Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DA ESCOLA SABATINA - PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2019

Lição 11 – As sete últimas pragas

Semana de 9 a 15 de março

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com – marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

Verso para memorizar: “Quem não temerá e não glorificará o Teu nome, ó Senhor? Pois só Tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de Ti, porque os Teus atos de justiça se fizeram manifestos” (Apoc. 15:4).

 

Introdução de sábado à tarde

O verso acima se cumpre após a segunda vinda de JESUS CRISTO. Todos os salvos temerão o nome de DEUS, isto é, respeitarão a DEUS. Porque todos sabem que DEUS é especial, Criador, Ele é a lei, por isso é santo, ou seja, separado de tudo o que é mau, diferente de todos em Seus atributos. No Céu estarão representados salvos de todas as nações da Terra em todos os tempos, e estas virão para adorar a DEUS. Uma das razões para esta adoração é a resposta de DEUS aos ímpios da Terra, aos enganadores e a satanás e seus anjos: a justiça divina. As almas debaixo do altar agora estão satisfeitas. Sofreram nas mãos dos maus, perderam tudo para eles e foram mortos com requintes de horror, veja aqui  e nesse outro como eram os ‘autos de fé’. Agora essas pessoas estão salvas, tem vida eterna e seus cruéis algozes estão mortos, espalhados sobre a Terra. No final do milênio serão extintos pelo fogo eterno.

As sete pragas finais serão muito mais duras que as do Egito. Lá foram dez pragas, mas aquelas serão brandas perto dessas. Imagine a sétima praga, que destrói a vida no planeta e quase o reparte em pedaços devido a intensidade de um grande terremoto, fora outros que surgirem. Assim DEUS protegeu Noé e sua família das enormes e potentes ondas que poderiam destruir a arca, do mesmo modo os salvos serão protegidos das pragas e especialmente da sétima praga. Nesse tempo da sétima praga eles saberão que estão salvos, conhecerão o dia e a hora da vinda do Salvador. Isso será anunciado no início da última praga. Durante a sétima praga os ímpios saberão qual é o seu destino. DEUS já terá exposto a Sua lei e o quarto mandamento. Os ímpios brigarão entre si, acusando e matando os líderes que enganavam a todos eles. Mas diga-se em tempo, eles se deixaram enganar, pois o evangelho foi pregado a todos com suficiente informação.

Antes das pragas, só um pouco antes, haverá um descalabro na Terra. As nações estarão em fúria terrível umas contra as outras, porém, aliadas num ponto: a santificação do domingo e a emissão do decreto dominical. Isso era para resolver os grandes problemas naturais, sociais e econômicos da Terra, mas só piorou. Então há uma fúria contra o povo de DEUS, mas também entre as nações. Não se espere que onde satanás governa algo dê certo e a situação seja estável. Mas antes ainda dessa fúria, e provavelmente pouco antes do decreto dominical, haverá uma expectativa de paz e segurança, conforme I Tess. 5:3. Ellen White explica esse tempo: “Foram-me mostrados os habitantes da Terra na maior confusãoGuerra, derramamento de sangue, privações, necessidades, fomes e pestilências estavam por toda parte. … Minha atenção foi então desviada da cenaParecia haver um pequeno tempo de pazMais uma vez os habitantes da Terra me foram apresentados; e novamente tudo se achava na maior confusão. Lutas, guerras e derramamento de sangue juntamente com fome e peste imperavam por toda parte. Outras nações se achavam empenhadasnesta luta e confusão. A guerra ocasionou a fome. A miséria e o derramamento de sangue deram lugar à pestilência. E então o coração dos homens desmaiou de terror, “na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo“. Luc. 21:26”  (Serviço Cristão, 55 e 56, grifos acrescentados). Ou seja, o mundo estará em confusão como ela diz, mas vai surgir um pequeno tempo de paz, sucedido por nova confusão, cada vez pior, até o fim. Ver a tendência destruidora no mundo na fase pós o aparente tempo de paz vai fazer com que muitos desmaiem de horror. É esse o tempo de I Tess. 5:3, chamado repentina destruição. Depois da aparente paz, a confusão retorna e só piora até que comecem as pragas e que o mundo seja destruído. Nem é possível hoje imaginar o nervosismo dos líderes políticos nesse tempo, acusando-se e ameaçando-se mutuamente enquanto o Vaticano acusa os guardadores do sábado. Isso sim será uma confusão. Para piorar tudo, logo começam as pragas. A situação durante as pragas ficará tão desesperadora que as nações darão ouvidos à besta (Vaticano) e aos EUA, e unirão sua fúria contra o povo de DEUS. Querem ainda salvar o planeta do caos e confusão que só piora. Se quiser ler algo a respeito, veja em Apocalipse 18:9 a 20. É uma dramática descrição literal da sétima praga.

Durante as pragas nenhum santo morre. Serão protegidos por DEUS como os israelitas das dez pragas e do poder dos egípcios. Após as pragas, já na Nova Terra, cantarão o cântico de Moisés e de JESUS. Esse é o cântico de vitória após a eliminação do exército do Egito no Mar Vermelho. Moisés venceu esse exército mediante a obediência a DEUS. Assim também JESUS venceu na cruz mediante a obediência a DEUS. Não cedeu em nenhum ponto de qualquer insinuação de satanás. Assim como todo o povo pôde cantar junto com Moisés pela vitória, também todos os salvos poderão cantar com JESUS pela vitória sobre o mal.

 

  1. Primeiro dia: O significado das sete últimas pragas

As sete últimas pragas são mais intensas e fulminantes que as do Egito. Aquelas apenas atingiram um país do mundo e não o destruíram completamente. Estas destruirão o planeta inteiro, e não restará vida humana sobre a Terra.

Pouco antes das pragas iniciarem, ainda em tempo de graça para haver arrependimento, satanás será liberado e os ventos retidos se soltarão gradativamente. Ao iniciarem as pragas será como se desabasse um temporal sobre o planeta. Enquanto os servos de DEUS estiverem pregando e tentando salvar mais alguém, esses ventos não soprarão com total intensidade, mas somente a tal ponto de não atrapalhar essa pregação. Enquanto houver um ser humano que ainda necessite ouvir a Palavra de DEUS os ventos terão de esperar, ou seja, os países terão de reter seu ódio e suas armas uns contra os outros. A situação no mundo piorará a cada dia, até que um dia DEUS fecha a porta da graça. Aí as forças da contenda serão totalmente liberadas. Os salvos estarão protegidos por DEUS, mas os ímpios terão de sofrer as pragas, uma após a outra, e elas serão cumulativas. Ainda por cima, esses ímpios estarão em guerra entre si e contra o povo de DEUS. Não dá para hoje imaginar a cena de confusão em que se transformará o nosso planeta.

As sete trombetas, de Apocalipse 8, não são pragas, são ventos sobre a terra, guerras das nações. Como já estudamos, as quatro primeiras derrubam o Império Romano Ocidental, e esse é um juízo sobre essa nação, mas não uma praga vinda do trono divinoA quinta trombeta, a guerra dos maometanos ou muçulmanos, derruba o Império Romano Oriental, a sexta é o fim do poder dos muçulmanos não sem antes quase exterminar com o cristianismo falso. A sétima trombeta são os eventos finais em que estamos vivendo, vivendo a fúria das nações, ou seja, o preparo para a conclusão da obra na Terra, a fúria das nações e o fim do mundo.

As sete taças só ocorrem quando não há mais tempo de graça, quando não há mais intercessão, quando a porta da graça se fechou. Nesses dias, ninguém dos ímpios  têm interesse em seguir a JESUS, todos já decidiram quanto ao seu futuro, não haverá mais pregação e nenhum ensinamento sobre a Bíblia. É certo que vagabundos (pessoas desesperadas mas que não tem interesse em se converter, só pensando em escapar da ira divina, assim como queriam entrar na arca quando começou a chover) irão de um lugar a outro procurando por aqueles que ensinavam sobre a salvação, mas não os encontrarão (Amós 8:12). Nada há mais para fazer pelo ser humano, todos já decidiram e se DEUS resolvesse reabrir a porta da graça por mais um tempo, ninguém aproveitaria. A angústia desses ímpios é pela sua vida e por seu patrimônio, conta bancária, prestígio social, poder, etc., não para seguir JESUS. Não querem mudar sua vida, só querem entrar na arca e continuar incomodando. Pelo contrário, durante as pragas, em vez de conversão a maioria odiará a DEUS cada vez mais, amaldiçoando-O e tentando matar os Seus fiéis seguidores.

 

  1. Segunda: O derramamento das últimas pragas

As pragas são para os que rejeitaram a última advertência evangélica dos três anjos e a advertência de Apocalipse 18:4. Em vez disso, perseguiram os que evangelizavam. Essas pragas serão as últimas porque depois delas não haverá mais história, tudo termina com as pragas. Só no final do milênio haverá um pequeno tempo de intensa rebelião antes do fogo do inferno, que é pior que todas as pragas juntas. Tentarão, pasmem, arrombar os muros da cidade e assaltá-la e tomar o poder de JESUS como Rei do Universo. Nem dá para imaginar a que ponto de loucura chegarão satanás, seus anjos e os ímpios seres humanos.

As quatro primeiras pragas serão regionais. A primeira será de algum tipo de úlcera hoje desconhecida e incurável, muito dolorida e fedorenta, de mau aspecto, algo nojento. Nem todas as pessoas dentre os ímpios terão úlceras. As que terão, parece que se tornarão pessoas inválidas.

A segunda e terceira pragas serão mar em sangue e rios e fontes das águas em sangue, mas não em todos os mares e nem em todos os rios. Assim será muito complicado beber água em certos lugares. Os animais aquáticos morrerão, e isso, junto com o sangue de morto do que era uma vez água, resultará num cheiro horrível. Tente imaginar as hidrelétricas que param. As navegações marítimas e outras que param também. O comércio global terminou. A comunicação termina por falta de eletricidade. Televisão, telefone, internet etc., acabou tudo. A quebradeira de empresa leva ao caos. Onde há irrigação, não há mais. Os negócios, crédito e débito eletrônico acabou tudo. A economia do mundo cessa com essas duas pragas.

A quarta praga, sol sobreaquecido, torra as plantações, e não há mais produção nas hortas das grandes cidades, nem plantas nas fazendas e nem pasto para o gado. A fome e a carestia aumentarão o caos. A dor do sol quente sobre quem tem as úlceras será terrível. Ar condicionado não funciona por causa do sangue nos rios, não há mais geração de energia elétrica. Nem ventiladores funcionam. O ódio dos ímpios contra DEUS será algo horrível de se ver, porque a capacidade de ganhar dinheiro acabou. Para os santos, é melhor fugir mesmo das cidades. Imagine o ódio do joio adventista contra os que permaneceram fiéis. Será enorme o ódio dos líderes políticos, que são cobrados para tomarem providências. O Vaticano continuará acusando os guardadores do sábado pelo que acontece, e cobra uma providência por parte dos políticos e do povo, de eliminação desse povo, e isso é uma manipulação de satanás.

A quinta praga cai sobre a sede de Babilônia. Não se sabe dizer se só sobre o Vaticano ou se onde houver representações regionais. Pode ser essa última hipótese, já que essa praga não é só localizada como as anteriores, é universal. Então imagine uma escuridão misteriosa sobre onde houver uma igreja de Babilônia, onde houver uma sede administrativa, etc. Talvez seja assim, mas não é certo, não temos maior revelação. Mas uma coisa é certa: essa praga identifica a natureza do sistema falso, que ele é um sistema de enganação. Isso foi explicado pelos servos de DEUS e agora Ele mesmo está identificando a natureza de Babilônia. Mas do mesmo modo como os sacerdotes se enraiveceram contra JESUS para o matar, assim se enraivecerão contra DEUS e contra Seus seguidores nesses últimos dias. Sabem que estão errados, mas jamais admitirão a derrota.

Então, liberados por DEUS, os três poderes imundos saem aos líderes, e com sinais miraculosos os seduzem a uma coligação infernal para destruir o povo santo. Há da parte do Vaticano um ódio incontrolável porque esse povo pregou com vigor e retirou de lá os honestos e fiéis servos de DEUS que ainda permaneciam em Babilônia, mas trocaram de lugar. A quinta praga os deixa em fúria assustadora. E a perda dos fiéis foi a maior perda de todos os tempos para o inimigo. Ele perdeu o controle sobre pessoas que pensavam adorar a DEUS, e que, ao descobrirem o engano, mudaram para o lado certo, o da vida eterna. E isso faz parte da ruína de seu império. Ele agora só tem pessoas que aderiram a ele por algum interesse ou por medo, mas que não são fiéis por natureza, assim como ele não é confiável.

Assim se prepara a sexta praga, que é também o Armagedom, a última batalha. É ainda a angústia de Jacó para o povo de DEUS. Eles correrão atrás do povo de DEUS que terá de fugir, mas nenhum será machucado ou morto. Os ímpios irão querer duas coisas:matar os servos de DEUS e roubar seu alimento porque estão morrendo de fome. Estão comendo qualquer coisa, raízes, bichos mortos, papel, carne de pessoas mortas, etc. Por isso DEUS só envia alimento e água para aquele momento, nada mais, mas nunca faltará. Pode até atrasar um pouco, mas isso é para aumentar ainda mais a fé, a única âncora dos justos. Ou confia em DEUS, ou já era. Estarão selados, ou seja, guardam o sábado com convicção quase infinita, portanto, estarão sempre protegidos por poder infinito.

Ao iniciar a sétima praga, e ela inicia no auge da angústia dos santos, ela é uma intervenção de DEUS na tendência dos fatos, DEUS mostra do Céu os Dez Mandamentos e aparece em destaque o mandamento do sábado. Aí cairá a ficha, como se diz, de muitos ímpios, pois lembram que o povo que hora estão perseguindo pregou sobre o sábado. Eles percebem que o erro está neles, não no povo perseguidoPercebem que foram enganados por falsos líderes religiosos e se revoltam contra essesAí a cena muda completamente, e quem vai sofrer são os líderes de Babilônia. Eles serão devastados pelo povo, que se sente traído e completamente sem esperança alguma. É o fim deles todos, enganados e enganadores. O povo de DEUS estará em paz durante a sétima praga, aguardando o dia e a hora da vinda de JESUS, já anunciado por DEUS, quando mostrava os Dez Mandamentos.

A sétima praga é um misto de guerra total entre os ímpios, perseguição contra os falsos líderes religiosos, tempestades com pedras de gelo de uns 40 quilos, tendo todo tipo de tamanho, terremotos e maremotos em intensidade como nunca houve, fogo destruidor e outras calamidades. Ao início da sétima praga haverá ao menos um grande e poderoso terremoto como nunca se viu, logo será de mais de 9,5 graus na escala Richter. Os líderes ímpios lamentarão a queda de Babilônia, e chorarão amargamente (ver Apoc. 18:9 a 19), pois era a sua esperança de continuar dominando e enriquecendo. Esses aí não tiveram o menor interesse no humilde JESUS e Seu reino de amor; querem explorar os outros em seu benefício. E continuam as pragas anteriores, pois são cumulativas, logo, as condições de vida dos não selados será cada vez pior. No auge da sétima praga JESUS volta e leva os fiéis para outro lugar. Os outros já estarão mortos ao partirmos, e satanás começa a amargar sua longa prisão de mil anos tipo corredor da morte.

 

  1. Terça: O secamento do rio Eufrates

Na antiga Babilônia, a sua capital, Babel, era uma enorme fortaleza construída parte sobre uma ilha do rio Eufrates e parte sobre o continente. O braço menor do rio cruzava por dentro da cidade. Havia muros em redor da cidade, altos e largos. Os muros também estavam sobre a parte do rio, e abaixo deles colocaram barras de metal de modo que fosse impossível alguém mergulhar por baixo. Quando havia cheia, as águas se desviavam naturalmente para o leito maior do rio, circundando o muro. Portanto, tendo depósitos enormes de cereais e tendo água, a cidade era praticamente impenetrável para qualquer inimigo, não podendo ser conquistada. Mas isso era aparente, ela foi facilmente tomada pelos persas de Ciro.

Ciro, o persa, penetrou com seu exército por baixo do muro. Mais acima do rio, seu exército construiu um dique e desviou a água para o leito maior do Eufrates. Assim secou o rio que corria por baixo do muro e os soldados retiraram as barras de metal e penetraram sem a menor resistência, ninguém guarnecia aquele lugar, aliás, estavam todos bêbedos. O rei Belsazar estava num banquete bebendo, em forma de deboche, dos vasos sagrados do templo de Jerusalém. Enquanto os persas entravam por baixo do muro, uma mão dava o veredito a Belsazar, que Daniel interpretou como seu fim. O veredito era, em outras palavras, o seguinte: ‘você não vale nada.’ Naquela noite mesmo mataram o rei e tornaram Daniel ministro dos Persas. Esse poder, dos persas, mais tarde, fez o povo de DEUS retornar à sua pátria.

Atente para algo interessante. A cidade de Babel estava situada sobre o Rio Eufrates, e isso era a sua garantia que a tornava insuperável. Secaram o rio e foi-se a garantia. Algo assim acontecerá à Babilônia mística, quando perder o apoio popular logo após a sexta praga e o povão se revoltar contra os falsos mestres e contra as falsas igrejas.

Esse Ciro, persa, simboliza JESUS CRISTO, que também, na segunda vinda, como os persas, vem do oriente. Tal como Ciro, que libertou os israelitas do cativeiro babilônico, permitindo o retorno à pátria, JESUS também nos libertará levando-nos para o Céu, a nossa pátria definitivaAssim como os persas secaram o rio Eufrates para derrotar Babilônia, DEUS também o faráEle mostrará ao mundo, em Sua mão, os Dez Mandamentos destacando o sábado. Isso informará as pessoas do mundo (mas não seus líderes nem os falsos mestres que ensinaram sobre o domingo, esses não se renderão nem a DEUS) que elas optaram pelo caminho errado, o da destruição. Quando as pessoas do mundo souberem de seu erro, a despeito da boa pregação dos servos de DEUS com o poder do ESPÍRITO SANTO, elas se enraivecerão sabendo que estão perdidas, e se voltarão, durante a sétima praga, contra esses enganadores líderes religiosos. Isso é a perda do apoio popular, população que hoje ainda está maravilhada (deslumbrada) após a besta (Apoc. 13:3 e 4).

O que aconteceu aqui? As águas do Eufrates protegiam a cidade de Babilônia. Mas ao secarem, o inimigo entrou e tomou a cidade e derrubou o império babilônico. Foi tão fácil, era só secar a parte do rio que passava por dentro da cidade. Nisso os estrategistas construtores da cidade não haviam pensado.

Esse secamento literal serve de simbolismo para Apocalipse 16:12. Agora, no tempo do fim, o secamento do rio Eufrates é simbólico. Como a Babilônia mística está sentada sobre muitas águas que significam muitos povos, agora esse secamento significa a perda do apoio popular dos povos que se maravilhavam após a besta. Essa perda de apoio ocorrerá porque na quinta praga ficou provado que Babilônia é falsa, é escura, mas isso ainda não convencerá os ímpios. Eles ainda assim tentarão assaltar os servos de DEUS, e isso é o Armagedom da sexta praga, Armagedom que continua na sétima praga; agora é DEUS contra os inimigos de Seu povo. A população comum do mundo só se convencerá de seu erro ao ver os Dez Mandamentos que DEUS irá mostrar, com Seu braço estendido, e destacando o sábadoSatanás conseguiu enganar o mundo, quase todos, com sua capacidade de fazer sinais e maravilhas, mas DEUS escancarou a mentira mostrando os Seus mandamentos, os mesmos que Seus servos haviam ensinado, mas que esses ímpios, zombeteiramente, desdenharam.Então o povo do mundo inteiro, não seus líderes, se revoltará e enquanto cai a sétima praga eles devastam Babilônia, aqueles lugares em que desde a quinta praga há escuridão total. Os líderes políticos e os grandes empresários estarão chorando amargamente por causa da destruição da grande cidade (Vaticano) na qual depositaram todas as suas esperanças. Isso pode ser lido, devagar, com oração e reflexão, em Apocalipse 17 e 18. Enquanto o mundo chora a destruição de Babilônia, os santos rumam para a verdadeira cidade em que há firme esperança e segurança, a Nova Jerusalém.

 

  1. Quarta: Último grande engano de satanás

O estudo de hoje e o de quinta são complementares. Aliás, são a continuidade do estudo de ontem.

Qual é o último engano de satanás? Ele, por meio da tríplice aliança dos três poderes imundos (Apoc. 16:13 e 14) persuadirá as nações do mundo inteiro que a grande crise que ocorreu antes das pragas e as próprias pragas, são motivadas pelo grupo de pessoas que não está santificando o domingoPortanto, é necessária, é uma exigência de DEUS, por isso as pragas, de se eliminar esse grupo de pessoas, que até por não santificarem o domingo, sabendo de sua culpa, estão a fugir pelas florestas e montanhas. Eliminando essas pessoas, as pragas cessam e o planeta retorna ao normal, a economia retoma o crescimento e haverá paz e segurança, como foi por pouco tempo antes da repentina destruição. Essa repentina destruição são as próprias pragas.

Como satanás persuadirá as nações do mundo? Por meio de sinais inexplicáveis pela ciência. Parecerá ser o poder de DEUS. Quais são alguns desses sinais?

  • Curas maravilhosas de doenças de difícil cura ou incuráveis (isso já está em andamento, mas se intensificará);
  • Anjos de luz e o próprio satanás aparecerá, simulando serem os apóstolos e o próprio JESUS vindo pela segunda vez. Eles afirmarão que o sábado foi mudado para o domingo. Esse é na realidade o maior engano, Ellen G. White diz ser o ato culminante no grande drama do engano. Dizem esses seres majestosos que é uma exigência de DEUS que todos santifiquem o domingo. Não pode sequer um único ser humano desobedecer a este mandamento, pois senão vai acontecer como foi com Israel quando Acã escondeu uma capa babilônica, ouro e prata em baixo de sua barraca, pega da cidade de Jericó. O exército de Israel foi batido pelo da cidade de Ai por causa da maldade de um único homem. Agora ocorrem as pragas e as catástrofes vem por causa desse pequeno grupo de desobedientes à Lei Dominical, uma lei humana.
  • Ele, satanás, fará descer fogo do Céu (Apoc. 13:13), simulando o que fez Elias no Monte Carmelo, para identificar a verdadeira adoração e o verdadeiro DEUS. Isso será um forte fator de convencimento para o mundo, pois de alguma forma os líderes saberão sobre a história do profeta Elias.
  • Uma quantidade gigantesca de milagres de todos os tipos (Apoc. 13:14) espalhados mundo afora servirão para convencer que é DEUS exigindo a santificação do domingo (aliás, essa é a grande questão, o sábado ou o domingo, e satanás se empenhará de todo para persuadir ou para seduzir).

Muitas dessas manifestações espetaculares de satanás ocorrerão antes das pragas (por exemplo, uma quantidade grande de igrejas hoje mesmo, fazem muitos milagres, mas não santificam o sábado, portanto esses milagres não vêm de DEUS), mas outros virão após as pragas, mais diretamente para seduzir as nações contra o povo de DEUS. Ele fará sinais na medida em que DEUS o libera para fazer. DEUS sempre estará no comando, satanás sempre sujeito a Ele. Satanás com seus anjos deverá, durante as pragas, exercer grande empenho para controlar suas forças quase completamente fragmentadas por lutas internas, por desavenças, por ódio internacional, pelas catástrofes, por perdas financeiras, e muito mais de ruim a acontecer. A grande conclamação para matar o povo de DEUS, esse é o decreto de morte, que deverá ser executado na sexta praga, que é ao mesmo tempo a primeira parte da batalha do Armagedom e também a angústia de Jacó, justo por causa dessa batalha, a última, será comandada pelo próprio satanás, por intermédio dos três poderes imundos semelhantes a rãs, o Espiritismo, o Protestantismo apostatado dos EUA e o Catolicismo do Vaticano. É pelo Espiritismo que satanás fará sinais e maravilhas, aliás, já está fazendo. Assim como hoje multidões vão às igrejas populares por causa desses sinais, assim também os líderes do mundo, apavorados por causa das catástrofes e depois das pragas, se convencerão da necessidade de executar o decreto de morte, já que o decreto dominical foi ineficaz contra esse povo. Descobrirão depois que o decreto de morte também não servirá para nada. A batalha do Armagedom é a última antes da segunda vinda, antes de nosso resgate. Dessa vez, ou satanás vence, ou não terá mais com quem lutar, senão após o milênio, mas ali, à beira do inferno fatal, destino contra o qual ele fará de tudo para escapar. Por essa batalha satanás tentará desesperadamente impedir a segunda vinda de JESUS e tentará evitar a prisão do milênio. Tentará fazer com que a promessa de JESUS falhe, matando, se possível, ao menos um dos salvos, depois com o início das pragas, mas DEUS protege os Seus e assim como nas pragas do Egito, nenhum santo deverá morrer. É vidente que, se satanás conseguisse matar ao menos um dos salvos, o governo celeste poderia ser acusado de ter falhado, e isso reverteria o resultado da grande guerra, satanás de perdedor se tornaria vencedor. Tal coisa jamais acontecerá, porque agora é satanás contra o DEUS do Universo, não mais contra um JESUS humano e mortal. É um anjo mau, limitado em poder, contra o DEUS Criador do infinito Universo, infinitamente poderoso. Nós estaremos observando os dois poderes em ação.

O curioso é que aqueles que antes do início do milênio, que se haviam revoltado contra Babilônia enganadora e que a devastaram (Apoc. 17:16), estarão lado a lado com satanás, com a besta e com o falso profeta para tentar assaltar a Nova Jerusalém, no final do milênio, antes da descida do fogo do inferno. Gente confusa, império confuso, chefe mau e confuso!

 

  1. Quinta: Reunião para a batalha do Armagedom

A batalha do Armagedom inspira-se no passado para ser ilustrado. Há um lugar situado na região de Israel antigo, um vale chamado Vale do Megido. É um lugar plano onde ocorreram algumas batalhas entre forças de nações estrangeiras e Israel. Foi onde Israel sofreu bastante em termos de guerra. É o lugar onde o rei Josias foi ferido de morte.

Ao lado desse vale há um monte, o Carmelo, onde Elias venceu os falsos profetas de Baal da rainha Jesabel. Ali DEUS, atendendo Elias, fez descer fogo do céu atestando quem é o verdadeiro DEUS e quem era falso. Era um profeta de DEUS contra 450 de Baal, os perdedores que foram mortos.

Tanto DEUS quanto satanás estão utilizando esse evento, de Elias, para a última batalha. Satanás fará descer fogo do céu para simular que DEUS está defendendo o domingo e que, quem precisa ser morto são os guardadores do sábado. Esse fogo lembra quando Elias fez o mesmo, para distinguir o profeta do DEUS verdadeiro dos profetas do deus falso. DEUS utilizará o fato das guerras do Megido e do monte Carmelo ilustrando aspectos da última batalha. No caso de DEUS, o que vale é a posição de Elias, firme ao lado da verdade, e o que vale para satanás, é um tremendo engano querendo fazer como que Elias hoje esteja dizendo o contrário do que diz a Bíblia em relação à lei de DEUS. Mas Elias disse: “À lei e ao testemunho, quem não falar segundo essa palavra é porque não tem a luz” (Isaías 8:20, grifado por mim).

Também DEUS está utilizando esses lugares para ilustrar que ali será a batalha final entre as forças de satanás e os amigos de DEUS, aqui na Terra, antes do milênio, e que a vitória já está garantida pelo poder que JESUS conquistou na Cruz. Dessa vez, também vai descer fogo do Céu, mas no final do milênio, e sabemos o que esse fogo fará.

O grande fato que causa até estranheza é o quanto satanás será bem sucedido em enganar os grandes líderes da Terra, os presidentes, chanceleres, senadores, deputados e muitos outros de alto posto no comando das naçõesEles seguirão Babilônia quanto à imposição do domingo como dia santo, mesmo os líderes ateus. Serão enganados pelo poder do Espiritismo e seus sinais inexplicáveis para a ciência, que até os cientistas nesses dias imaginarão virem de DEUS. O Vaticano, então aliado aos EUA e ao Espiritismo, comandará as forças ideológicas e religiosas do mundoAs nações não terão outra esperança senão no milenar Vaticano e Igreja Católica, que se manteve existente ao longo de muitos séculos. É a igreja mais presente ao redor do mundo, com o maior contingente de sacerdotes, e, portanto, possui o mais completo sistema de informações do planeta. O seu poder de convencimento ao lado dos EUA e do Espiritismo é fantástico, é o maior poder sedutor do mundo. Levar as nações do planeta, todas elas, à defesa do domingo e condenação dos sabatistas, sem exceção de sequer uma nação, é o maior engano de satanás. Pois bem, ele conseguiu passar a conversa em 33% dos anjos, imagina se não tem capacidade de enganar seres humanos que se distanciaram da Bíblia e do ESPÍRITO SANTO.

 

  1. Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

A grande questão no tempo final é: ao lado de quem estamos? De DEUS ou de satanás? Os adventistas dirão: estamos do lado de DEUS porque fomos selados com o selo do sábado. Os de Babilônia dirão: estamos do lado de DEUS porque guardamos o domingo, dia da ressurreição. E eles terão uma prova da mudança: JESUS e os apóstolos aparecerão em pessoa dizendo que houve mesmo a mudança. Esse é o maior de todos os enganos. Alias, a mudança da lei é a maior trapaça religiosa de todos os tempos. Basta uma perguntinha bem simples: Será que DEUS, que é perfeito, teria que mudar uma lei Sua? Isso é simplesmente inadmissível. Mas aqueles que nunca leram com atenção suas bíblias, aqueles que são crentes só de ouvido, só de absorver sermões, não importa em que igreja estejam, aqueles que não examinam em suas Bíblias, esses aceitarão a mentira do ‘ato culminante no grande drama do engano.’ Estão fundamentados em nada, qualquer vento de doutrina falsa os arrasta para um lado ou para o outro. A segura Palavra de DEUS é a Bíblia, e tudo o que discorda dela ou destoa, é falso, vem do inimigo.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

“Satanás percebe que está prestes a perder a sua causa. Não pode iludir o mundo inteiro. Ele faz um último e desesperado esforço para vencer os fiéis pelo engano. Efetua isso personificando a Cristo. Cobre-se com as vestes da realeza que foram acuradamente descritas na visão de João. Tem poder para fazer isso. Aparecerá a seus seguidores iludidos, o mundo cristão que não recebeu o amor da verdade, antes teve prazer na iniquidade (transgressão da lei), como Cristo vindo pela segunda vez.

“Ele se proclama o Cristo, e é aceito como tal, um ser imponente e belo, revestido de majestade, com voz suave, palavras agradáveis e uma glória não superada por coisa alguma que olhos humanos já contemplaram. Então os seus enganados e iludidos seguidores soltam uma exclamação de vitória: “Cristo veio pela segunda vez! Cristo veio! Ele levantou as mãos assim como fazia quando esteve na Terra, e nos abençoou.” …

“Os santos observam o que se passa com estupefação. Eles também serão enganados? Adorarão a Satanás? Há anjos de Deus ao seu redor. É ouvida uma voz clara, firme, musical, dizendo: “Olhai para cima!”” (Eventos Finais, 164).

 

  1. Informe profético de fatos recentes

Papa nos Emirados Árabes Unidos

A dimensão inter-religiosa esteve no centro desta viagem. Na segunda-feira, 4 de fevereiro, o Papa reuniu-se com o Grão Imame de Al-Azhar, o xeique Ahmad Al Tayyeb – que foi o quinto encontro entre os dois líderes – e o presidente do Conselho de Anciãos Muçulmanos. Um encontro que “testemunha um compromisso compartilhado com os princípios de respeito mútuo e de coexistência pacífica”. É um significativo avanço no diálogo inter-religioso. Fonte aqui.

Nesse encontro houve a assinatura de uma declaração entre o Vaticano e os muçulmanos. A declaração foi destinada a marcar não só a história das relações entre o Cristianismo e o Islã, mas também a própria história do mundo islâmico. Veja sobre isso aqui.

Também esse encontrou fez avançar o diálogo religioso entre o cristianismo e o Islã, e parece haver forte tendência de novos avanços para a unificação de todas as religiões e filosofias humanas. Leia mais aqui e aqui e nesse outro.

 

Papa deseja paz para o Oriente Médio

O seu desejo é de “assegurar a todos os fiéis do Oriente Médio minha proximidade, meu pensamento constante e a minha oração, para que aquelas terras, únicas no plano salvífico de Deus, após a longa noite de conflitos, possam vislumbrar um alvorecer de paz”. Nota-se o clamor por paz nesta região, assim como no mundo todo. Veja mais nesse link.

 

TV Record

Condenada, a Record terá que transmitir programas sobre religiões de matriz africana. A decisão foi acordada entre as partes, reduzindo o tempo dos programas de uma hora, para 20 minutos. A TV Record afrontou as religiões de matriz africana em seus programas religiosos. Agora a justiça concedeu que essas religiões fizessem programas na TV Record. Leia sobre isso nesse link.

Se isso virar moda…

 

  1. Comentário de Ellen G. White

“À medida que se aproxima o segundo aparecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, agentes satânicos são instigados por um poder de baixo. Satanás não somente aparecerá como um ser humano, mas personificará a Jesus Cristo; e o mundo que tem rejeitado a verdade recebê-lo-á como o Senhor dos senhores e o Rei dos reis. Review and Herald, 14 de abril de 1896.

“A ira de Satanás aumenta à medida em que o tempo se abrevia, e sua obra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia” (Maranata, O Senhor Vem, MM 1977, 274).

 

  1. Conclusão

“Ouvireis a exclamação: “Creia somente!” Satanás creu e tremeu. Precisamos ter uma fé que atue pelo amor e purifique o coração. Prevalece a ideia de que Cristo fez tudo por nós e que podemos continuar transgredindo os mandamentos, sem que sejamos considerados responsáveis por isso. Este é o maior engano que o inimigo já inventou. Devemos tomar a decisão de que não violaremos os mandamentos, custe o que custar, e estar naquela condição espiritual em que possamos instruir a outros nas coisas espirituais. Manuscrito 44, 1886.

“Cristo sabia que o homem não podia vencer sem a Sua ajuda. Ele consentiu, portanto, em depor Suas vestes reais e revestir Sua divindade com a humanidade para que pudéssemos ser ricos. Ele veio à Terra, sofreu, e sabe exatamente como compadecer-Se de nós e ajudar-nos a vencer. Veio trazer força moral para o homem, e não quer que o homem suponha que nada tem de fazer, pois cada um tem uma obra para fazer por si mesmo, e por meio dos méritos de Jesus podemos vencer o pecado e o diabo” (Mensagens Escolhidas, v3, 153 e 154).