Leia: O ANO BÍBLICO com a bíblia NVI e a Meditação Matinal - Maranata, O Senhor Vem! - Ellen G.White

LIÇÃO DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2018

Lição 11 – O selo de DEUS ou a marca da besta?

Semana de 9 a 15 de junho

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com – marks@unijui.edu.br – Fone/fax: (55) 3332.4868

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

Verso para memorizar: “Grandes e admiráveis são as Tuas obrasSenhor DEUS, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os Teus caminhos, ó Rei das nações!” (Apoc. 15:3).

 

Introdução de sábado à tarde

Sobre a besta, sobre a marca da besta, sobre a primeira e a segunda besta, sobre as duas testemunhas, sobre o Armagedon, sobre as pragas, etc., que se encontram no livro de Apocalipse, há, mundo afora, uma confusão sem tamanho. É isso mesmo que satanás quer, que os seres humanos entendam tudo errado, o que lhe convém. Ou, que não identifiquem quem é verdadeiramente Babilônia e muito menos se previnam contra ela.

Por exemplo, no canal de televisão da Record, pertencente à Igreja Universal, passa uma novela sobre o Apocalipse. No mesmo canal oferecem curso sobre o Apocalipse, elaborado pelos seus pastores, especialmente pelo pastor Edir Macedo. Gente, que confusão é aquilo! Tudo errado. Não estou assistindo, seria perda de tempo, mas nas propagandas se pode perceber do que se trata. Por favor, não se perca tempo assistindo isso, e mais um por favor: estudem bem essas lições, que são verdadeiras e tem a orientação do ESPÍRITO SANTO. E mais ainda, quão grande é a nossa responsabilidade para esclarecer ao mundo sobre esses assuntos, que fazem parte da mensagem final a todas as pessoas, porque satanás já está pregando a sua mensagem.

O que dói, isso sim, dói muito, é nós termos a verdade, e a maioria de nossos irmãos, especialmente os jovens, desconhecerem a verdade. E muitos pregadores também pouco entendem sobre as profecias, e elas não são difíceis, mas requerem um estudo inicial mais profundo que uma simples passada para preparo de batismo.

Por favor, peço aos líderes das nossas igrejas: vamos dedicar mais tempo ao estudo em nossos cultos, e menos sermões, que são ensinamentos passivos, de pouquíssimo impacto na aprendizagem. São na realidade, perda de tempo. Um sermão por semana seria suficiente, domingos e quartas-feiras à noite se deveria, por exemplo, ter momentos de estudo e de debate.

Nesta semana estudaremos sobre a marca da besta e o selo de DEUS.

Sobre o verso acima, temos quatro afirmações taxativas. (1ª) É o DEUS poderoso Criador. Contemple-se o Universo à noite, as estrelas, com um binóculo, e também nos assombraremos com o poder criador de DEUS. (2ª) É o DEUS todo-poderoso, capaz de tudo, infinito em poder. (3ª) Ele é correto em tudo o que faz, nunca mente e faz justiça inquestionável. (4ª) Ele está acima de todas as nações, é o rei verdadeiro sobre todo poder na Terra bem como em qualquer lugar do Universo.

Temos um DEUS capaz tanto de criar quanto de manter e assim como de restabelecer, fazendo tudo por amor.

 

  1. Primeiro dia: O sinal de DEUS identifica Seu povo

Havia nos tempos antigos dois sinais que identificavam o povo de DEUS. Eram evidentemente sinais exteriores, muito embora um deles era bem discreto. Os sinais eram o sábado e a circuncisão.

O sábado foi estabelecido na criação, e seu objetivo é que as criaturas sempre lembrem que foram originadas em DEUS pelo Seu poder criador. Ele existe em todos os lugares do universo onde haja seres vivos, porque há um só tabernáculo e um só trono de DEUS, e lá estão os mesmos Dez Mandamentos que nós temos aqui na Terra. Portanto, a lei é a mesma para todo o Universo, e nem poderia ser diferente sendo DEUS o mesmo, e que nunca muda, nem no tempo nem no espaço geográfico. Assim, em todos os lugares onde exista vida inteligente, e não há lugar onde exista apenas vida animal, ali existe também a semana e o sábado bem como os mandamentos de DEUS.

O outro sinal foi a circuncisão (corte circular), substituído pelo batismo. A circuncisão era um sinal muito dolorido, um sacrifício na verdade, praticado em bebês aos oito dias, ou em adultos que não eram circuncidados no devido tempo, e levava pelo menos uns sete dias para curar, pois se trata de uma cirurgia. Por ele as mulheres ficavam de fora. O significado da circuncisão era uma ligação com DEUS, ou seja, a rejeição de toda prostituição, seja na carne, seja em crenças falsas. Também simbolizava o pertencimento ao povo de DEUS.

A circuncisão foi substituída, por João Batista, pelo batismo, e JESUS foi batizado e também circuncidado, mas após a Sua morte, apenas se recomendava o batismo. A circuncisão, se fosse praticada, não serviria mais como sinal de ligação com DEUS, e sim, o batismo. A circuncisão era principalmente um sinal de fidelidade a DEUS, de um coração e mente puros e sem ser atraído pelo mundo. O batismo tem a mesma função.

Conforme os versos abaixo, o batismo substituiu a circuncisão.

“A circuncisão é nada e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus” (1 Coríntios 7:19).

“Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem valor algum; mas sim a fé que opera pelo amor” (Gálatas 5:6).

“Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura” (Gálatas 6:15).

Esses versos dizem que a circuncisão perdeu seu valor como sinal, e que a pessoa deveria buscar ser uma nova criatura, e isto quer dizer, nascer de novo, ou, ser batizado. De fato, pelo batismo, como disse JESUS, tornamos a nascer outra vez, nos tornamos nova criatura. “O “nascer de novo” (João 3:7) significa transformação, nova vida em Cristo Jesus” (O Lar Adventista, 206).

 

  1. Segunda: A besta e a falsa adoração

Vamos resumir a primeira parte do capítulo 14 de Apocalipse, onde estão as três mensagens angélicas.

  • Primeira mensagem: adorem ao Criador, porque o juízo Dele é iminente.
  • Segunda mensagem: Babilônia está caindo, porque não adoram conforme está escrito na Bíblia.
  • Terceira mensagem: santifiquem o sábado e evitem santificar o domingo (mais um apelo pela adoração verdadeira).
  • Mensagem adicional de Apoc. 18:4 – saiam logo de Babilônia, pois chega o dia da queda total (destruição), ou seja, venham adorar como DEUS deseja.

É tudo uma questão de adoraçãoA guerra movida por Lúcifer contra DEUS é porque ele quer ser adorado. Essa é a questão principal. E como só existe um DEUS, e como só existe uma verdadeira adoração, logo, o que Lúcifer deseja só poderia ser tudo falso. Ou seja, ele não é DEUS e adorá-lo é falso.

Mas por que uma outra adoração é falsa? Simples, você pode prestigiar a quem quiser, pode honrar a quem quiser, pode elogiar a quem quiser, mas adorar, só a DEUS, o Criador. E esse DEUS definiu como deve ser essa adoração, como Ele gosta de ser adoradoComo só Ele pode ser adorado, por ser DEUS, tem também o direito de estabelecer como quer ser adorado. Então, se surgir outro deus, não é verdadeiro, e se esse outro deus estabelecer um ritual para ser adorado, da mesma forma, não pode ser verdadeiro. A base da adoração está na capacidade de criação e sustentação do que criou, e isso só o DEUS verdadeiro, ou único que é capaz, tem direito.

Mais sobre adoração: ela é também submissão a quem adora. É um vínculo de dependência, de obediência, de amor. Sim, em especial, é um vínculo de amor entre a criatura e o Criador, e esse vínculo é a lei do Universo.

No final, e de agora em diante, cada vez mais haverá grande controvérsia entre a verdade e o erro. Será um poder desigual, pendendo mais forte para o lado dos que defendem a verdade. De um lado, mais de 99% e milhares de igrejas (Babilônia) defenderão o erro. Eles terão a seu lado o poder de satanás e seus anjos, em número muito maior que a população do mundo. E de outro lado, um punhado de pessoas, bem poucas na verdade, mas com o gigantesco poder invencível do ESPÍRITO SANTO e dos anjos bons. É por isso que o poder dos que defendem a verdade é infinitamente superior. DEUS é a verdade, e Ele está do nosso lado.

A primeira mensagem angélica, que é o chamado à adoração verdadeira ao DEUS único e a advertência da iminência do Juízo investigativo, já vem sendo dada desde um pouco antes de 1844, e vai se acentuar. Foi nesse ano que JESUS entrou no lugar santíssimo, e passou a julgar os mortos que já fizeram, em vida, parte do povo de DEUS, para ver se houve arrependimento de todos os seus pecados ou não, se podem ser salvos ou não.

A segunda mensagem é o anúncio do começo da queda de Babilônia. Essa queda ocorre na medida em que as mentiras de Babilônia são desmascaradas e com a saída de membros dela. Essa mensagem vem sendo dada desde 1844.

A terceira mensagem vai ser dada a partir do decreto dominical. Ela é um alerta aos que ainda persistem em Babilônia, para que atentem às instruções finais, sobre o sábado x domingo, sobre o salário do pecado ser a morte e a imortalidade da alma, etc., para que saiam de uma vez de Babilônia porque a sua queda final está bem próxima, a sua ruína vem logo. Quem sair, se salva; quem ficar, se perde.

São na verdade duas sacudiduras, a que ocorre na Igreja Adventista, para que fique nela apenas o trigo, e que o joio vá para Babilônia, e a sacudidura em Babilônia, para que saia de lá o trigo, e venha para junto do povo de DEUS. Terminada essa troca de membros, fecha-se a porta da graça e iniciam as pragas; afinal, todos já tomaram suas decisões.

 

  1. Terça: O selo de DEUS

No dia de hoje trataremos sobre o selo de DEUS, mas já adiantaremos algo sobre a marca da besta. Amanhã nos concentraremos fortemente no assunto da marca. São dois pontos, o selo ou a marca. Uma pessoa jamais recebe os dois, ou tem o selo ou tem a marca. É uma questão de opção pessoal.

E o que é o selo de DEUS? Ora, deixe de ser curioso, quinta trataremos desse ponto!

Mas então, o que faz o selo de DEUS? Isso sim, é para hoje.

Primeiro, temos de saber que isso foi escrito há quase dois mil anos. Naqueles tempos a autenticação de documentos era diferente do que é hoje. Hoje as pessoas assinam com seu punho, ou usam a autenticação virtual. Naqueles tempos, as pessoas importantes possuíam um anel que levavam num de seus dedos. Esse anel possuía um tipo de um carimbo, não para tinta, mas para assinatura. Quando um documento era emitido, por exemplo, por uma autoridade, num lugar do documento, geralmente um pergaminho e depois um papiro, mas antes era também um tablete de argila, a autoridade, que podia ser um rei, tocava com esse carimbo num pouco de cera recém derretida, ou num pouco de argila mole, e assim se reproduzia um sinal que poderia ser reconhecido como daquela autoridade. Isso era às vezes bem trabalhoso. Por exemplo, se o rei dos Medo-Persas emitisse um documento para suas 120 regiões, deveriam escrever 120 vezes o documento (além do original) e carimbar 120 vezes. Para não dar tanto trabalho ao rei, ele emprestava o seu anel a alguém de confiança que fazia o trabalho por ele. Geralmente o rei conferia depois. Isso garantia que os destinatários estavam recebendo um documento confiável, e não algo falso de origem maldosa. Mais ou menos assim selavam os documentos e livros antigos. Mas ainda hoje, alguns países, para documentos muito importantes, utilizam um sistema parecido, como na Alemanha.

Pois bem, quando a Bíblia fala de sinal, ou de marca, não se refere a documentos, e sim, a pessoas. O selo é um sinal de fidelidade a DEUS; já a marca, um sinal de submissão a satanás e Babilônia. Não pode esquecer isso.

Há dois momentos de selamento. Um ocorre quando nos convertemos. Na conversão recebemos o selo de DEUS, isso porque nesse momento houve, por parte da pessoa, um propósito de fidelidade a DEUS, ao seu Criador. Quer dizer, a pessoa desistiu de pertencer a satanás e decidiu ficar com DEUS. Ou, se já nasceu num lar cristão, ao ter a consciência das coisas e dos fatos, tomou a decisão de continuar com DEUS como já são seus pais. Isso é um selamento, um ato em que dois seres, um humano e outro divino, celebram um acordo de se vincular um ao outro, e daí em diante, DEUS é seu guia e Salvador.

O outro selamento ocorrerá pouco antes das pragas, e vem para fortalecer a igreja para a última advertência ao mundo. Ocorre junto com a sacudidura e trata-se da chuva serôdia, o grande derramamento do ESPÍRITO SANTO sobre os filhos de DEUS para terem poder hoje até inimaginável a fim de concluírem a pregação ao mundo todo. Com esse poder terão capacidade para enfrentar toda forte oposição da mentira, e alertar todas as pessoas que hoje existem quanto à segunda vinda de CRISTO e quanto à verdadeira adoração.

A marca da besta é um pouco diferente. Enquanto que o selo de DEUS só é colocado na fronte, significando uma decisão racional mediante conhecimento, a marca é colocada na fronte e na mão direita. Isso significa uma ligação muito mais forte com satanás, porque é uma ligação dupla. Ou seja, pelo selo há uma ligação de amor entre DEUS e a pessoa; agora, pela marca, há na verdade uma submissão por conveniência à satanás e por imposição pelo poder da força e da sedução de seu poder. Aqui não entra o amor, entra o desejo de dominação. A marca da besta é muito forte porque logo a pessoa se torna escrava de satanás e acha que assim está ótimo. Lembre-se do pecado contra o ESPÍRITO SANTO: é uma maneira de pensar tal que a pessoa nem admite mais necessidade de perdão de alguns pecados. Assim é com a marca: é um sistema mentiroso de sedução que a pessoa passa a gostar em tal intensidade que ela não raciocina mais, ela se submete, chegando a se tornar fanática pelo que lhe comanda. É um sistema a tal ponto poderoso que arrastou, por exemplo, um terço dos anjos celestes, seres muito inteligentes.

A marca, dada na mente é uma opção conveniente de levar vantagem e ficar onde aprendeu a gostar, e recebida na mão direita, símbolo do trabalho, é uma submissão sedutora de escravidão a satanás, por medo de que lhe falte o sustento e a riqueza. Para entender essa segunda submissão, basta olhar para os personagens da Lava Jato, que não se contentam com milhares de reais, tem que ser milhões de reais. E nunca param de roubar. Assim é a marca da besta: a pessoa quer tudo o que a besta promete, mesmo sabendo que é o mau caminho e que vai morrer para sempre. A pessoa quer hoje, aqui e agora, tudo o que for possível. A mentira tornou-se tão atraente que ela nem percebe mais que é mentira, quer isso e pronto. Os marcados pela besta querem todos os benefícios da Terra pois estão encantados por eles, e quase nada fará com que mudem de ideia.

 

  1. Quarta: A marca da besta

A marca da besta é uma oposição ao selo de DEUS. Como Lúcifer quer ser adorado, ele tem que ter, como DEUS tem, a sua identificação, e o seu esquema de ligação dos adoradores a ele.

O selo de DEUS é o sábado, veremos isso amanhã. Veja que o selo de DEUS foi estabelecido na criação, mas a marca da besta apareceu, no mundo, depois de CRISTO. A marca da besta é o dia de domingo, porém, ainda não foi recebido por ninguém. O domingo só se tornará um ponto de fidelidade ao demônio quando for imposto por força de lei, e isso só ocorrerá por meio do decreto dominical. Hoje a marca da besta só existe em potencial. Santificar o domingo hoje está errado, mas ainda isso não é receber a marca da besta. Essa marca só será completa quando ao domingo eles agregarem o poder da lei para impor obediência, por meio de expedientes de força. É isso que desencadeará forte sacudidura na Igreja Adventista, porque a fraca sacudidura já existe (liberalismo, fanatismo, mundanismo, etc. que deixa a igreja morna).

A Bíblia é clara quanto ao sábado ser o dia para santificar. Em Apocalipse 14:12, por exemplo, diz assim: “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 14:12). Ou seja, DEUS, no último livro da Bíblia, determina que se deve obedecer aos Seus mandamentos; esses são os santos Dele. Isso quer dizer que os mandamentos de DEUS Ele nunca alterou.

Ao povo de DEUS um alerta. Já estamos na sacudidura, mas por enquanto, ainda é fraca. Ou seja, já estamos vendo pessoas saindo da igreja, e o número desses vai crescendo. Mas a forte sacudidura, aquela que irá purificar a igreja, que separará o joio do trigo, essa virá quando for emitido o decreto dominical. Esse decreto visa eliminar o povo de DEUS, mas vai purificar esse povo. Atente-se para o que EGW escreveu abaixo.

“O Senhor virá em breve. Em toda igreja deve haver um processo tendente a aprimorar e joeirar, pois entre nós há homens perversos, que não amam a verdade nem honram a Deus.

“Estamos no tempo da sacudidura, tempo em que cada coisa que pode ser sacudida, sacudir-se-á. O Senhor não desculpará os que conhecem a verdade, se não obedecem a Seus mandamentos por palavra e ação.

“A prosperidade multiplica a massa dos que professam. A adversidade expurga-os da Igreja.

“Não vai longe o tempo em que a prova sobrevirá a toda alma. A marca da besta nos será recomendada com insistência. Os que, passo a passo, cederem às exigências do mundo e se sujeitarem a costumes mundanos não acharão difícil submeter-se aos poderes dominantes, de preferência a expor-se a escárnios, insultos, ameaças de prisão e morte. O conflito é entre os mandamentos de Deus e os mandamentos de homens. Nesse tempo o ouro será separado da escória na igreja.

“Na ausência da perseguição, têm entrado para nossas fileiras homens que parecem sãos, de inquestionável cristianismo, mas que, caso surgisse a perseguição, sairiam de nós.

“Quando a lei de Deus for anulada, Sua igreja será peneirada por provas terríveis, e uma proporção maior do que agora podemos prever, dará ouvidos a espíritos enganadores e doutrinas de demônios” (Eventos Finais, 174 e 175).

É deveras preocupante saber que irmãos queridos, mas que hoje são membros da igreja, que estão levando um cristianismo superficial, misturado com mundanismo, esses se separarão de sua fé e se aliarão com o inimigo. Não só se aliarão, mas ainda se tornarão inimigos e perseguidores de seus antigos irmãos. Seguirão a marca da besta, santificarão o domingo, aceitarão a doutrina falsa da alma imortal. É triste, não?

 

  1. Quinta: O sábado como o selo

Vamos observar algumas coisas curiosas e inteligentes na lei de DEUS. Ela está dividida em duas partes: as quatro primeiras para DEUS e as últimas seis para o ser humano. Na primeira parte, o último mandamento é sobre o sábado, que DEUS escolheu como o dia da Sua autoridade pois ele é o memorial da criação, e a coisa mais poderosa que DEUS faz é criar do nada, incluindo criar seres vivos. Ninguém mais é capaz disso. Esse mandamento nos leva a honrar a DEUS, a adorar a DEUS, porque Ele fez, Ele é o Criador, da matéria e da vida.

Do outro lado da lei, o primeiro mandamento chama atenção para honrar nossos pais, aqueles que nos transmitiram a vidaEntão veja bem, DEUS criou a vida, nossos pais nos geraram com vidaA lei de DEUS gira em torno da vida, e uma vida com amor, eterna, felizPor isso o quarto mandamento nos remete ao Criador e o quinto nos remete a nossos genitoresMuito respeito para quem criou a vida e para quem gerou a vida. Eis que existimos por causa deles. E o sexto mandamento ratifica tudo isso, determinando: “Não matarás.” É a vida a coisa mais importante do universo, a tal ponto que JESUS, como homem, deu a Sua vida pela nossa vida, para que a tivéssemos de volta – refiro-me à vida eternaLogo, não se pode ter dúvidas sobre a importância do sábado, que foi dado por causa do ser humano. Isso, por sua vez quer dizer que o sábado nos liga ao Criador, somos dependentes Dele, e vivemos confiando Nele. É por isso que existe o sábado, ele é o centro da lei porque por ele vem da lógica da criação e da manutenção dela, bem como da redenção: DEUS nos ama!

Outras coisas sobre o sábado: Ele é um dia que DEUS deu nome: sábado, e identifica o Criador pelo nomeDEUS. Ele revela quem é DEUS: Criador de todas as coisas que existem, e por decorrência, mantenedor. É tão mantenedor que, quando aconteceu algo (a revolta de satanás e a queda do homem), DEUS providenciou tudo para que o mal fosse banido e a criação na Terra se restaurasse. Isso também é manutenção, tipo, restauração, JESUS foi morto na sexta-feira, descansou no sábado de Sua obra de salvação. E no sábado também aparece a jurisdição, ou seja, o território onde DEUS domina: é todo o Universo, pois Seu território é tudo o que Ele criou.

Isso tudo é muito justo, pois, se DEUS criou, merece respeito, afinal, nunca existiríamos se não fosse Ele e Seu poder e Seu amorO sábado estabelece uma relação de respeito (temor) entre a criatura e DEUS e viabiliza a vida eterna da criatura, afinal, vinculados ao Criador teremos vida sempre.

Na cruz JESUS não autorizou a mudança do sábado para o domingo, em razão da ressurreição. Pelo contrário, depois de pronta a Sua obra, Ele descansou no sábado, no túmulo. Ou seja, JESUS ratificou, confirmou o sábado como dia santo e a santificar. E no primeiro dia da semana, o dia da ressurreição, nada falou sobre alguma mudança, pelo contrário, Se pôs a trabalhar outra vez: foi ao Céu, voltou, apareceu e falou com os discípulos. Nada demonstrou que o domingo é dia santo. Quando Ele disse “está consumado” isso foi paralelo ao que disse que o que fez na criação, de que era muito bomObra da criação concluída com sucesso e obra da redenção concluída com sucesso. Agora, qual seria a razão de se mudar o dia de repouso? Foi tudo bem sucedido, não haveria motivo para alguma mudança. E se houvesse, satanás é que seria o vencedor.

O sábado é eterno assim como DEUS é perfeito e não necessita nunca de mudança. Se necessitasse de alguma mudança em Sua lei, Ele não seria perfeito, e satanás teria ao menos alguma razão de se rebelar contra Ele, pois em algum ponto seria falho. Isso não é verdade.

 

  1. Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  2. Tema transversal

A rebelião de Lúcifer surgiu e vem se desenrolando por causa de uma incontrolável vontade de ser adorado. E as pessoas nesse mundo geralmente seguem por esse caminho. Se não chegam ao desejo de serem adoradas, mas querem ter prestígio, um carro superior, um penteado chique, uma tatuagem diferente e chamativa, uma roupa na moda, pintura atraente, mudança da cor dos olhos, diploma superior, status superior, ser chefe o quanto mais alto, mandar, manipular ou dominar sobre os outros, interferir na vida dos outros, bisbilhotar na vida dos outros, mostrar-se mais importante que os outros, não aceitar conselhos, dizer que seu time é superior aos dos outros, ser fã de artistas e celebridades, querer ser celebridade, ser admirado, ser importante, ser servido, etc. A maioria das pessoas quer ser superior às demais de alguma forma. Isso é o mesmo espírito que se desenvolveu em Lúcifer. Esse espírito é o contrário da humildade, tem a ver com a arrogância, ou seja, é a qualidade ou caráter de quem, por suposta superioridade moral, social, intelectual ou de comportamento, assume atitude prepotente ou de desprezo com relação aos outros, orgulho ostensivo, altivez. Esse é um dos rastros do que Lúcifer desenvolveu em sua mente, e que de alguma forma passou à humanidade.

 

  1. Aplicação contextual e problematização

Um dos desafios para nós, cristãos, é ser humildes, virtude caracterizada pela consciência das próprias limitações, ter modéstia e simplicidade. A humildade é a qualidade de quem age com simplicidade, uma característica das pessoas que sabem assumir as suas responsabilidades, sem arrogância, prepotência ou soberba. Em teoria, a humildade é tida como uma qualidade bastante positiva e benéfica, onde ninguém é pior ou melhor do que os outros, estando todos no mesmo nível de dignidade, de cordialidade, respeito, simplicidade e honestidade. Humildade é ter um conceito equilibrado de si mesmo, sem buscar honra para si. A humildade é o contrário do orgulho. A pessoa humilde agrada a DEUS (Romanos 12:3). A Bíblia ensina que os humildes serão honrados por Deus. Jesus foi um grande exemplo de humildade, fazendo sempre a vontade de Deus (Filipenses 2:5-8).

 

  1. Informe profético de fatos recentes

“Quatro países proíbem a conversão ao cristianismo

“Quatro países asiáticos aprovaram leis que proíbem a conversão de seus cidadãos, que não podem mais abandonar a religião em que nasceram sem autorização do governo. Outras duas nações estudam fazer o mesmo. Nepal, Mianmar, Butão, além de alguns estados da Índia já aprovaram essas leis, enquanto o Sri Lanka e partes do Paquistão devem aprovar leis semelhantes em breve. A premissa básica dos legisladores é que a religião majoritária está “sob ameaça”. O resultado geralmente é uma reação violenta de grupos islâmicos, budistas ou hindus. A Aliança em Defesa da Liberdade (ADF) apresentou em Washington um relatório sobre os ataques à liberdade religiosa. Chamadas de “leis anticonversão”, as proibições usam termos vagos como “indução”, “força” ou “meios fraudulentos”. Dependendo do país, pode ser qualquer ação como trabalho social, oração pelos enfermos e, obviamente, evangelismo. O relatório indica que a justificativa para a lei é que existe a necessidade de “proteger a identidade cultural das comunidades do país”. Em alguns casos, o nome dado é enganoso. O estado indiano de Uttarakhand foi o oitavo estado a aprovar a legislação, oficialmente chamado de “Lei da Liberdade Religiosa”. A punição para quem promove conversões religiosas é de multa e prisão por até dois anos”. A legislação válida agora vai além das que proíbem a blasfêmia e a apostasia, comuns na região e que visa, principalmente, impedir o trabalho dos missionários cristãos.” Fonte.

Isso podem ser ações de satanás para impedir, ou ao menos dificultar a pregação que logo será feita pelo alto clamor. Mas o poder de DEUS é superior.

 

  1. Comentário da senhora White

“Os justos vivos receberão o selo de Deus antes do fim da graça” (Mensagens Escolhidas, vol. 1, 66).

“O sinal, ou selo, de Deus é revelado na observância do sábado do sétimo dia – o memorial divino da criação. … A marca da besta é o oposto disso – a observância do primeiro dia da semana” (Testemunhos Seletos, vol. 3, 232).

 

  1. Conclusão

“Qual é a condição para aqueles que guardam os mandamentos de Deus e têm a fé em Jesus? Se dentro das famílias houver aqueles que recusam obediência ao Senhor na guarda do Seu sábado, então o selo não poderá ser colocado sobre eles. O selo é a garantia de Deus quanto à perfeita segurança de Seus escolhidos. O selamento indica que vocês são os escolhidos de Deus. Ele os considera propriedade Sua. Como selados de Deus, somos a posse adquirida de Cristo, e ninguém nos arrancará de Suas mãos” (CRISTO Triunfante, MM 2002, 101).