Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA - TERCEIRO TRIMESTRE DE 2018

Resumo da Lição 11
Prisão de Paulo em Jerusalém

TEXTO-CHAVE: Atos 23:11

O ALUNO DEVERÁ

Saber: Que a providência de Deus nem sempre corresponde às nossas expectativas.

Sentir: Paz em relação às dificuldades da vida e um desejo de perseverar por amor ao reino de Deus.

Fazer: Buscar de Deus sabedoria para entender como devemos nos comunicar com as pessoas ao nosso redor.

ESBOÇO

Saber: A providência de Deus é segura

A. O que o Espírito Santo disse a Paulo quando o apóstolo começou sua viagem rumo a Jerusalém?

B. Por que Paulo foi mesmo assim, apesar das advertências?

C. A vontade providencial de Deus para Paulo era que ele fosse para Jerusalém e ali fosse preso? Explique.

II. Sentir: Encontrar paz e perseverança na obra de Deus

A. Como você tem sido desafiado em seu chamado para compartilhar o evangelho?

B. Esse desafio resulta mais de outras pessoas ou de suas próprias inseguranças? Por quê?

C. Como a história de Paulo nos ajuda a continuar a obra de compartilhar o evangelho?

III. Fazer: Buscar a sabedoria e as palavras de Deus

A. Como saber o que dizer aos outros quando nossa fé é questionada?

B. Em qual área da vida você precisa da sabedoria e das palavras de Deus?

Resumo: Quando fazemos as coisas certas no serviço de Deus, não há garantia de que estaremos seguros. Mas sabemos que Deus não nos abandona. Em vez disso, Ele nos dá a coragem de que precisamos para perseverar.

Ciclo do aprendizado

Motivação

Focalizando as Escrituras: At 23:11

Conceito-chave para o crescimento espiritual: Reconhecer a providência de Deus em nossa vida, mesmo diante de ameaças à nossa segurança física e conforto.

Para o professor: Concentre-se no fato de que, no final da experiência em Jerusalém, Deus encorajou Paulo dizendo que ele tinha cumprido sua missão de testemunhar ali e também daria seu testemunho em Roma, apesar de todos os desafios que enfrentaria.

Discussão inicial: Muitas vezes, quando aceitamos o chamado de Deus para nossa vida e seguimos na direção em que somos convencidos a ir, acabamos enfrentando desafios. Quando foi chamado e teve a convicção de que deveria deixar o cargo de pastor em tempo integral para ir em busca de um doutorado na Universidade Andrews, Cory seguiu seu chamado. Ele acreditava que poderia terminar as aulas e os exames finais em dois anos e meio e depois receberia uma igreja para pastorear enquanto escrevia sua dissertação. Hoje, após cinco anos nesse processo, ao escrever os capítulos finais de sua dissertação, Cory questiona sua escolha devido às tensões financeiras que colocaram sua família em uma situação estressante. No entanto, Cory sabe que Deus o conduziu até aqui. Se ele deixar que as preocupações o sobrecarreguem não conseguirá permanecer na tarefa que Deus lhe deu. Cory deve confiar na providência divina e concluir fielmente seu doutorado, pois é o que Deus lhe pediu que fizesse.

Perguntas para discussão

1. Houve uma ocasião em sua vida em que você seguiu o chamado de Deus e as dificuldades fizeram você se perguntar se ainda estava fazendo o que era certo? Descreva a situação.

2. Como saber se estamos trabalhando de acordo com a providência e a vontade de Deus?

Compreensão

Para o professor: A narrativa da viagem de Paulo a Jerusalém, e do tempo que ele passou ali, concentra-se na tentativa do apóstolo de se identificar com os judeus e ligar a fé cristã às suas raízes judaicas, na esperança de compartilhar o evangelho com os líderes judeus em Jerusalém mais uma vez. Ajude a classe a reconhecer que cada passo que levou à prisão de Paulo em Jerusalém era parte do fiel cumprimento de seu chamado para compartilhar o evangelho de Jesus Cristo.

Comentário bíblico

A história do retorno de Paulo a Jerusalém, no final de sua terceira viagem missionária, bem como os acontecimentos que se seguiram estão de acordo com o chamado de Deus a Paulo para que ele compartilhasse o evangelho. Em 1 Coríntios 9:19-22, Paulo disse que havia se tornado muitas coisas para que pudesse alcançar tantos grupos de pessoas diferentes quanto possível com a mensagem do evangelho. Existem três pontos diferentes em Atos 21–23, nos quais podemos ver o compromisso de Paulo com o evangelho. Primeiramente, em sua viagem de volta a Jerusalém. Em segundo lugar, em seu encontro com a liderança da igreja em Jerusalém. E em terceiro lugar, durante o processo de sua prisão.

I. A viagem de Paulo a Jerusalém

(Recapitule com a classe At 21:7-14.)

Paulo estava concluindo a última etapa de sua terceira viagem missionária, e a separação das pessoas às quais ele tinha ministrado foi muito dolorosa. Essa tristeza foi intensificada pelas palavras do Espírito Santo, revelando que Paulo seria preso e perseguido em Jerusalém. Perceba, no entanto, que a mensagem profética de Ágabo não proibiu o apóstolo de ir a Jerusalém. Ela apenas revelou o que aconteceria com Paulo quando ele fosse. As pessoas imploraram para que ele não fosse, mas Paulo estava firme e decidido a realizar sua obra pelo evangelho. Assim como Jesus um dia esteve determinado a ir a Jerusalém, Paulo também estava decidido a ir, mesmo que isso pudesse significar sua prisão ou morte por causa do evangelho de Jesus Cristo. E, com palavras semelhantes às de Jesus no Getsêmani, as pessoas responderam à declaração de Paulo, dizendo: “Faça-se a vontade do Senhor!” (At 21:14; veja Darrel L. Bock, Acts: Baker Exegetical Commentary on the New Testament [Grand Rapids, MI: Baker Academics, 2007], p. 638, 639.)

Perguntas para discussão

1. Por que a vontade de Deus às vezes inclui sofrimento por causa do evangelho?

2. Quando você sofreu por amor ao evangelho?

3. Se Paulo foi chamado “apóstolo dos gentios”, por que ele deveria se incomodar em retornar a Jerusalém?

II. Paulo se encontra com a liderança da igreja em Jerusalém

(Recapitule com a classe At 21:17-26.)

Paulo prestava contas aos líderes da igreja, assim como qualquer obreiro evangélico faz hoje. Portanto, quando Paulo retornou a Jerusalém, fez um relatório sobre a obra para a qual havia sido comissionado e enviado em sua terceira viagem missionária. Ele também trouxe à igreja de Jerusalém uma oferta que ele havia coletado ao longo de sua viagem. Paulo foi fiel em sua comissão evangélica, tanto àqueles a quem ele havia alcançado quanto aos reconhecidos líderes da igreja cristã: Tiago, como líder da igreja cristã que desejava ver o evangelho ser aceito tanto por judeus quanto por gentios, fez uma proposta para Paulo. A fim de que Paulo se aproximasse da comunidade judaica em Jerusalém, Tiago sugeriu que o apóstolo passasse por um ritual de purificação e pagasse para que vários jovens pudessem concluir um voto. Havia rumores de que Paulo estava apostatando porque desconsiderava a lei de Moisés e ensinava essa prática aos outros (veja Darrel L. Bock, Acts: Baker Exegetical Commentary on the New Testament, p. 646).

Pense nisto: 1. A sugestão de que Paulo passasse por esse ritual baseado na Lei comprometia a liberdade do evangelho? Por quê?

2. Você já fez algo que considerava “desnecessário” a fim de estabelecer um relacionamento com alguém por causa do evangelho? Em caso afirmativo, o que você fez? Compartilhe os resultados da sua experiência.

3. Como 1 Coríntios 9:20 se relaciona com essa situação?

III. A prisão e a defesa de Paulo

(Recapitule com a classe At 22:3-22.)

Paulo foi preso durante um motim no qual os líderes judeus tinham a certeza de que o apóstolo havia profanado o templo, trazendo um gentio ao pátio do templo. Quando Paulo teve a oportunidade de falar com a multidão, ele se identificou com a fé judaica de várias maneiras. Ele se dirigiu a eles muito provavelmente em aramaico, o idioma comum do povo hebreu (veja Darrel L. Bock, Acts: Baker Exegetical Commentary on the New Testament, p. 658). Paulo testemunhou de sua educação como fariseu instruído e perseguidor do Caminho. Em seguida, contou que tinha se convertido mediante uma visão do céu, o que fazia parte do sistema de fé farisaico (veja Darrel L. Bock, Acts: Baker Exegetical Commentary on the New Testament, p. 673, 674). Cada um desses argumentos foi apresentado com a esperança de compartilhar o evangelho. E embora seu testemunho tivesse inspirado mais violência, culminando em um atentado contra sua vida, Paulo foi elogiado pelo Senhor, em Atos 23:11, por testemunhar em Seu nome.

Pense nisto 1. Como podemos nos aproximar de diferentes grupos de pessoas a fim de compartilhar o evangelho?

2. Como Deus usa as dificuldades para fortalecer nossa confiança Nele?

 Aplicação

Para o professor: É importante que a classe reconheça que as dificuldades que enfrentamos por causa do evangelho são diferentes de outras dificuldades na vida.

Perguntas para aplicação

1. Qual é a diferença entre as dificuldades gerais e as que vêm por causa do evangelho?

2. O que devemos dizer e fazer pelo evangelho?

Criatividade

Para o professor: Ajude os alunos a pensar em diferentes grupos de pessoas e como eles podem se aproximar desses grupos por amor ao evangelho.

Atividades

1. Pense nos diferentes grupos de pessoas que você encontra durante a semana. Faça uma lista desses grupos.

2. Pense em estratégias específicas que você poderia usar para se conectar com eles por amor ao evangelho.