santos. Ver Apocalipse 8:4. c) A mesa e os pães da proposição era feita de madeira de acácia e estava recoberta de ouro puro. Doze pães eram colocados sobre ela formando duas colunas de seis pães. O significado dos pães representa Jesus que é pão da vida. Ver João 6:5

Lugar Santíssimo - Após o segundo véu, estava o lugar santíssimo. Ver Heb. 9:3, onde só o sumo-sacerdote podia entrar, e uma vez ao ano, e era no dia da expiação. Lá havia a arca da aliança contendo as tábuas dos 10 mandamentos. Havia dois querubins de ouro e suas asas cobriam o propiciatório, que era a tampa da arca. Era entre estes querubins que se manifestava a Shekinah, a manifestação de Deus em forma de uma luz gloriosa. Neste sentido, a arca representava o trono de Deus.

O santuário da terra é uma cópia do verdadeiro santuário que está no céu. O Apocalipse traz uma estrutura desenvolvida em torno do santuário. O santuário do céu apresenta apenas os dois compartimentos; o santo e o santíssimo, pois no céu não havia a necessidade de oferecer sacrifícios de animais.

Veja que o seguinte texto mostra a atuação de Cristo no lugar santo que teve lugar logo depois de sua ascensão: “Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer. E logo fui arrebatado em espírito, e eis que um trono estava posto no céu, e um assentado sobre o trono.” Apocalipse 4:1,2. Quando Jesus aparece pela primeira vez em apocalipse Ele é visto no meio dos castiçais. Ver também Apoc 1: 10-18.

Quando entendemos e aceitamos que há um santuário no céu, torna-se fácil compreender as expressões: Sacerdote e Sumo-Sacerdote, referentes à Cristo. Logo que Jesus subiu ao céu, quarenta dias depois da sua ressurreição, Ele entrou no lugar Santo do santuário celestial para fazer intercessão pela humanidade. De acordo com as profecias de Daniel 8 e Apocalipse 10, no ano de 1844, Ele entrou no lugar Santíssimo, para além de interceder, também para fazer juízo.

É curioso que em Apocalipse 11:19 Jesus é visto dentro do lugar santíssimo: “E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e grande saraiva.” Apocalipse 11:19.Como sabemos que este é o lugar santíssimo? Porque a arca da aliança original está no lugar santíssimo ou santo dos santos. Desde 1844 Jesus está exercendo o Seu ministério no lugar santíssimo, e a compreensão do santuário do céu mostra que somente Jesus pode perdoar os pecados da humanidade e interceder por nós.

Hoje, Jesus está no santuário celestial e recebe os pedidos que lhe fazemos e, para além de nos perdoar, Ele atende as nossas necessidades. É tão confortador sabermos que temos um Deus maravilhoso que intercede por nós e cuida de nós! Jesus nos atende sem mediação de outras pessoas ou ídolos: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.” Êxodo 20:4,5. E para além de Mediador é o nosso Advogado de defesa e Juíz.

“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” Atos 4:12. Ver também João 14:6

“O santuário do céu, no qual Jesus ministra em nosso favor, é o grande original, de que o santuário construído por Moisés foi uma cópia. Assim como no santuário terrestre havia dois compartimentos, o santo e o santíssimo, existem dois lugares santos no santuário celestial. A arca contendo a lei de Deus, o altar de incenso e outros instrumentos, que se encontravam no santuário de baixo, também têm sua parte correspondente no santuário de cima. Em santa visão, foi permitido ao apóstolo João penetrar no Céu, e ele contemplou ali o castiçal e o altar de incenso e quando “abriu-se no céu o templo de Deus”, contemplou também “a arca do Seu concerto”. Apoc. 11:19” História da Redenção, 377.

“Enquanto Jesus, nosso Intercessor, pleiteia por nós no Céu, o Espírito Santo efetua em nós tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade. Todo o Céu está interessado na salvação da alma. Então, que razão temos nós para duvidar de que o Senhor quer ajudar-nos, e nos ajuda? Nós que ensinamos o povo precisamos ter pessoalmente vital ligação com Deus. No Espírito e na Palavra, devemos ser para o povo como um manancial, porque Cristo é em nós uma fonte a jorrar para a vida eterna. A tristeza e o sofrimento podem provar nossa paciência e nossa fé; mas o brilho da presença do Invisível está conosco, e temos de esconder o próprio eu atrás de Jesus.” E Recebereis Poder, MM 1999, 351.

QUARTA-FEIRA (18 de abril) CRISTO NO APOCALIPSE: PARTE I – Tudo no livro de Apocalipse tem o propósito de revelar Jesus Cristo: “Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo.” Apocalipse 1:1.

Veja como Jesus é retratado nesta descrição de João: “João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém. Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.” Apocalipse 1:4-8.

O Apocalipse mostra o ministério de Cristo em favor da humanidade, mas dá uma ênfase especial à Sua morte em nosso favor e à Sua segunda volta conforme o verso 7.  No passado, Cristo foi a fiel testemunha e o primogênito dos mortos; no presente, Ele é Aquele que nos ama e nos libertou dos nossos pecados, v. 5; no futuro, vem com as nuvens e todo olho o verá ... e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele , v. 7. A declaração de que Cristo nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus, v. 6 é a declaração básica de Êxodo 19:6, séculos mais tarde citada por Pedro. I Ped. 2:5, 9. Amém?

O verso 5 completa-se com a seguinte explicação: “Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por Suas chagas, fostes sarados”. I Pedro 2:24.  A expiação de substituição refere-se ao fato de que Jesus Cristo morreu em favor de todos os pecadores. As Escrituras ensinam que todos os homens são pecadores. Veja Romanos 3:9-18 e Romanos 3:23. O preço por nosso pecado é a morte. Romanos 6:23 diz-nos: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.”

Este versículo ensina-nos várias coisas: Sem Cristo, todos nós vamos morrer e passar a eternidade separados de Deus como pagamento por nossos pecados. Nas Escrituras, a morte refere-se à separação. Logicamente, todos morreremos, mas alguns viverão no paraíso com o Senhor por toda a eternidade. A segunda coisa que este versículo ensina-nos é que a vida eterna está disponível somente através de Jesus Cristo. Isto é a Sua expiação substitutiva. Jesus Cristo morreu em nosso lugar quando foi crucificado. Nós merecíamos ser pendurados na cruz para morrer, pois somos nós que vivemos vidas de pecado. No entanto, em nosso lugar, Cristo tomou sobre Si a punição. Veja estes textos: “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”. II Coríntios 5:21.

O verso 7 fala da esperança da volta de Cristo que deve conservar-nos vivos. A 2ª volta de Jesus é uma doutrina que traz confiança na Bíblia e comunica-nos a esperança de vivermos em perfeita paz no reino de Deus. Milhões de pessoas recitam a oração do “Pai Nosso” e recitam: “Venha o Teu Reino”. E quando repetem a oração do credo, declaram: “Há de vir para julgar os vivos e os mortos”. Esta doutrina encontra-se em toda a Bíblia; tanto no Velho como no Novo Testamentos. Todas as religiões cristãs aceitam esta doutrina, embora algumas a interpretam de formas diferentes do que Bíblia ensina. A Bíblia termina desta forma: “Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus.” Apoc. 22:20.

A volta de Jesus vai trazer alívio para os sofredores, vai proporcionar paz real e a harmonia em todo o universo. Os filhos de Deus podem estar sobrecarregadas por causa de: 1) Problemas Familiares. A rotina de uma casa em conflito é um dos motivos que mais tem sobrecarregado as pessoas. Relacionamento conjugal incompatível, pais e filhos, genros, noras, sogros e sogras. Alguns dos que lêem estas palavras podem testemunhar isso. 2) Problemas Financeiros. A preocupação advinda de uma crise financeira é simplesmente assoladora, principalmente quando não há recursos para se efetuar os pagamentos básicos. Daí surgem as pressões, perde-se o sono e a sobrecarga se multiplica. 3) Problemas de doenças. Tantas são as moléstias que assolam o mundo, e o filho de Deus não está imune a estas coisas. 4) Problemas Espirituais. São pessoas que não sabem a origem de tantos problemas e sensações estranhas. Aparentemente não tem motivos, mas na verdade existe uma ação maligna que tira o vigor, desestimula e enfraquece a alma. Temos de estar seguros nas promessas de Deus: “E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” Apocalipse 21:4.

Você aceita o amor de Deus para a sua salvação e está preparado para a volta de Cristo?

QUINTA-FEIRA (19 de abril) CRISTO NO APOCALIPSE: PARTE II – A lição de hoje mostra a gloriosa visão que João teve de Cristo: “Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta, que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia. E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; e no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro. E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo; e os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas. E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece. E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; e o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.” Apocalipse 1:10-18.

Esta visão de João aconteceu no dia de sábado. O dia do Senhor é o sábado. João viu Jesus no lugar santo do santuário, pois ali estavam os castiçais. João caiu aos pés de Cristo.

O verso 14 mostra a cabeça e cabelos brancos como a lã, e brancos como a neve. Jesus é o Ancião de Dias que possui cabelos brancos, ver Dan 7:9, significa a preexistência eterna de Jesus, com pura e perfeita sabedoria e dignidade. O verso 14 menciona os olhos como chamasde fogo. O olhar de Jesus busca e penetra todas as coisas, como o fogo que penetra o metal. Ele é Deus, com olhos como de fogo que transfere o amor santo e remove tudo aquilo que resiste a este amor. Ele possui olhos de amor e zelo por Seu povo, como um Noivo. Ver Apoc 2:18-23 . O verso 15 menciona os pé de Cristo como a latão reluzente de bronze. Ele julga o pecado. O Seus pés são semelhantes a latão reluzente, que julgam todos os Seus inimigos. Como um poderoso guerreiro. Jesus está comprometido em pisar vitoriosamente sobre Jezabel. Ele colocará todos os Seus inimigos debaixo de Seus pés. Ver Sal 110. 

No verso 15 descreve a  voz como uma voz de muitas águas. Ele possui uma voz poderosa, como em Genesis 1, e que comanda os exércitos do Céu e da Terra. Ver Joel 2:11. “O Senhor levanta a voz diante do seu exército; porque muitíssimo grande é o seu arraial…”

No verso 16 João vê as sete estrelas na mão direita de Cristo. Jesus segura na Sua mão as nossas vidas, com a promessa de dar-nos unção, direção e proteção. Ele demonstra ternura para conosco, mesmo quando nos sentimos inadequados ou quando falharmos. Jesus segura Seus líderes na Sua mão, enquanto nos ajuda a realizar o que Ele nos ordenou. Ainda no verso 16 João vê a espada de dois gumes que sai de Sua boca. Jesus libera o poder do Espírito Santo e Seus juízos. Com zelo, Ele peleja por nós com a espada de Sua boca, contra todo aquele que nos opõe. O fôlego de Sua boca é outra forma de expressar o poder de Sua palavra, a Bíblia Sagrada. Ver Efésios 6:17. E o rosto de Jesus como um sol? Ele traz fascinação à Sua Igreja chamando a sua atenção, e o Seu rosto é uma arma contra os Seus inimigos, uma vez que é impossível olhar diretamente ao sol. Ele é a Estrela da Manhã, que nos enche de brilho. Lemos em II Tes 2:8 “ e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda.”

João ficou impressionado com a visão que teve de Jesus. Somos impressionados diariamente com a presença de Jesus através da comunhão que mantemos com Ele?

SEXTA-FEIRA (20 de abril) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO 3 (2º trimestre de 2018) JESUS E O LIVRO DE APOCALIPSE - Jesus é a figura central do Apocalipse. Especialmente nesse livro, Jesus é apresentado de maneira muito original em comparação com os outros escritos do Novo Testamento. Para compreender melhor esse assunto, é necessário partir do termo com o qual o livro é conhecido: “Apocalipse”, palavra grega, que significa “revelação” e, mais exatamente, a revelação da presença e da ação de Jesus ao lado do Seu povo na sua história.

O conteúdo do livro, expresso na linguagem simbólica própria do gênero literário apocalíptico, tem o objetivo de educar os fiéis a descobrir os traços da presença e da ação do Cristo Ressuscitado e vitorioso na história da igreja, e ensinar como permanecer fiéis a Ele nas provas e nos desafios. Amém?

Assim como Jesus Cristo é o personagem central do Apocalipse, a segunda vinda de Cristo, em glória e majestade, é o acontecimento mais importante deste livro profético. Cada cena do drama profético do Apocalipse aponta para o retorno de Jesus. É a culminação do grande conflito entre o bem e o mal, e o momento em que Satanás será acorrentado e finalmente destruído.

O livro do Apocalipse começa com o anúncio do seu título e com uma bênção dirigida aos que prestam diligente atenção às suas solenes declarações proféticas: 1:1-3: “Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João, o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu. Bem-aventurados aqueles que leem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.”  

Somos obedientes a Deus guardando a Sua Palavra?

O livro termina falando da volta de Cristo: “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.” Apocalipse 22:20,21. Estamos preparados para a volta de Cristo ou para a morte?

Luís Carlos Fonseca