Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

LIÇÃO 1 (III trimestre de 2018) SEREIS MINHAS TESTEMUNHAS


lc
COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 1 (III trimestre de 2018) SEREIS MINHAS TESTEMUNHAS

VERSO ÁUREO: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8

INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE – As lições deste trimestre foram escritas pelo Dr. Wilson Paroschi, que é professor de interpretação do Novo Testamento do UNASP Campus 2, Brasil.

O livro de Atos foi escrito pelo médico e evangelista Lucas no ano 63 d.C, como continuação do Evangelho de Lucas. Atos dos Apóstolos foi escrito para um homem chamado Teófilo, relatando o início da igreja e da expansão do evangelho. Lucas era um médico que acompanhou Paulo em algumas de suas viagens. Ele provavelmente era um gentio convertido, que não conheceu Jesus, mas que conheceu pessoas que tiveram contato direto com Cristo.Lucas escreveu o livro de Atos como continuação do seu evangelho, para que Teófilo tivesse a certeza das coisas que aprendeu sobre Jesus. Ver Lucas 1:3-4 e Atos 1:1-2.

O livro de Atos é um livro tão emocionante com suas histórias, que poderia ser apropriadamente chamado de Atos do Espírito Santo, devido a ação clara do poder de Deus na obra missionária e pregação por parte dos apóstolos e dos santos de Deus, como um todo. O livro de Atos é o único livro histórico do Novo Testamento e serve como elo entre os quatro evangelhos e as treze cartas de Paulo.

Sem o livro de Atos dos Apóstolos, que vamos estudar durante este trimestre, estaria faltando um importante elo no Novo Testamento. Os primeiros cinco livros do Novo Testamento poderiam ser considerados históricos. Os quatro evangelhos, além de serem biografias inspiradas de Jesus, são também históricos. Entretanto o livro de Atos distingue-se dos Evangelhos porque relata a história da igreja no Novo Testamento. Veja o início do livro de Atos: “Em meu livro anterior, Teófilo, escrevi a respeito de tudo o que Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado ao céu, depois de ter dado instruções por meio do Espírito Santo aos apóstolos que havia escolhido.” Atos 1:1-2.

O livro de Atos inicia como terminam os Evangelhos, ou seja, com a grande comissão. A grande comissão possui uma ordem e esta é “fazer discípulos”. Essa ordem imperativa de Jesus cumpre-se à medida que quatro ações acontecem com os verbos no modo gerúndio: indo, pregando, batizando e ensinando. É exatamente isso o que o livro de Atos descreve. Os apóstolos fizeram discípulos indo, pregando, batizando e ensinando.

O livro de Atos termina assim: “E, havendo ele dito estas palavras, partiram os judeus, tendo entre si grande contenda. E Paulo ficou dois anos inteiros na sua própria habitação que alugara, e recebia todos quantos vinham vê-lo; pregando o reino de Deus, e ensinando com toda a liberdade as coisas pertencentes ao Senhor Jesus Cristo, sem impedimento algum.” Atos 28:29-31. Alguns estudiosos acreditam que Lucas tenha sido preso, e por isso não pode concluir o seu livro e outros acreditam que o livro não termina porque ele conta a história da igreja e essa história ainda está sendo escrita por cada cristão fiel e obediente!

INTRODUÇÃO (sábado 30 de junho) - Para um cristão ser verdadeiramente reavivado, deve trilhar três etapas espirituais importantes: oração contínua, estudo diário da bíblia e testemunho constante e ativo. E, nesta semana vamos analisar a importância do testemunho e serviço que somos chamados a realizar. A missão de Jesus, na terra, foi a de auxiliar as pessoas em suas necessidades. Mas, para conseguir cumprir sua missão, Ele tinha uma ligação íntima com o Pai.

Assim também, para andarmos com Deus precisamos tornar-nos semelhantes a Ele; precisamos amá-lo tão profundamente que todas as outras coisas perdem o seu valor. Cristo, e só Ele, precisa ser a nossa paixão. Precisamos da firme convicção de que necessitamos de poder, um poder que nos falta, um poder que nos abra a visão para o testemunho vibrante em favor de Jesus e das grandes realidades eternas.

Como posso ser uma testemunha eficaz para Cristo entre os meus amigos, familiares e para um mundo perdido? Uma testemunha é alguém que atesta um fato, por isso, para ser uma testemunha eficaz para Cristo, é preciso ter um conhecimento de primeira mão dele. O Apóstolo João fala isso em I João 1:1-3, quando diz: "O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada."

Hoje, nós que temos experimentado a vida nova em Cristo, narramos do Seu amor e perdão, tanto verbalmente, quanto na maneira como vivemos nossas vidas. Isto é testemunhar! Para sermos eficazes em nosso testemunho, devemos receber o batismo diário do Espírito Santo. O poder do nosso testemunho é o Espírito Santo. É o Espírito que transforma a vida. Ver Tito 3:5, e uma vida transformada, torna-se evidente para todos. À medida que testemunhamos, devemos passar muito tempo em oração, apropriando-nos do poder do Espírito para que sejamos capazes de deixar nossa luz brilhar de tal forma que os outros vão reconhecer o poder de Deus em nós. Ver Mateus 5:16.

Veja estes textos: “Ele nos incumbiu da realização duma grande tarefa. Façamo-la com exatidão e determinação. Mostremos por nossa vida o que por nós fez a verdade.” Testemunhos Seletos, vol. 3, 51.

“Todo verdadeiro discípulo nasce no reino de Deus como missionário. Aquele que bebe da água viva faz-se fonte de vida. O depositário torna-se doador. A graça de Cristo na alma é uma vertente no deserto, fluindo para refrigério de todos e tornando ansiosos de beber da água da vida os que estão prestes a perecer.” O Desejado de Todas as Nações, 195.

“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso pai que está nos Céus.” Mateus 5:16.

A missão de Cristo tinha terminado na terra quando Ele prometeu a capacitação do Espírito Santo aos apóstolos e crentes santos para continuar a missão de salvar o pecador. O valor do nosso testemunho é mostrado na forma como vivemos. Em Filipenses 2:15 define-nos este objetivo: "Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo." A efetiva testemunha cristã viverá sua vida de forma irrepreensível no poder do Espírito Santo, cujo fruto exibimos quando permanecemos em Cristo. Ver João 15:1-8 e Gálatas 5:22-23.

Talvez o mais importante seja o fato de que temos de estar bastante familiarizados com as Escrituras para sermos capazes de apresentar, de forma precisa e coerente, o evangelho a outras pessoas. "...estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós." I Pedro 3:15.
  
Estar sempre preparado significa o diligente estudo da Bíblia, memorizando as escrituras e orando para que Deus apresente oportunidades de compartilhar com aqueles cujos corações foram preparados pelo Senhor para ouvir a Sua mensagem de salvação.

DOMINGO (1º de julho) A RESTAURAÇÃO DE ISRAEL - Não temos dúvidas que Israel é um lindo país e tem a peculiaridade de manter as maiores religiões em seu pequeno território; árabes, cristãos e judeus dividem o mesmo espaço. É curioso como, em Jerusalém, eles se entendem a nível comercial. Os Muçulmanos cessam as suas atividades semanais na sexta-feira, os Judeus no sábado e os Cristãos, em geral, no domingo.

Muitos estudos histórico-teológicos têm sido feitos em torno da possibilidade dos judeus voltarem a representar Deus como povo, como era nos tempos do Velho Testamento. Ezequiel capítulos 36 e 37 é a base para afirmarem a sua opinião. Eis os versos principais: “E espalhei-os entre os gentios, e foram dispersos pelas terras; conforme os seus caminhos, e conforme os seus feitos, eu os julguei.” Ezequiel 36:19.

“E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra.” Ezequiel 36:24.

Diante do significado destas e de outras passagens bíblicas, os defensores da restauração de Israel, dizem que haverá primeiro uma restauração política dos judeus em sua própria terra e um retorno à sua própria identidade nacional. Em segundo lugar haverá uma restauração espiritual, uma real conversão das tribos de Israel ao Senhor Jesus.

Os defensores da restauração espiritual de Israel dizem que no fim dos tempos, na época do tempo de angústia de Jacó, o povo judeu será libertado. Eles tomam como base Jeremias 30:7: “Ah! Porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante; e é tempo de angústia para Jacó; ele, porém, será salvo dela.” Jeremias 30:7. Eles dizem também que o anticristo fará uma aliança de 7 anos de paz com Israel e baseiam-se em Isaías 28:18 e Daniel 9:27. Afirmam ainda que o templo será reconstruído em Jerusalém conforme os textos de Daniel 9:27, Mateus 24:15, II Tessalonicenses 2:3-4 e Apocalipse 11:1. Ainda preveem que o anticristo quebrará a sua aliança com Israel, o que resultará na perseguição mundial de Israel, e, para defender o seu ponto de vista, citam Daniel 9:27; 12:1, 11; Zacarias 11:16, Mateus 24:15, 21 e Apocalipse 12:13.

Eles dizem que Israel será invadido como descrito em Ezequiel 38-39. Ainda afirmam que a confusão que se vê hoje, em torno de Israel, é apenas o começo do que está para acontecer. Dizem que os inimigos declarados; Síria, Líbano, Jordânia, Arábia Saudita, Irão, Hamas, Jihad Islâmica, Hezbollah, são pequenos em relação ao conflito final em que estarão envolvidos. Sabemos que as coisas não são assim. Hoje Israel é mais um país, como qualquer outro, que se defende no aspeto social, político e econômico, mas leva vantagens em relação aos seus vizinhos por contar com o apoio da potência econômica E.U.A, é por isso que acontecem as suas guerras, não por motivos espirituais.

Os judeus foram rejeitados por Deus como nacão. Existe uma profecia na Bíblia que mostra o povo judeu sendo rejeitado como povo espiritual e responsável para levar a mensagem de Deus; e a mesma profecia mostra o povo remanescente de Deus surgindo para proclamar a mensagem final em preparar um povo para a segunda volta de Cristo. Eis a profecia: “E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado.” Daniel 8:14. Ver Daniel 9:24-27

Em Romanos 11:1-16 encontramos a rejeição dos judeus à palavra de Deus, como resultado isso e a salvação foi pregado aos gentios para que cada um de nós possamos pregar com autoridade de Deus. Assim, o povo judeu, não os indivíduos judeus, selou sua rejeição da misericórdia de Deus. O resultado foi predito por Cristo na parábola da grande ceia em Lucas 14:16-24, onde menciona os vários tipos de rejeições à Palavra de Deus. O primeiro chamado representa a salvação oferecida aos judeus, mas eles rejeitaram o Salvador. O segundo chamado aos pobres, aleijados e cegos simboliza os pecadores e meretrizes pagãos que ternamente acolheram o Cristo de Deus e se esforçaram para entrar no seu reino. O terceiro chamado foi à uma classe ainda mais baixa: errantes e andarilhos cujo lar era as estradas e vales, os quais representa os que vagam na periferia do mundo do pecado; as ovelhas perdidas que precisam de salvação.

Com a rejeição de Israel como nação, Deus escolheu você como Seu povo para receber e transmitir o evangelho puro. Escolheu todos os verdadeiros crentes em Cristo de todas as raças, tribos e nações tendo como única condição; aceitar Jesus como Salvador pessoal e obedecer os Seus mandamentos. 
 Em I Pedro 2:9 encontramos este precioso texto: "Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz".

Nós, somos a igreja de Cristo. Pedro não está falando que Israel voltaria a ser a nação escolhida, mas nós o somos; a igreja cristã. Somos uma geração escolhida e um povo santo para anunciar as novas de salvação aos perdidos. Nós somos o Israel espiritual que precisamos ser restaurados por Cristo! Amém?

Se Cristo veio e cumpriu o Seu ministério na cara dos judeus e eles ainda estão aguardando o Messias, como esperar que essa nação seja restaurada espiritualmente?

SEGUNDA-FEIRA (2 de julho) A MISSÃO DOS DISCÍPULOS -  Estes são os versos sugeridos para hoje: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8

“Assim como o Pai me enviou, Eu os envio.” João 20:21, “Vocês são testemunhas destas coisas. Eu lhes envio a promessa de meu Pai.” Lucas. 24:48 e “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” Mateus 28:19-20.  Ver também Atos 1:21 e 22 e I João 1: 1-3

Qual é a missão da igreja? Para que ela realmente existe? Em Efésios 1: 3-14 fala-nos de dois objetivos porque a igreja existe: Existimos primeiramente para prestar louvor e adoração ao Senhor nosso Deus. Como afirma Conner em seu livro: “A principal obrigação, portanto, de uma igreja não é o evangelismo, nem missões, nem beneficência; é a adoração. A adoração a Deus, em Cristo, devia estar no centro das demais coisas que a igreja realiza.” Conner, Walter Thomas. O Evangelho da Redenção, 2ª edição JUERP, Rio de Janeiro, 1981.

Existimos para adorar a Deus. Nosso compromisso é com o Senhor, mas é lógico que nossa relação com o Senhor afeta nossa relação como o próximo. Sendo assim, qual é a missão da Igreja? Vamos utilizar a resposta de Isaltino, pois cremos ser apropriada: “a missão da igreja é a adoração. Não é a evangelização, mas a adoração. Ela existe em função de Deus e não do mundo. No céu não haverá perdidos para evangelizar, mas haverá igreja porque haverá Deus. Ela existe por causa de Deus e não dos perdidos, repito. Isto define bem a missão da igreja em termos verticais. Quanto ao mais, me dispenso de me alongar neste aspecto. Em termos horizontais, a missão da igreja é gente. Ela serve a si e ao mundo. Para isto, a igreja é uma comunidade que deve crescer. Ler o texto de Efésios 4.11-16. Cada um tem o que fazer, beneficiando os outros. A igreja é uma comunidade onde as pessoas interagem umas com as outras. Nosso povo deve ser ensinado a ver igreja da seguinte maneira: não é “o que a igreja pode fazer por mim?”, mas; “o que posso fazer pela igreja?” Serviço aos outros é a motivação horizontal da igreja.” Coelho Filho, Isaltino Gomes. Um estudo sobre a igreja.

O filho de Deus, que não consegue passar cinco minutos diários em oração, dez minutos em estudo da Palavra de Deus, não vai conseguir prestar adoração calma, reverente, de qualidade espiritual e verdadeira à Deus; e, consequentemente, não terá motivação para ter uma vida de testemunho. A nossa maior preocupação deve ser em conhecer o Senhor e Seus planos a nosso respeito e a proclamação de Seu plano redentor. É isto que nos deve preocupar.

Os discípulos puderam preparar-se melhor após a ressurreição de Cristo para a missão. Como podemos estar animados na missão de salvar, sabendo que Cristo está vivo, intercede por nós e capacita-nos para a missão?  “Disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos, e em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém. E destas coisas sois vós testemunhas.” Lucas 24:44-48

Os outros contemplam, Jesus em mim? Estou eu representando o reino de Cristo? É o meu testemunho fiel em representar o caráter de Cristo, agora?

TERÇA-FEIRA (3 de julho) ELE VOLTARÁ - A nebulosa de Órion ocupa um lugar especial no coração adventista. Desde 1848, quando Ellen White mencionou Órion no livro Primeiros Escritos, os Adventistas têm ansiosamente focado seus olhos, binóculos e telescópios para esse lugar no céu em busca de sinais e evidências da Segunda Vinda. Veja este texto: “Nuvens negras e densas subiam e chocavam-se entre si. A atmosfera abriu-se e recuou; pudemos então olhar através do espaço aberto em Órion, donde vinha a voz de Deus. A santa cidade descerá por aquele espaço aberto.” Primeiros Escritos, 41.

Órion, embora seja uma das constelações mais próximas da terra, está a 1.500 anos-luz de distância e nós, o que equivale a aproximadamente 14 quatrilhões de kilômetros. A luz de Órion, que vemos hoje, foi gerada 1.500 anos atrás! Em outras palavras, para que víssemos algo se abrindo em Órion hoje, esse evento teria que ter ocorrido há 1.500 anos para que a luz desse evento chegasse a tempo até nós. Nosso sistema solar inteiro poderia caber dentro da extensão da nebulosa de Órion, no mínimo 20.000.000 de vezes! A estrela Betelgeuse em Órion, por exemplo, é de 400 milhões de vezes maior do que o Sol.

Independente por qual espaço Jesus vai voltar, sabemos que Ele vai voltar. Quer estejamos preparados ou não, Ele vai voltar!Veja a promessa dos dois anjos: “E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco. Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.” Atos 1:9-11

Na declaração do próprio Senhor Jesus, em João 14:1-3,  consiste toda a nossa certeza de que certamente Ele virá. Suas promessas não falham, ainda que haja aparente demora. Por tudo o que está acontecendo hoje no mundo, Cristo já poderia ter voltado. No entanto, Sua demora é devido a Sua longanimidade com os pecadores. Ele está esperando que muitos ainda tenham a chance da salvação e entre esses, podemos estar incluídos; Deus o sabe. Devemos estar preparados o quanto antes possível, pois não sabemos o dia, nem a hora de Sua volta. Uma coisa é certa: está muito perto.

Qual será a maneira de Sua Vinda? Visível a todos, como o relâmpago: “Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.” Mateus 24:27

Quando Jesus acabou Sua missão redentora na terra, 40 dias após a ressurreição, Ele despediu-se dos Seus discípulos e foi elevado às alturas, subindo até sair do campo visual, sendo envolto em nuvens. Logo após essa cena, dois anjos desceram do Céu para confortar os discípulos e disseram: “esse Jesus que dentre vós foi assunto ao Céu, virá do modo como O vistes subir” Atos 1:11.

Qual é o objetivo de Sua vinda? “Virá buscar os Seus escolhidos” Mat. 24:31. Jesus Cristo disse aos Seus discípulos que voltaria ao mundo para levá-los para Si mesmo, a fim de habitarem nas moradas do céu, a casa de Seu Pai. Esse, portanto, será o objetivo de Sua volta à terra. Os escolhidos de Cristo são aqueles que, conhecendo Suas palavras, buscam ter uma vida de obediência à Sua vontade. São aqueles que mostram amar a Deus e ao próximo. Nós poderemos estar entre eles; por isso estamos aqui, estudando e meditando nestas coisas belas da Bíblia.

Quem acompanhará Jesus quando Ele voltar a este mundo? Todos os anjos do Céu. Ver Mat. 25:31. Será uma cena indescritível em beleza. Cristo será o centro da gloriosa nuvem formada por anjos celestiais, cujo brilho inundará a terra. Somente aqueles que estarão preparados para a Sua volta poderão suportar fulgurante esplendor. Os pecadores desobedientes não suportarão o brilho daquela gloriosa cena e buscarão se esconder, perecendo depois.

O que acontecerá com os justos que estiverem mortos? Ressuscitarão primeiro. Ver I Tes. 4:16. Haverá naquele dia uma profunda alegria no coração dos que estiverem vivos e preparados para o encontro com Jesus. Terão a grande alegria de reverem os seus entes queridos que morreram na esperança da ressurreição. Eles viverão novamente pelo poder de Deus, e os vivos serão transformados. Naquele dia haverá uma vitória final da vida sobre a morte. Deus transformará os corpos dos santos, para nunca mais morrerem. A vida afinal será eterna e a morte já não existirá.

Que efeitos haverá nas duas classes de pessoas? Os salvos dirão: “Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos” e os ímpios pedirão aos rochedos que caiam sobre eles. Isaías 25:9 e Apoc. 6:15-17.

De que lado estaremos?

QUARTA-FEIRA (4 de julho) PREPARANDO-SE PARA O PENTECOSTES – A festa do Pentecostes é a mesma que a festa das Semanas, pois nos últimos duzentos anos do período do Antigo Testamento, os gregos assumiram o controle do mundo, impondo sua língua, que se tornou muito popular entre os judeus. Os nomes hebraicos;  "hag haqasir e hag xabu´ot" perderam as suas atualidades e foram substituídos pelo nome Pentecostes, cujo significado é cinquenta dias depois da Páscoa. Essa festa comemorava o fim da colheita, uma espécie de segunda festa das primícias. O Pentecostes cumpriu-se cronologicamente no tempo exato, ver Atos 2:1 e com a descida do Espírito Santo, os seguidores de Deus entregaram “quase três mil pessoas”, Atos 2:41  como frutos da grande colheita desde a morte e ressurreição de Jesus.

Durante o período do Antigo Testamento, a influência do Espírito de Deus foi vista de maneira notável, mas não em Sua plenitude. Ao longo de séculos, orações foram feitas, pedindo o cumprimento da promessa divina do derramamento do Espírito Santo, e nenhuma dessas súplicas fervorosas foi esquecida.

Cristo determinou que ao subir aos céus concederia um dom aos que haviam crido nele e aos que haveriam de crer. Que dom bastante valioso poderia Jesus conceder para assinalar e honrar a Sua ascensão ao trono mediador? Precisaria ser digno de sua grandeza e realeza. Determinou-Se a dar Seu representante, a terceira pessoa da Divindade. Não poderia haver dádiva mais excelente. O Espírito esperava pela crucifixão, ressurreição e ascensão de Cristo. Por dez dias os discípulos fizeram as suas petições, e Cristo no céu lhes acrescentou Sua intercessão. Amém?

Como podemos receber o Pentecostes hoje? Lucas registrou acontecimentos importantes da Igreja ocorridos a partir do ano 31 d.C., concluindo o livro de Atos, possivelmente, em 63 d.C., antes do martírio de Paulo, pois não o menciona. O capítulo 2 é considerado o mais importante, porque “o sermão introduz os principais temas de Lucas desenvolvidos ao longo do livro como; o derramamento do Espírito de Deus. Atos 2:17, 18; 10:45, a universalidade do evangelho; Atos 2:17, 21, 39; 13:47-48, autenticando sinais e maravilhas; Atos 2:19, 43; 4:30; 5:12; 6:8; 8:13, e a salvação em nome do Senhor; Atos 2:21, 39; 4:12

Esse capítulo também revela, pelo menos, quatro experiências na vida da igreja:
1) A igreja esperando pelo Espírito Santo. Atos 2:1
2) A igreja adorando o Senhor. Atos 2:2-13
3) A igreja testemunhando aos perdidos. Atos 2:14-41
4) A igreja caminhando no Espírito. Atos 2:42-47

Segundo Ellen White: “O derramamento do Espírito nos dias dos apóstolos foi o começo da primeira chuva, ou temporã”. “As profecias que se cumpriram no derramamento da chuva temporã no início do evangelho, devem novamente cumprir-se na chuva serôdia, no final do mesmo”. Apocalipse 18:1 prediz “uma obra de extensão mundial e de extraordinário poder”.

Como podemos nos preparar para a chuva serôdia? “Nesta mesma hora Seu Espírito e Sua graça se acham à disposição de todos quantos deles necessitam e Lhe pegarem na palavra.” Recebereis Poder, 287 MM1999

“É nossa parte do trabalho colocarmo-nos a nós mesmos em associação com o divino canal. Deus é responsável por Sua parte do trabalho”. História da redenção, 247. Ler Atos 1:12-14

Quanto tempo dedicamos à oração diária pedindo o Espírito Santo? “Ao dar o Espírito Santo, era impossível que Deus desse mais. A este dom nada poderia ser acrescentado. Por meio dele são supridas todas as necessidades. O Espírito Santo é a presença vital de Deus, e, se for apreciado, suscitará louvor e ações de graças, e estará sempre jorrando para a vida eterna. A restauração do Espírito é o concerto da graça. Entretanto, quão poucos apreciam este grande dom, tão caro, e, todavia, tão acessível a todos os que o aceitarem! Quando a fé se apodera da bênção, disso advém valioso benefício espiritual. Com demasiada freqüência, porém, a bênção não é apreciada. Necessitamos de ampliada concepção para compreender-lhe o valor.” E Recebereis Poder, 286

QUINTA-FEIRA (5 de julho) O DÉCIMO SEGUNDO APÓSTOLO – O termo Apóstolo é usado para descrever duas coisas diferentes, no primeiro caso é usado para descrever uma pessoa que é enviada pela igreja e com autoridade. Neste sentido de ser; uma pessoa enviado pela igreja, as Escrituras chamam Barnabé, Timóteo, Silas e outros irmãos, de apóstolo. Eles não tinham um cargo de apóstolo, eram apóstolos apenas no sentido de serem enviados pela igreja para uma missão. O segundo uso do termo apóstolo é o cargo de Apóstolo. O cargo de Apóstolo é um ofício exercido pelo Apóstolo Paulo e os doze discípulos de Cristo e ninguém mais. Após a morte dos apóstolos como ofício, não houve mais apóstolo. Alguns dizem que o 12º apóstolo foi Paulo, mas para substituir Judas Iscariotes foi indicado Matias.

Com a traição e morte de Judas, Matias foi chamado para ser o décimo segundo apóstolo em seu lugar, Atos 1:15-26. Aos doze Apóstolos, Jesus adicionou mais um, o apóstolo Paulo. O apóstolo Paulo foi especialmente comissionado aos gentios. Ver Rom 11;13; Gál 2:8. Paulo não foi discípulo dureto de Cristo em seu ministério terreno, mas apesar disto, Jesus o comissionou diretamente na estrada de Damasco, ver Atos 26:12-18. Na estrada de Damasco, Paulo não teve apenas uma visão, mas o próprio Cristo apareceu pessoalmente a ele e o comissionou ao apostolado aos gentios.

O grupo dos 120 apóstolos reunidos apresentou para Pedro dois nomes; José chamado Barsabas e Matias. Eles eram profundos conhecedores de Jesus desde o Seu batismo por João e acompanharam Sua vida de pregação. O grupo dos apóstolos pediu em oração a Deus o discernimento entre os dois nomes. Lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Matias, que passou a substituir Judas Iscariotes. A narrativa aconteceu dias antes de Pentecostes no ano de 31 d.C. Este tipo de escolha: lançar sorte é considerado por muitos estudiosos como um modo arcaico, e foi a última vez que o grupo dos apóstolos utilizaram. A sorte foi lançada entre duas pessoas boas e não estava relacionada a elementos místicos e ocultos.  Atos 1:26 diz: “E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos.”

Em Atos 1:21-22 indica que Matias foi seguidor de Jesus durante todo o ministério público, durante 3 anos de meio e estava muito próximo dos 12 apóstolos. Presume-se que ele era um dos 72 escolhidos por Cristo conforme o relato de Lucas 10: 1: “Depois disso, o Senhor designou outros setenta e dois e, dois a dois, enviou-os a sua frente a toda a cidade e lugar aonde ele próprio devia ir”

Quem é o 13º apóstolo? Paulo é conhecido e denominado como o 13º apóstolo, mas cada um de nós é considerado um apóstolo para dar continuidade ao trabalho iniciado por Cristo. O livro de Apocalipse mostra que Jesus confirma os apóstolos como sendo doze na revelação a João: “O muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles estavam os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.” 

Apocalipse 21:14. E para que não nos apresentasse somente uma quantidade de homens Jesus os denomina dizendo quem são e de onde são. Portanto, trata-se de pessoas bem conhecidas d’Ele. Como o chamado não parou com a eleição dos doze e continua até nos dias de hoje, eu e você somos também chamados a guardar e transmitir o Evangelho aos nossos irmãos, a começar pelos da minha e tua casa.

“É o propósito de Deus tornar evidentes, por meio de Seu povo, os princípios de Seu reino. Mas para que possa revelar esses princípios em sua vida e caráter, o Senhor deseja separá-lo dos costumes, hábitos e práticas do mundo. Procura aproximá-lo de Si para que lhe possa dar a conhecer Sua vontade.” Conselhos para Igreja, 79

SEXTA-FEIRA (6 de julho) LEITURA ADICIONAL DA LIÇÃO 1 (III trimestre de 2018) SEREIS MINHAS TESTEMUNHAS – A lição desta semana tratou da nossa vida como testemunhas de Cristo. O testemunho pessoal envolve dois aspectos importantes: 1) O primeiro é a minha vida de testemunho. O que os outros observam em mim? 2) O outro é aquilo que eu posso fazer para levar a salvação às pessoas. Como posso envolver-me no evangelismo?

Todo verdadeiro cristão deve andar como Jesus andou, fazer o que Jesus fazia e adotar o Seu estilo de vida. Portanto; os lugares que frequento, os alimentos que consumo, as amizades que tenho, as músicas que ouço, o tipo de leitura que faço, etc… devem estar de acordo com aquilo que Jesus faria, caso estivesse em nosso lugar. Concorda? Um budista e um maometano seguem aquilo que os seus líderes faziam. Assim, um cristão deve fazer o mesmo que Jesus fez e pediu para fazerem.

William Ayer diz que: “Um grama de testemunho vale mais do que uma tonelada de propaganda.”

Gandhi, o pacifista indiano, sendo certa vez evangelizado por um cristão disse: “No vosso Cristo eu creio, eu não creio é no vosso cristianismo.”

O testemunho mais impactante que podemos dar não é o de simplesmente dizermos o que Cristo pode fazer pela vida de alguma pessoa, mas o que Ele tem feito por cada um de nós. Além de darmos bom exemplo na nossa vida, como podemos envolver-nos no evangelismo pessoal? Jesus era alguém de ação. Em Tiago 2: 14-18 diz assim: “De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo? Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará? Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma. Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”.

Você pode pensar que não tem nada para comunicar ou que não tem nenhum dom, mas isso é o diabo a tentar silenciar a sua voz. Deus tem um armazém de experiências que quer que você use para trazer outros para a Sua família.

A Bíblia diz: “Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho.” I João 5:10. O seu testemunho é a história de como Cristo fez a diferença na sua vida. Pedro diz-nos que nós fomos escolhidos por Deus para anunciarmos “as virtudes d’Aquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz.”, ou seja, de como Ele fez em nós uma mudança da noite para o dia. Esta é a essência do testemunho, relatar simplesmente as suas experiências pessoais com o Senhor. Num tribunal não se espera que uma testemunha argumente, prove a verdade, ou pressione o veredicto; esse é o trabalho dos advogados. As testemunhas simplesmente dizem o que lhes aconteceu. Jesus disse, "Ser-Me-eis testemunhas." Atos 1:8.

No testemunho evangelístico você pode fazer três coisas simples e muito eficazes: 1) Contar para os amigos e familiares aquilo que Jesus fez na sua vida. 2) Convidar alguém para ir à igreja consigo. 3) Oferecer um estudo da bíblia. Simples não é?

Luís Carlos Fonseca