Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2018

LIÇÃO 2 - EU VEJO, EU QUERO, EU PEGO

lc
 
VERSO ÁUREO: “E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.” Mateus 13:22

INTRODUÇÃO (sábado 6 de janeiro) – O ser humano é egoísta por natureza, e isso tem levado muitos filhos de Deus a se envolverem com os assuntos materiais e a desprezar as coisas de Deus. A avareza é filha do egoísmo e se constitui em idolatria. Ver Col 3:5; Ef 5:5 e Mat 6:24. O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males; mentiras, enganos, subornos, injustiças, roubos, rixas, inimizades. Ver I Tim. 6:6-10. A cobiça é o desejo desordenado de possuir coisas e riquezas com o fim de satisfazer as exigências da vida. Ver Mat 13:22. Os avarentos não podem herdar o reino de Deus. Ver I Co 6:10. A publicidade comercial apela constantemente e explora à cobiça do coração do homem. Ver I João 2:16-17. Precisamos vigiar sempre.

Deus pede para trabalharmos, ver I Tes 4:11,12, para sermos prósperos, ver III João 2, para vivermos de forma honrada, ver I Tim. 3:3, para não acumularmos tesouros sobre a terra, ver Mat 6:19-21 e Luc 12:32-34. Deus pede também para possuirmos o necessário para a sobrevivência , ver I Tim. 6:6-10 e I Tes 4:11-12 e para termos recursos para ajudar os necessitados, ver Efésios 4:28; I Tim 6:17; I Cor 16:1-2 e Atos 20:35; nunca pondo os nossos interesses acima do reino de Deus. Ver Mateus 6:19-34.

Não deixemos que a avareza e a idolatria tomem conta de nós, para isso precisamos guardar três princípios: Jesus é o dono e Senhor de tudo o que possuímos, ver Sal. 24.1; Fil 2:11; Atos 4:32 e Luc 14:33. A vida do homem não consiste no que ele possui, ver Mat 4:4 e Luc 12:15. E é melhor dar do que receber. Ver Atos 20:35.

A irmã Ellen White adverte-nos para não cairmos nos enganos do diabo em relação ao materialismo. Ela escreveu assim: "Ide, fazei com que os donos de terras e de dinheiro se embriaguem com os cuidados desta vida. Apresentai o mundo diante deles em sua mais atraente luz, que acumulem o seu tesouro aqui, e fixem sua atenção sobre as coisas terrenas. Devemos fazer o máximo para evitar que os que trabalham na causa de Deus obtenham meios para usar contra nós. Conservai o dinheiro em nossas próprias fileiras. Quanto mais dinheiro obtiverem, tanto mais prejudicarão nosso reino tirando de nós os nossos súditos. Fazei com que se preocupem mais com o dinheiro do que com a edificação do reino de Cristo e a disseminação das verdades que odiamos, e não precisamos temer-lhes a influência, pois sabemos que toda a pessoa egoísta e cobiçosa cairá em nosso poder, e finalmente se separará do povo de Deus." Testemunhos Para Ministros, 473 e 474. Incrível!

“Cuidados, riquezas e divertimentos são usados por Satanás no jogo de vida do ser humano. É-nos feita a admoestação: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.”. Aquele que lê o coração do homem como um livro aberto, diz: “E olhai por vós, para que não aconteça que o vosso coração se carregue de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.” O apóstolo Paulo, pelo Espírito Santo, escreve: “Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” Parábolas de Jesus, 21

DOMINGO (7 de janeiro) O EVANGELHO DA PROSPERIDADE - No falso evangelho da prosperidade, o fiel é encorajado a usar a Deus, enquanto a doutrina verdadeira do evangelho bíblico é justamente o contrário, é Deus que usa o fiel. A falsa “teologia da prosperidade” vê o Espírito Santo como um Agente Divino a ser usado para qualquer coisa que o crente queira alcançar. Esta teoria humana da prosperidade parece muito com a ganância tão destrutiva que infiltrou na igreja primitiva. Paulo e os outros apóstolos não conciliaram a sua teologia com a dos falsos mestres que tentaram propagar tal heresia. Eles os identificaram como mestres falsos e perigosos, e muito encorajaram os cristãos a evitá-los.

Acompanhe este texto: "Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão." I Timóteo 6:5; 9-11

As pessoas que ensinam um vínculo direto entre prosperidade material e fidelidade a Deus estão distorcendo a Palavra de Deus e falando mentiras sobre Deus. Veja este outro texto: “Sucedeu que, acabando o Senhor de falar a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó.” Jó 42:7. Aqui, Deus repreendeu fortemente os amigos de Jó por acreditarem na teologia da prosperidade. O que ele diria para os pregadores de hoje que difundem as mesmas mentiras? No final, Deus devolveu à Jó sua saúde e prosperidade, e Jó teve motivos para sorrir novamente. Jó é um livro importante para ajudar-nos a entender e aceitar as nossas limitações diante de um Deus glorioso e rico.

Longe de enfatizar a importância de riquezas, a Bíblia nos adverte contra ir atrás de bens. Os crentes, principalmente os líderes da igreja, ver I Timóteo 3:3, devem livrar-se do amor ao dinheiro, ver Hebreus 13:5. O amor ao dinheiro leva à várias formas de mal e Jesus advertiu: " Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.” Lucas 12:15. A contradição irreconciliável entre o ensino do evangelho da prosperidade e o evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo é resumido nas palavras de Jesus em Mateus 6:24: "Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro."

“Então Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos; que receberemos?” Mateus 19:27. O ser humano tende a fazer as coisas só quando recebe algo em troca. O aluno estuda para receber a nota, o trabalhador realiza a sua tarefa para receber o salário, o filho obedece para receber um favor e muitos crentes servem Jesus em troca de favores.

O que ganhamos para seguirmos Jesus? Para quem vive numa sociedade capitalista, justificar um investimento é a coisa mais comum do mundo. Aqueles que trabalham na área comercial sabem que ressaltar os benefícios de bens e serviços é primordial em qualquer proposta de negócios. Embora o evangelho não necessite de justificativas para existir, muitos cristãos ainda tentam defender a sua causa por meio do anúncio de suas "vantagens". Sirvamos Deus independentemente das vantagens passageiras.

O verdadeiro evangelho da prosperidade significa Deus nos abençoando grandemente. A matemática de Deus é maravilhosa! Ele dá 100 vezes mais. É sempre bom lembrar que aquilo que Jesus disse foi que receberíamos cem vezes tanto em bênçãos dos céus nesse novo reino, mas seguir Cristo não é tudo um mar de rosas, pois tudo isso também viria acompanhado de perseguições. Veja Marcos 10:29,30. Mas, cuidado com a tal teologia da prosperidade que ensina um “toma-lá-dá-cá”. Nesse falso ensino, os líderes prometem grandes bênçãos para quem oferece muito dinheiro à igreja. Na matemática de Deus todos recebem bênçãos e na matemática dos homens, coitados dos mais pobres!

SEGUNDA-FEIRA (8 de janeiro) VISÃO ESPIRITUAL DESFOCADA - Nunca houve um tempo de tanta insegurança como hoje! Temos insegurança física, e podemos sofrer perdas a qualquer momento por uma bala perdida, assaltos à mão armada, enchentes, desastres, catástrofes, por explosões ou acidentes. Temos insegurança material, e podemos perder tudo o que juntamos com esforço, dedicação e trabalho honesto, e o governo pode também deixar o povo sem condições de manusear até o próprio dinheiro. Temos insegurança na saúde pública e insegurança psicológica. Já não estamos mais seguros nas cidades de Sodoma e Gomorra modernas, pois as cidades estão cheias de vândalos, assassinos, homens e mulheres cheios de todos os vícios e criaturas perigosas que matam por nada. Quando buscamos o Senhor temos a certeza da Sua proteção, e Ele vai concluir o que começou em nós: "Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus." Filipenses 1:6

Nunca houve um tempo de tanto materialismo como hoje, mas o nosso foco deve estar em Deus e não nas riquezas deste mundo. Temos a esperança da vida eterna e ela é a certeza de que Deus tem um lugar preparado para nós, quando a história deste mundo chegar a seu final, mas também é a certeza de que a esperança está presente em nossa vida, hoje, agora, dando sentido à vida e trazendo plenitude e paz ao coração, embora tudo pareça escuro e a vida esteja rodeada por uma montanha de dificuldades. A nossa visão deve estar focada em Deus e na vida eterna, mas claro vivendo a vida de de forma normal e feliz.

“Necessitamos educar a mente a apoderar-se, e apoderar-se firmemente das ricas promessas de Cristo. O Senhor Jesus sabe que não é possível resistirmos às muitas tentações de Satanás, se não tivermos poder divino dado por Deus. Ele bem sabe que em nossa própria força humana certamente falharemos. Portanto foi tomada toda providência, para que em toda emergência e provação fujamos para a Fortaleza.. ..Buscai a Deus de todo o coração. O povo põe a alma e diligência em tudo quanto empreende, quanto às coisas temporais, até que seus esforços sejam coroados de êxito. Com intensa seriedade aprendei a ocupação de buscar as ricas bênçãos que Deus prometeu, e com perseverante e determinado esforço obtereis Sua luz e verdade e preciosa graça.” Manuscrito 39, 1893.

Somos convidados a olharmos para o céu: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” Col 3:1,2.

Jesus advertiu-nos para não confiarmos nos bens materias mas sim nele e em Sua palavra: “E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.” Mateus 13:3-7 ….E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.” Mateus 13:22.

TERÇA-FEIRA (9 de janeiro) OS PASSOS DA COBIÇA – A lição de hoje mostra-nos os passos da cobiça. A cobiça começa com um forte desejo de possuir as coisas ou pessoas que pertencem aos outros. Começa com o que vê, depois passa pela vontade de possuir e depois acontece o pecado consumado. É o tal “eu vejo”, “eu quero” e “eu pego”

Cobiça é querer ter o que pertence a outra pessoa. Ela produz inveja e descontentamento com aquilo que temos. A cobliça também leva a outros pecados, como o roubo, o adultério e todo tipo de ação maldosa contra o próximo. Por isso, é muito importante evitar a cobiça. Para não cair na cobiça, é bom focar sob a proteção de Deus. Deus conhece o desejo de nosso coração e sabe o que é melhor para nós e quando queremos fazer a vontade de Deus vencemos a cobiça.

A história mostra-nos que grandes conquistadores tiveram tristes fim. Alexandre Magno conquistou tudo, mas morreu cedo, aos 33 anos, vítima da malária. Não teve o prazer de ser pai, perdeu todos os bens adquiridos, deixando o império grego para os seus generais. “Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” Mar.8:36.

A cobiça pode levar à riqueza, mas depois que o homem fica rico, ele se vê no direito de cobiçar muito mais, e este pecado encontra mais espaço e recursos para crescer e multiplicar. Contudo, o pobre também não está livre da cobiça. É verdade que, nas questões materiais, ele pode padecer necessidades e o seu desejo é, muitas vezes, legítimo e natural, mas a cobiça pode funcionar com pouco ou nenhum dinheiro afetando, por exemplo, a vida familiar e sexual.

Eis alguns textos bíblicos sobre este pecado: "Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença".” Êxodo 20:17

“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Pois tudo o que há no mundo - a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens - não provém do Pai, mas do mundo. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” I João 2.15-17

“Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos.” Efésios 5:3

“Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez.” Marcos 7:21 e 22

A cobiça dos dízimos e ofertas: “Vi que muitas pessoas que professam guardar os mandamentos de Deus estão se apropriando dos recursos que o Senhor lhes confiou e que devem ser levados a Seu tesouro. Roubam a Deus “nos dízimos e nas ofertas”. Eles dissimulam e retêm dEle para seu próprio prejuízo. Trarão sobre si escassez e pobreza e sobre a igreja trevas por causa de sua cobiça, sua hipocrisia, e por roubar a Deus nos dízimos e ofertas. Vi que muitas pessoas afundarão em trevas por causa de sua cobiça. O testemunho claro e direto precisa viver na igreja, ou a maldição de Deus repousará sobre Seu povo tão certamente como repousou sobre o antigo Israel por causa de seus pecados. Deus considera Seu povo, como um corpo, responsável pelos pecados que existem em indivíduos em seu meio. Se os dirigentes da igreja negligenciam buscar com diligência os pecados que trazem o desfavor de Deus sobre a corporação, eles se tornam responsáveis por estes pecados.” Test. p Igreja vol. 3, 269.

QUARTA-FEIRA (10 de janeiro) GANÂNCIA – TER AS COISAS À SUA MANEIRA – O que podemos aprender sobre o mal da ganância com a seguinte história? “Então um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes, e disse: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E eles lhe pesaram trinta moedas de prata, e desde então buscava oportunidade para o entregar.” Mateus 26:14-16.

 Veja este outro texto: “E estes cães são gulosos, não se podem fartar; e eles são pastores que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, cada um por sua parte.” Isaías 56:11

Judas amava o dinheiro, a raiz do toda espécie de males, e a sua ganância o levou a procurar os líderes judeus para trair e vender Jesus, buscando ocasião para O entregar. Ver Mat. 26:14-16. O traidor ficou à espreita, procurando ocasião para atingir quem sempre o teve como amigo. Num disfarce de piedade, criticava os adoradores, buscando apoio dos companheiros contra os gastos feitos com o Senhor. Ver João 12:1-7.

A lição de hoje mostra como devemos usar o dinheiro. Esse assunto é mesmo muito sério! Nem todos conseguem viver dentro do seu orçamento, pois revelamos dois defeitos de fábrica: a ganancia e a incredulidade. Tanto a ganância como a falta de fé nos cuidados de Deus, leva-nos a trabalharmos e a guardarmos dinheiro além daquilo que necessitamos; e a vida espiritual de alguns é fortemente afetada. Deus mostra que não há problema em ser rico, desde que a riqueza seja bem distribuída e não seja ganha de forma desonesta.

Deus nos aconselha a 1) Não enriquecer à custa dos pobres: “O que aumenta os seus bens com usura e ganância ajunta-os para o que se compadece do pobre.” Provérbios 28:8-9. Deus é claro em dizer aos que são ricos opressores que eles chorem e lamentem pela desgraça que sobrevirá sobre suas vidas. Deus abomina a injustiça, porque isto vai contra a Sua natureza, que é santa. 2) A ajudar os pobresEstes são os textos: “O que dá ao pobre não terá necessidade, mas o que esconde os seus olhos terá muitas maldições.” Provérbios 28:27. - “Encolhe-se, abaixa-se, para que os pobres caiam em suas fortes garras.” Salmos 10:10.

Deus não pede que os ricos saiam distribuindo dinheiro para os pobres. É claro que os mais abastados e governantes devem dar boas condições de trabalho e salários justos para os seus trabalhadores; mas, para além disso, os crentes devem estar disponíveis para auxiliar os pobres em suas necessidades. O crente é convidado para realizar ações sociais de forma individual e coletiva. “O que vê com bons olhos será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre.”Provérbios 22:9. 3) Trabalhar com dedicação: “O que lavrar a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que segue a ociosos se fartará de pobreza.”Provérbios 28:19. A ideia que temos de uma pessoa rica é aquela que tem inúmeros bens, como; apartamentos, carros, casas, barcos etc… Mas rica é a pessoa que tem o seu trabalho e vive de forma confortável. Esse é o conceito de alguém que é rico.

Portanto a preguiça é uma característica de pessoas pobres e o trabalho responsável contribui para a riqueza. Veja este texto: "Digno é o trabalhador do seu salário". Lucas 10:7. Esse é um ditado de Jesus em referência a missão dos discípulos. Paulo citou duas vezes este ditado, uma vez fazendo referência à sua pessoa e aos obreiros em geral, ver I Coríntios 9:14 e outra vez falando especificamente sobre os líderes da igreja. Ver I Timóteo 5:18. A forma como o ditado aparece em Mateus 10:10 é um pouco diferente da que ocorre nos outros textos.Segue o texto: "Digno é o trabalhador do seu alimento" Mateus 10:10. O uso do termo alimento está mais próximo do sentido original do texto. A ideia de Jesus era que aquele que trabalha tem direito de se alimentar. Geralmente o rico é rico porque trabalha a sério! 4)Não ter pressa em ficar rico: “O homem fiel será coberto de bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não ficará impune.” Provérbios 28:20 – “O que quer enriquecer depressa é homem de olho maligno, porém não sabe que a pobreza há de vir sobre ele.” Provérbios 28:22.

Mais cedo ou mais tarde, as riquezas deste mundo vão desaparecer para sempre. A cena descrita em Tiago é impressionante! Roupas comidas pela traça, ouro e prata enferrujados e riquezas apodrecidas; são cenas de juízo! Jesus deixa bem claro a necessidade que temos de investir no reino dos céus. É muito importante a maneira como usamos o dinheiro.Veja esta recomendação: “Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.” Lucas 12:33-34.

QUINTA-FEIRA (11 de janeiro) AUTO-DOMÍNIO – A principal condição para se ter auto-domínio é pedir a ajuda de Deus. Gálatas 5:22-25 é o texto que  é o exemplo perfeito de auto-domínio. Mas nós somos imperfeitos, e desenvolver essa qualidade exige muito esforço. A falta de auto-domínio é a raiz de muitos problemas. Por exemplo, muitas pessoas deixam tudo para última hora ou se saem mal na escola ou no trabalho é porque não são disciplinadas. A falta de auto-domínio também leva muitos a ser violentos, falar coisas ofensivas, consumir bebidas com álcool, contrair dívidas, ficar viciados em alguma droga ou até serem presos. Outros resultados da falta de auto-domínio são gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis, divórcio e traumas emocionais.

Veja este conselho de Deus: “Vinde, meninos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor. Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem? Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem o engano. Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a.” Salmo 34:11-14.

Pessoas que conseguem controlar emoções e sentimentos tem menos problemas na vida. Elas têm mais facilidade para construir bons relacionamentos. Além disso, conseguem controlar o ódio e têm menos ansiedade e depressão. Outro motivo é que, para sermos amigos de Deus, é fundamental saber controlar desejos errados e resistir a tentações. Adão e Eva não tiveram auto-domínio e perderam sua amizade com Deus. Ver Gên 3:6. Desde então, muitas pessoas deixaram de cultivar auto-domínio e colheram tristes consequências.

Como Pedro aponta os passos que os crente devem seguir para obter o auto-domínio? “E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, e à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade, e à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados.” II Pedro 1:5-9

Deus sabe que não é nada fácil ter auto-domínio. Por isso, Ele quer nos ajudar a vencer nossos desejos errados. Ver I Reis 8:46-50. Quando estamos com dificuldades para ter auto-domínio, Deus age como um verdadeiro amigo e nos dá forças para fazer o que é correto. A Bíblia tem exemplos que mostram a importância de controlarmos nossos sentimentos e nossas ações. Um deles é José no Egito. José tornou-escravo de Potifar, que era chefe da guarda de Faraó. José era um rapaz bonito e forte, e a esposa de Potifar acabou apaixonando-se por ele. Ela até tentou convencê-lo a cometer imoralidade. O que impediu José de cair nas garras dela? José disse à mulher de Potifar: “Como eu poderia cometer essa grande maldade e pecar contra Deus?” Isso mostra que José tinha tirado tempo para pensar no que aconteceria se ele pecasse. Quando a situação ficou pior, e ela o agarrou, ele fugiu. Gên. 36:6,9


Outro exemplo interessante de auto-domínio é o de Davi, que recebeu de Deus a autoridade para ser rei. Em algumas ocasiões, Saul provocou Davi. Simei também o desrespeitou. Mas Davi se controlou e não abusou do seu poder. I Sam.26:9-12 e II Sam 16:5. precisamos ter auto-domínio em várias situações, inclusive na maneira de ganhar e gastar o dinheiro.

SEXTA-FEIRA (12 de janeiro) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO 2 (1º trimestre 2018) EU VEJO, EU QUERO EU PEGO - Embora algumas pessoas nasçam em berços de ouro e outras nasçam pobres, todas tem as bênçãos de Deus para o trabalho e obtenção de recursos. O pobre não pode invejar o rico e nem o rico deve oprimir o pobre. Ambos devem se respeitar, pois na verdade um necessita do outro. O rico precisa de empregados para a manutenção dos seus negócios e o pobre carece do rico para a sua manutenção. Quando ambos buscam a sabedoria divina e são dirigidos por Deus; o pobre presta um serviço aceitável ao patrão e o patrão paga-lhe um salário justo.

Pobres e ricos tem responsabilidades perante Deus. A riqueza mau usada revela a perda de uma preciosa oportunidade de servir Deus. Pense no bem que poderia ter sido feito com essa riqueza acumulada de forma avarenta. Pobres poderiam ter sido assistidos, o reino de Deus expandido, o salário dos trabalhadores pagos de forma justa. Nos tempos passados, aquilo que esses ricos guardaram, perderam, alguns anos depois quando Roma começou a perseguir os judeus. Assim também hoje o dinheiro mal adquirido destrói o carácter de quem é avarento e estes serão destruídos no dia do Senhor Deus. O dinheiro não deve ser uma arma para controlar e dominar os outros, mas um instrumento para ajudar os necessitados. O que guardamos, perdemos, mas aquilo que damos, multiplica-se para o reino dos Céus. Uma pessoa pode ser rica neste mundo e pobre no mundo por vir. Pode ser pobre aqui e rica no mundo vindouro.

A igreja deve auxiliar e ajudar os pobres que não têm famílias. A Bíblia diz em I Timóteo 5:5-6: "Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus, e persevera de noite e de dia em súplicas e orações; mas a que vive em prazeres, embora viva, está morta." Deus promete recompensar os que ajudam os pobres. Deus também ordena que os pobres sejam trabalhadores. Paulo disse: “Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs.” II Tessalonicenses 3:10-11.Para substituirmos a ganância pelo contentamento, devemos escolher as coisas de Deus para Ele ter o total controle da nossa vida e ser glorificado por nós. Amém?

“Muitos, do povo de Deus são entorpecidos pelo espírito do mundo, e estão negando sua fé pelas suas obras. Cultivam o amor ao dinheiro, às casas e terras, a ponto de isto lhes absorver as faculdades da mente e do ser e excluir o amor ao Criador e às pessoas por quem Cristo morreu. O deus deste mundo lhes cegou os olhos; seus interesses eternos se tornam secundários; e o cérebro, os ossos e os músculos são sobrecarregados ao máximo para lhes aumentar as posses terrenas. E todo esse acúmulo de cuidados e aflições é suportado em direta violação da exortação de Cristo: “Não ajunteis tesouros na Terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam.” Cons. Mordomia, 128


Luís Fonseca